Marcelo, IL e Chega querem avanço do desconfinamento. PSD pede travão nos concelhos de maior risco

António Cotrim / Lusa

Marcelo Rebelo de Sousa ouviu os partidos ao longo desta tarde. A renovação de mais um Estado de Emergência está na mira, mas há quem não concorde.

O Presidente da República começou por receber o Iniciativa Liberal. Depois da audiência com Marcelo, João Cotrim Figueiredo referiu que “na reunião começámos por passar em revista aquilo que da parte da manhã foi dito no Infarmed e ficámos ambos de acordo que os dados são positivos e justificam a continuação do desconfinamento”.

O deputado sublinhou ainda que “os dados são bons, per si, mas temos o acompanhamento desses dados com maior testagem e, com isso, maior solidez dos dados e tudo isso que pode estar por trás de uma decisão que de continuar a desconfinar”.

Cotrim Figueiredo considera “crucial manter aquilo que parece estar a esmorecer um pouco que é o sentido de urgência e aceleração dos planos de testagem e rastreio e, sobretudo, no plano de vacinação”.

A deputada d’Os Verdes (PEV), Mariana Silva, voltou a manifestar-se contra a renovação do Estado de Emergência e considera que o país tem “todas as condições” para avançar no plano de desconfinamento.

Por sua vez, o CDS quer que a política de testagem nas escolas aumente e que inclua também os alunos, e não apenas o pessoal docente e não docente.

Foi essa a perceção com que a dirigente do partido Cecília Anacoreta Correia ficou depois de ouvir os especialistas na reunião do Infarmed, uma vez que foi dito que “a frequência de infeção dos estudantes é idêntica à dos profissionais das escolas”.

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, diz que o encerramento compulsivo de atividades económicas não pode ser a solução do Governo para o combate à pandemia e apela à aceleração do plano de vacinação.

Criticando a estratégia do Executivo, o dirigente comunista considerou que as decisões que têm vindo a ser tomadas continuam a não corresponder ao equilíbrio entre o combate à pandemia e a saúde da economia e que o quadro do estado de emergência continua por demonstrar a “eficácia de muitas das medidas” adotadas.

O Bloco de Esquerda está preocupado com “a banalização” do Estado de Emergência, que caminha para a 14ª reedição. Catarina Martins disse que o partido entende que há a dupla necessidade de avançar com o desconfinamento gradual que estava previsto sem pôr em causa os números da pandemia, sobretudo tendo em conta o atraso no plano de vacinação.

Entre avançar ou impor novas medidas, Catarina Martins tem uma certeza: “um país desconfinado não precisa de Estado de Emergência, portanto se a nova fase avançar sem outras medidas”.

Por outro lado, o Partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) confirma que volta a apoiar a renovação do Estado de Emergência, que será votada na quarta-feira no Parlamento.

Por fim, o presidente do Chega, André Ventura, defendeu que o atual desconfinamento das restrições para combater a epidemia de Covid-19 “não pode parar”, sublinhando a necessidade de “testagem massiva”, sobretudo nas escolas, e contínua vacinação da população.

“As escolas são um ponto fulcral. É preciso testar massivamente, continuar a controlar a comunidade educativa e escolar em matéria de novas infeções e controlo de surtos, mas o processo de desconfinamento não pode, efetivamente, parar”, disse André Ventura numa declaração-vídeo.

Rio preocupado com conselhos de risco

No final da audiência com Marcelo Rebelo de Sousa, Rui Rio não tem dúvidas que o próximo passo a dar é pôr um travão nos concelhos que já estão acima do limiar do risco – mesmo que isso envolva surtos localizados. É a única forma de evitar que “daqui a um mês ou dois” o travão tenha de ser posto no país todo.

Segundo o líder do PSD, “a ideia é não continuar o desconfinamento global no país todo, ou seja, não o fazer nos concelhos que estão com o indicador de risco mais elevado, assim como nos concelhos limítrofes”.

