Marcelo, IL e Chega querem avanço do desconfinamento. PSD pede travão nos concelhos de maior risco

António Cotrim / Lusa

Marcelo Rebelo de Sousa ouviu os partidos ao longo desta tarde. A renovação de mais um Estado de Emergência está na mira, mas há quem não concorde.

O Presidente da República começou por receber o Iniciativa Liberal. Depois da audiência com Marcelo, João Cotrim Figueiredo referiu que “na reunião começámos por passar em revista aquilo que da parte da manhã foi dito no Infarmed e ficámos ambos de acordo que os dados são positivos e justificam a continuação do desconfinamento”.

O deputado sublinhou ainda que “os dados são bons, per si, mas temos o acompanhamento desses dados com maior testagem e, com isso, maior solidez dos dados e tudo isso que pode estar por trás de uma decisão que de continuar a desconfinar”.

Cotrim Figueiredo considera “crucial manter aquilo que parece estar a esmorecer um pouco que é o sentido de urgência e aceleração dos planos de testagem e rastreio e, sobretudo, no plano de vacinação”.

A deputada d’Os Verdes (PEV), Mariana Silva, voltou a manifestar-se contra a renovação do Estado de Emergência e considera que o país tem “todas as condições” para avançar no plano de desconfinamento.

Por sua vez, o CDS quer que a política de testagem nas escolas aumente e que inclua também os alunos, e não apenas o pessoal docente e não docente.

Foi essa a perceção com que a dirigente do partido Cecília Anacoreta Correia ficou depois de ouvir os especialistas na reunião do Infarmed, uma vez que foi dito que “a frequência de infeção dos estudantes é idêntica à dos profissionais das escolas”.

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, diz que o encerramento compulsivo de atividades económicas não pode ser a solução do Governo para o combate à pandemia e apela à aceleração do plano de vacinação.

Criticando a estratégia do Executivo, o dirigente comunista considerou que as decisões que têm vindo a ser tomadas continuam a não corresponder ao equilíbrio entre o combate à pandemia e a saúde da economia e que o quadro do estado de emergência continua por demonstrar a “eficácia de muitas das medidas” adotadas.

O Bloco de Esquerda está preocupado com “a banalização” do Estado de Emergência, que caminha para a 14ª reedição. Catarina Martins disse que o partido entende que há a dupla necessidade de avançar com o desconfinamento gradual que estava previsto sem pôr em causa os números da pandemia, sobretudo tendo em conta o atraso no plano de vacinação.

Entre avançar ou impor novas medidas, Catarina Martins tem uma certeza: “um país desconfinado não precisa de Estado de Emergência, portanto se a nova fase avançar sem outras medidas”.

Por outro lado, o Partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) confirma que volta a apoiar a renovação do Estado de Emergência, que será votada na quarta-feira no Parlamento.

Por fim, o presidente do Chega, André Ventura, defendeu que o atual desconfinamento das restrições para combater a epidemia de Covid-19 “não pode parar”, sublinhando a necessidade de “testagem massiva”, sobretudo nas escolas, e contínua vacinação da população.

“As escolas são um ponto fulcral. É preciso testar massivamente, continuar a controlar a comunidade educativa e escolar em matéria de novas infeções e controlo de surtos, mas o processo de desconfinamento não pode, efetivamente, parar”, disse André Ventura numa declaração-vídeo.

Rio preocupado com conselhos de risco

No final da audiência com Marcelo Rebelo de Sousa, Rui Rio não tem dúvidas que o próximo passo a dar é pôr um travão nos concelhos que já estão acima do limiar do risco – mesmo que isso envolva surtos localizados. É a única forma de evitar que “daqui a um mês ou dois” o travão tenha de ser posto no país todo.

Segundo o líder do PSD, “a ideia é não continuar o desconfinamento global no país todo, ou seja, não o fazer nos concelhos que estão com o indicador de risco mais elevado, assim como nos concelhos limítrofes”.

