Marcelo avança hipótese de capital árabe comprar dívida pública

presidencia.pt

-

O Presidente da República avançou, esta quarta-feira, a hipótese de haver capital árabe na compra da dívida portuguesa, o que significará “um estreitamento de relações económicas e financeiras entre Portugal e o mundo árabe”.

“Há capital árabe em empresas chave na economia portuguesa, há capital português que quer avançar investindo em países árabes e por outro lado há, hipoteticamente, a possibilidade de haver capital árabe comprando dívida pública portuguesa e se isso vier a acontecer significa um estreitamento de relações económicas e financeiras entre Portugal e o mundo árabe”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

O chefe de Estado falava aos jornalistas à saída das Jornadas Árabes, que hoje e na quinta-feira decorrem na Torre do Tombo, em Lisboa.

O Presidente da República destacou que “o mundo árabe tem uma posição económica e financeira em Portugal muito significativa”.

Durante o discurso nas jornadas sobre “Memórias árabes-islâmicas, diálogo entre civilizações”, organizadas pela Câmara de Comércio e Indústria Árabe-Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa recordou a recente visita do primeiro-ministro, António Costa, ao Qatar, a “presença de investimento árabe de forma crescente” em Portugal e “a preocupação com levar mais longe o relacionamento financeiro, científico, tecnológico, cultural, social e humano” entre as duas civilizações.

“Ganha Portugal, mas ganha o mundo árabe porque sabe que tem em Portugal um parceiro conhecido pela paz, pela paz política, pela estabilidade institucional, pela paz social, pela segurança, pela previsibilidade, pelo início de uma recuperação económica, pela consolidação das contas públicas e pela preocupação de abertura ecuménica a todos, sem limites, com a tal paciência e persistência que são um traço fundamental da nossa maneira de ser”, enalteceu.

Na opinião do chefe de Estado, “Portugal encontra-se numa posição privilegiada para, no concerto das nações, promover o diálogo entre civilizações, culturas, povos e religiões”.

“Um diálogo urgente, num mundo e num tempo em que ganham expressão as narrativas, as culturas ou inculturas da intolerância, da exclusão, do fanatismo, da ignorância, que não conhecem fronteiras nem limites, provocando a violência e sentimentos de insegurança contra os quais urge lutar”, defendeu.

Para Marcelo, este é um “combate a favor da abertura e não da clausura, em prol do conhecimento e não da ignorância e uma luta a favor de pontes e não de muralhas”.

“Uma luta a favor da paz, alicerçada numa visão humanista do mundo, que é a nossa”, resumiu, sublinhando o empenho de Portugal “na promoção de diálogos”.

A eleição de António Guterres como secretário-geral das Nações Unidas é também, para o Presidente da República, “a aceitação de um português como um fator de diálogo, de entendimento, de promoção da paz”, sublinhando que “disso mesmo fala ele hoje no Parlamento Europeu”.

“Como é possível sermos vizinhos e não vivermos intensamente essa vizinhança?”, questionou, recordando que uma das primeiras visitas que fez logo no início do mandato foi a Marrocos e revelando que “dentro de poucas semanas” vai receber o chefe de Estado do Qatar, para além de ter “pendentes para o próximo ano vários convites para visitas de Estado a outros países irmãos árabes”.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Era só o que nos faltava. O mundo de facto está em ebulição, a continuar desta forma o “caldeirão mundial” entra em ebulição e não tarda nada transborda. Mas, talvez seja melhor eu estar calada, porque já sou “persona non grata” ´nos meios em que me movimentava. Quero ver qual a finalidade disto tudo.

  2. Se considerar Marcelo intelectualmente honesto, aquilo que ele diz faz sentido. O mundo precisa de paz! Pelo menos da “paz possível” que já vai sendo cada vez menos! Tem de se caminhar no sentido da abertura, do estender pontes e da aceitação da diversidade, com livre circulação de pessoas, mercadorias e ideias, sem dissover as culturas e a memória histórica.

