Materiais em contacto com água para consumo vão ser certificados

IUCNweb / Flickr

-

Os materiais em contacto com a água para consumo humano, como tubagens ou químicos de tratamento, vão ser certificados e constar de uma lista disponibilizada pela entidade reguladora do setor, à qual os operadores devem recorrer quando fazem obras.

“Vamos regulamentar uma certificação de produto, um processo de certificação que já está em vigor, por exemplo, na diretiva dos materiais de construção, o que vai fazer com que as operadoras, quando têm de selecionar os seus materiais, apenas tenham de consultar a lista que a ERSAR [entidade reguladora] vai publicar no seu site”, disse o diretor do Departamento da Qualidade da Água da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR).

O objetivo é garantir que estes materiais não afetam a qualidade da água para consumo humano e uniformizar os critérios para todo o país.

Luís Simas explicou à agência Lusa que “também há uma grande vantagem para a indústria [portuguesa]” pois Portugal está envolvido no processo de harmonização com quatro Estados membros, o que vai permitir que as empresas nacionais “também tenham potencialmente acesso a outros mercados, com tradições mais exigentes em termos de qualidade”.

O regulamento da ERSAR para a certificação, que decorre do cumprimento de uma diretiva, está em consulta pública até 03 de julho, seguindo depois para a Comissão Europeia e, após um período de três anos de transição, deve entrar em vigor em 2018.

A ferramenta, já utilizada pelo Reino Unido, França, Alemanha e Holanda (Espanha e Itália estão a começar o processo), visa certificar que um conjunto de produtos de construção, metálicos, de plástico ou de cimento, como tubagens ou revestimentos, ou químicos para tratamento da água no sistema de distribuição, cumprem com os requisitos exigidos.

“Aquilo que nos move é, além da proteção da qualidade da água e da saúde humana, a utilização de uma ferramenta que acompanha a evolução que o setor tem vindo a sofrer”, disse Luís Simas.

“Sou um operador económico, quero certificar o meu produto vou ter com um certificador, que vai elaborar um programa de requisitos e a ERSAR vai pronunciar-se” sobre esse programa, exemplificou o responsável.

Se estiver tudo conforme, o certificador avança para o processo de certificação e, no final, é transmitido o resultado à ERSAR e, se o produto for certificado, passa a entrar na sua lista.

A legislação já determina que a partir do momento em que a entidade competente defina o esquema de certificação, tudo o que sejam obras de renovação ou novas têm de recorrer aos produtos que constam dessa lista, explicou o responsável da ERSAR.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Professores exigem negociações sobre progressão da carreira e ameaçam avançar para tribunal

Cerca de 50 professores concentraram-se esta quinta-feira em Bragança, onde decorre o primeiro Conselho de Ministros descentralizado, para exigir a abertura das negociações com a tutela, avisando que, se o Governo não o fizer, a …

Governo dá mais dias de férias a funcionários que se mudem para o interior

O Governo aprova esta quinta-feira em Conselho de Ministros um regime de incentivos para os funcionários da Administração Pública que decidam ir trabalhar para o interior, com ajudas de custo ou compensações financeiras e mais …

Autarquias têm mais um ano para preparar descentralização

O Governo decidiu dar mais tempo às autarquias para estas se prepararem para a descentralização. O prazo passa para o primeiro trimestre de 2022. Segundo avançou o Jornal de Notícias, citado pelo ECO, após críticas aos …

Sá Fernandes ponderou sair do Livre (e apoia eventual candidatura de Ana Gomes a Belém)

Na sua primeira grande entrevista após o caso Joacine, Ricardo Sá Fernandes, dirigente do Livre, revelou ao Observador que ponderou sair do partido e admitiu apoiar uma possível candidatura da ex-eurodeputada socialista Ana Gomes às …

Medina diz desconhecer caso do alegado falso engenheiro

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse esta quarta-feira que não ter informação sobre o alegado falso engenheiro da empresa Tanagra, com quem a autarquia celebrou vários contratos para obras públicas. A TVI noticiou …

Parlamento debate fim das comissões bancárias no MB Way e nas prestações da casa

O Parlamento debate esta quinta-feira projetos do BE, do PCP, do PS, do PAN e do PSD sobre limitação e proibição de comissões bancárias, tendo os bloquistas, que agendaram esta discussão, expectativa de que os …

Castração química. Bloco de Esquerda é contra veto a projeto de lei do Chega (e explica porquê)

A Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias considerou que o projeto de lei do Chega "não preenche os requisitos do ponto de vista constitucional". O Bloco de Esquerda votou contra e explicou …

Estado pode deixar de ganhar dinheiro com empréstimo ao Novo Banco

Atualmente, o Fundo de Resolução paga juros de 2% e 1,38% pelos empréstimos contraídos junto do Estado para financiar as medidas de resolução do BES e do Banif, respetivamente. Porém, esse valor pode descer para …

Equipa de campanha de Trump processa The New York Times por difamação

A equipa de campanha de Donald Trump processou o The New York Times. Em causa está um artigo publicado em março do ano passado. A equipa de campanha de Donald Trump alega que o jornal publicou, …

Enfermeiros que deixem de ser chefes regressam ao início da carreira

Há enfermeiros que regressaram ao início de carreira depois de terem abandonado as suas funções de chefia, revela o jornal Público. Tal como escreve o matutino, que avança a notícia esta quinta-feira, para que estes …