Rio defende que “se não travarmos aí vamos ter de travar o país todo outra vez dentro de um mês ou dois”, lembrando o alerta dos especialistas de que dentro de um mês, se continuarmos com este ritmo, podemos duplicar os casos.

Questionado sobre as renovações do Estado de Emergência, e se esta que se segue será ou não a última, Rio chutou para Marcelo e deixou claro que não irá impor barreiras.

“Mal seja possível não haver Estado de Emergência penso que o Presidente da República é o primeiro interessado nisso, confiamos plenamente no que o PR quer fazer e apoiamos. Se já não for necessário renovar mais, tanto melhor”, rematou.

Ana Isabel Moura Ana Isabel Moura, ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

Redução nas portagens implica impacto de 160 milhões por ano, diz Governo

O Governo disse esta segunda-feira que a redução de portagens, a partir de 01 de julho, implica um impacto de 160 milhões de euros por ano e, se for considerado todo o período de concessões, …

França, Espanha e Alemanha chegam a acordo para novo sistema de combate aéreo

A França, a Espanha e a Alemanha chegaram a um acordo sobre a nova fase de desenvolvimento do Futuro Sistema de Combate Aéreo (SCAF, na sigla em francês), após negociações intensas entre os três países, …

Legionella. Empresas chegam a acordo com 57 das 58 vítimas assistentes no processo

As empresas arguidas no processo do surto de legionella que ocorreu em Vila Franca de Xira, em 2014, chegaram a acordo com 57 das 58 vítimas que se constituíram assistentes no processo. A informação foi avançada …

Plásticos do Reino Unido são enviados, despejados e queimados na Turquia

Uma investigação levada a cabo por ativistas ambientais da Greenpeace descobriu plástico do Reino Unido despejado e queimado no sul da Turquia. Os investigadores da Greenpeace, uma organização ambientalista internacional, documentaram pilhas de plástico despejadas ilegalmente …

BE apresenta projeto de lei para criminalizar "terapias de conversão" de orientação sexual

O Bloco de Esquerda (BE) apresentou um projeto de lei que prevê penas de prisão até três anos ou multas para quem promova "procedimentos que visem alterar a orientação sexual de outra pessoa, identidade ou …

Madeira suspende vacinação devido a embalagens da Pfizer com sinais de humidade

A campanha de vacinação contra a covid-19 foi interrompida esta segunda-feira na Madeira porque algumas embalagens das vacinas da Pfizer apresentaram sinais de humidade externa, anunciou o Governo Regional. “Informamos que a campanha de vacinação contra …

Catarina Martins defende presunção de inocência de Luís Monteiro e fala da "situação insustentável" de Cabrita

A coordenadora do BE, Catarina Martins, considerou que as denúncias de violência doméstica nunca devem ser desvalorizadas, mas defendeu a presunção de inocência do deputado bloquista Luís Monteiro. Além disso, considerou a situação de Eduardo …

Dermatologistas dizem que 90% das mortes por cancro de pele podem ser evitadas

A Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo (APCC) alerta para o facto de 90% das mortes por cancro de pele serem evitáveis, sublinhando que os custos em tratamento para os serviços de saúde rondam os 20 …

Especialista considera possível "largar as máscaras" antes de julho. Há 85 concelhos com zero casos de covid-19

A maior parte dos concelhos em Portugal encontra-se abaixo do limiar de risco e 85 contam mesmo zero casos. Para o virologista Pedro Simas, é possível que as máscaras deixem de ser utilizadas ainda antes …

Crónica ZAP - Nota Artística por Nuno Miguel Teixeira

Belenenses e Santa Clara também têm direito a nota artística

https://soundcloud.com/nuno-teixeira-264830877/belenenses-0-2-santa-clara-o-musical-1 - Então? Numa jornada de Benfica-Sporting e de um importante Rio Ave-FC Porto, este indivíduo aborda o Belenenses-Santa Clara neste espaço? - É verdade. Por duas razões: a primeira é que fui eleita a Miss Mundo …