    Mas como eu sempre digo, não coisas boas e coisas más… Há o bem e o mal dentro de cada coisa. Até a abertura e a livre circulação podem ser usadas para o mal. Há uma globalização de Big Brother, orwelliana e kafkiana… Que não é boa e representa o lado mau da Globalização. Mas também há a xenofobia, o medo, a intolerancia, a desconfiança e o isolamento, como expressões do combate à Globalização.

    Cair no lado mau do proteccionismo para fugir às coisas más da Globalização, é tão estúpido ou mais do que cair nas coisas más da Globalização para combater o isolamento e a xenofobia.

RESPONDER

Rui Rio vence segunda volta. Líder reeleito quer "estabilidade, lealdade e unidade"

O presidente social-democrata, Rui Rio, afirmou hoje que espera poder “trabalhar com estabilidade e lealdade”, recusou que o PSD esteja “partido” e vincou estar “a iniciar o momento para marcar a unidade” no partido. O líder …

Gatos não se importam de comer pessoas mortas (e há um estudo que mostra como o fazem)

Uma nova investigação analisou como é que dois gatos selvagens se alimentaram de cadáveres humanos. Os animais mostraram preferência por corpos específicos ao longo de vários dias. No Forensic Investigation Research Station, no estado norte-americano do …

"Árvores dinossauro". Bombeiros australianos conseguiram salvar floresta pré-histórica

Os bombeiros australianos conseguiram salvar dos incêndios uma floresta com árvores pré-históricas localizada no sudeste do país, anunciou o Governo. Em causa estão árvores da espécie Wollemia nobilis, vulgarmente conhecidas como Pinheiro de Wollemi, que se …

Príncipe Harry e Meghan renunciam aos títulos da realeza

O Palácio de Buckingham anunciou, este sábado, um acordo em que o príncipe Harry e a sua mulher renunciaram aos respetivos títulos, abandonando os deveres enquanto membros seniores da família real do Reino Unido e …

Polaris Slingshot chega ao mercado com um sistema de transmissão inovador

A nova versão do Polaris Slingshot vem equipado com um sistema de transmissão que mescla a condução do manual com o conforto do automático. Para quem não conhece o Polaris Slingshot, apresentado pela primeira vez em …

Turistas estão a invadir Hallstatt, a aldeia austríaca que terá inspirado "Frozen"

Considerado Património Mundial pela UNESCO desde 1997, Hallstatt, na Áustria, possui apenas 778 moradores e tem uma sequência de casas em estilo alpino. Em 2010, antes do lançamento do primeiro filme da Disney, "Frozen", a cidade …

Teerão vai enviar caixa negra do avião abatido para a Ucrânia

O Irão vai enviar para a Ucrânia as gravações da caixa negra do avião ucraniano que abateu acidentalmente, na semana passada, para que sejam sujeitas a análises adicionais. Hassan Rezaeifer, chefe de investigações de acidentes do …

António Folha já não é treinador do Portimonense

O treinador apresentou a demissão do comando técnico do Portimonense, este sábado, depois de perder na deslocação ao lanterna-vermelha Desportivo das Aves, por 3-0. "Antes de me fazerem qualquer pergunta sobre o jogo, queria transmitir que …

Há pombos cowboys em Las Vegas (e voluntários estão a tentar salvá-los)

Por alguma razão, alguém decidiu colar chapéus vermelhos minúsculos de cowboy em pombos de Las Vegas, nos Estados Unidos. Agora, a equipa do Lofty Hopes Pigeon Rescue está a tentar salvá-los. Há uma missão para resgatar …

Youtube encaminha milhões de utilizadores para desinformação climática

Os algoritmos do YouTube estão a encaminhar milhões de utilizadores de vídeos de empresas para a desinformação sobre as alterações climáticas, através de serviços de publicidade online, de acordo com uma investigação da comunidade virtual …