Marcelo desembarca na China para reforçar cooperação económica

Mário Cruz / Lusa

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo Rebelo de Sousa começa esta sexta-feira a visita à China com uma deslocação à Grande Muralha, mas sobre a relação entre os dois países, o Presidente afirma que não existem muros.

A visita do Presidente da República português à China é uma afirmação política da vontade de alinhamento com o país, que sinaliza a abertura de Portugal para mais e maiores investimentos no nosso país.

A visita de Estado começa dois dias depois da queda da oferta pública de aquisição (OPA) da China Three Gorges (CTG) à EDP, mas esse não será um motivo de atrito entre os dois países.

De acordo com o Público, os chineses têm consciência de que as autoridades portugueses não contribuíram para este desfecho. Se chumbasse o negócio, criaria dificuldades na relação com o principal acionista da elétrica. Se o aprovasse, poderia ver a sua decisão ser revogada pelas reguladoras europeia ou, sobretudo, a americana.

Assim, o chefe de Estado português vai ser recebido pelo Presidente da China, Xi Jinping, em Pequim, na segunda-feira, dia em que se reunirá também com o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang.

Marcelo chegou ao país esta quinta-feira, onde ficará seis dias, para participar na segunda edição do fórum “Faixa e Rota”, iniciativa chinesa de investimento em infraestruturas, em Pequim, em que irá discursar, no sábado, e depois para uma visita de Estado, a convite do seu homólogo, entre segunda e quarta-feira.

O programa da sua visita à República Popular da China, inclui ainda jantares com representantes das maiores empresas chinesas em Portugal e com exportadores portugueses para o mercado chinês, em Pequim, um seminário luso-económico e encontros com as autoridades locais de Xangai e da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM).

Marcelo Rebelo de Sousa, que deu aulas em Macau, mas nunca esteve na China Continental, começou esta visita simbolicamente na Grande Muralha, esta sexta-feira, e ficará na capital chinesa até segunda-feira. Nessa noite, seguirá para Xangai e encerrará a visita em Macau, no 1.º de Maio.

O seu encontro com o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, está marcado para as 11h10 locais (04h10 em Lisboa) de segunda-feira, na residência oficial Diaoyutai, após a deposição de uma coroa de flores no Monumento aos Heróis do Povo, na Praça Tiananmen.

À tarde, será recebido pelo Presidente da China, Xi Jinping, no Grande Palácio do Povo, pelas 17h30 (10h30 em Lisboa), numa cerimónia com honras militares. Após o encontro entre os dois chefes de Estado, haverá um banquete oficial.

Na noite de segunda-feira, o Presidente português parte para Xangai, a “capital” económica da China, onde estará menos de 24 de horas, com um programa que inclui um seminário económico luso-chinês e uma ida à Universidade de Estudos Internacionais, que tem um dos departamentos de língua portuguesa mais antigos da China.

Na terça-feira ao fim do dia, em Xangai, antes de viajar para Macau, Marcelo Rebelo de Sousa dará ainda uma receção a empresários, entidades culturais e portugueses residentes nesta região.

Em Macau, o chefe de Estado também estará menos de 24 horas, mas com uma agenda intensa, que inclui visitas à Santa Casa da Misericórdia, às ruínas da Igreja de São Paulo, à Escola Portuguesa, uma reunião com o chefe do executivo da RAEM, Fernando Chui Sai On, e uma receção à comunidade portuguesa.

Nesta deslocação à China, o Presidente da República estará acompanhado por uma delegação parlamentar composta pelos deputados Adão Silva, do PSD, Filipe Neto Brandão, do PS, Telmo Correia, do CDS-PP, pelo líder parlamentar do PCP, João Oliveira, e por Heloísa Apolónia, do Partido Ecologista “Os Verdes”.

Bloco de Esquerda e PAN optaram por não integrar a sua comitiva nesta visita, o que justificaram com a situação dos direitos humanos e das liberdades na China.

Pela parte do Governo, integram a comitiva oficial do chefe de Estado os ministros dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, e o secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Presidente da Suíça no topo dos salários. Marcelo no fim da lista

Uma lista elaborada com dados da IG - consultora britânica de mercados financeiros - revelou que quanto mais rico o país, em regra, mais alto é o ordenado do chefe de Estado, com o Presidente …

Novo estudo reitera eficácia da vacina da Pfizer contra variante britânica do coronavírus

Um novo estudo da empresa alemã BioNTech sugere que a vacina desenvolvida por esta e pela farmacêutica norte-americana Pfizer contra a covid-19 é também eficaz na variante do coronavírus que surgiu no Reino Unido. O estudo, …

Governo reúne-se com especialistas ainda esta quarta-feira

O Governo vai reunir-se ainda nesta quarta-feira com epidemiologistas. A informação foi inicialmente avançada pela TSF, sendo posteriormente confirmada pelo primeiro-ministro, António Costa, em Bruxelas. O encontro será presidido pela ministra da Saúde, Marta Temido, …

Charles Michel propõe "pacto fundador" para tornar Europa e EUA "mais fortes"

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, propôs esta quarta-feira ao novo Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, a criação de um “pacto fundador” para tornar a Europa e a América “mais fortes”. “No primeiro dia …

Mayan faz visita "surreal" a hospital fechado em Miranda do Corvo (e adverte para destruição económica e social)

O candidato presidencial apoiado pelo Iniciativa, Liberal Tiago Mayan Gonçalves, esteve na terça-feira em campanha nas instalações do hospital fechado de Miranda do Corvo, tendo-o apontado como um cenário “surreal” num dos períodos mais difíceis …

Parlamento prepara renovação do estado de emergência até ao fim de fevereiro

O parlamento agendou para dia 11 de fevereiro um debate e votação sobre o eventual decreto presidencial para a prorrogação do estado de emergência em Portugal, por novo período de 15 dias, para fazer face …

Trump já deixou a Casa Branca. "Tenham uma boa vida, voltaremos a ver-nos”

O Presidente cessante dos Estados Unidos já deixou a Casa Branca. A poucas horas da tomada de posse do democrata Joe Biden, Donald Trump afirmou ter sido uma “grande honra” ter desempenhado este cargo. “Foi …

Investigadores admitem abstenção recorde entre os 60% e 70%

As presidenciais de domingo podem registar uma abstenção recorde, entre os 60% e os 70%, devido ao medo da pandemia de covid-19, ao desinteresse dos eleitores e por haver um candidato favorito, segundo especialistas ouvidos …

Irão impõe sanções simbólicas a Donald Trump. Presidente iraniano saúda "fim" da era do "tirano"

O Irão impôs esta terça-feira sanções ao Presidente cessante dos EUA, Donald Trump, e a diversos membros da sua administração sobre o seu alegado apoio ao “terrorismo”, de acordo com a página digital do Ministério …

Portugal tem mais 14.647 infetados. Morreram mais 219 pessoas

Portugal registou, esta quarta-feira, mais 219 mortes e 14.647 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 14.647 novos casos, 5593 …