Rio defende que “se não travarmos aí vamos ter de travar o país todo outra vez dentro de um mês ou dois”, lembrando o alerta dos especialistas de que dentro de um mês, se continuarmos com este ritmo, podemos duplicar os casos.

Questionado sobre as renovações do Estado de Emergência, e se esta que se segue será ou não a última, Rio chutou para Marcelo e deixou claro que não irá impor barreiras.

“Mal seja possível não haver Estado de Emergência penso que o Presidente da República é o primeiro interessado nisso, confiamos plenamente no que o PR quer fazer e apoiamos. Se já não for necessário renovar mais, tanto melhor”, rematou.

Ana Isabel Moura, ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

Marcha do Orgulho de Budapeste será um protesto contra as leis anti-LGBTQI, diz organização

A marcha do Orgulho em Budapeste, que ocorrerá no sábado, será "uma celebração, mas também um protesto", disseram os organizadores, enquanto a comunidade LGBTQI húngara se prepara para desafiar a escalada da campanha anti-homossexual do …

PSD propõe máximo de 215 deputados e divisão de grandes círculos eleitorais

O PSD apresentou, esta sexta-feira, a sua proposta para a reforma do sistema eleitoral, que fixa um máximo de 215 deputados, menos 15 do que o total atualmente em vigor. A proposta do PSD para a …

Variante Lambda: o que saber sobre a nova mutação que preocupa as autoridades

Está a ter um foco mais circunscrito à América Latina, mas já houve dois casos desta mutação em Portugal. A OMS está atenta e de momento classifica a Lambda como uma variante de interesse. Foi inicialmente …

PSD força audição de Eduardo Cabrita sobre inquérito da IGAI

O PSD recorreu à figura da audição potestativa a que os partidos têm direito a usar regimentalmente para ouvir membros do Governo e entidades públicas.  O PSD requereu esta sexta-feira a audição parlamentar obrigatória do ministro …

Nuno Graciano "disponível" para acordo com Carlos Moedas

Nuno Graciano, candidato à Câmara Municipal de Lisboa pelo Chega, disse que há "condições" para conversar com Carlos Moedas, em caso de vitória do social-democrata. Em entrevista ao Diário de Notícias, Nuno Graciano, candidato do Chega …

Jogos Olímpicos: 4 modalidades estiveram em todas as edições

Curiosamente, em Tóquio também se vão estrear quatro modalidades (mais duas vertentes). Há desportos que só estiveram nos Jogos uma vez. Os Jogos Olímpicos Tóquio 2020 já arrancaram oficialmente. Depois do início de algumas modalidades, na …

Rússia "desconectada com sucesso" da Internet mundial em nova ronda de testes

A Rússia se "desconectou com sucesso" da rede mundial de Internet durante novos testes da sua tecnologia 'RuNet', informou o site de notícias RBC. De acordo com o site, que cita fontes não identificadas no setor …

Depois das cheias, Alemanha tem outra luta em mãos: limpar montanhas de lixo

Foram as cheias mais devastadoras da Alemanha nos últimos 60 anos, mas os problemas não acabaram com as chuvas. O país terá agora de lidar com montanhas de lixo, frigoríficos estragados e carros destruídos, amontoados …

Síndrome de Guillain-Barré apontada como efeito "muito raro" na vacina da Janssen

Infarmed justifica a decisão com os resultados da investigação feita pela Agência Europeia do Medicamento, iniciada após os reguladores norte-americanos terem dado o alerta para o "risco acrescido de se desenvolver uma condição neurológica rara …

Presidenciais. Tweets de Sara Sampaio e Barroco de Melo motivam abertura de inquérito no MP

Sara Sampaio e Eduardo Barroco de Melo fizeram publicações no Twitter, durante o período de reflexão para as últimas presidenciais, que serão agora investigadas pelo Ministério Público (MP). O Ministério Público (MP) abriu um inquérito para …