Marcelo avança hipótese de capital árabe comprar dívida pública

presidencia.pt

-

O Presidente da República avançou, esta quarta-feira, a hipótese de haver capital árabe na compra da dívida portuguesa, o que significará “um estreitamento de relações económicas e financeiras entre Portugal e o mundo árabe”.

“Há capital árabe em empresas chave na economia portuguesa, há capital português que quer avançar investindo em países árabes e por outro lado há, hipoteticamente, a possibilidade de haver capital árabe comprando dívida pública portuguesa e se isso vier a acontecer significa um estreitamento de relações económicas e financeiras entre Portugal e o mundo árabe”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

O chefe de Estado falava aos jornalistas à saída das Jornadas Árabes, que hoje e na quinta-feira decorrem na Torre do Tombo, em Lisboa.

O Presidente da República destacou que “o mundo árabe tem uma posição económica e financeira em Portugal muito significativa”.

Durante o discurso nas jornadas sobre “Memórias árabes-islâmicas, diálogo entre civilizações”, organizadas pela Câmara de Comércio e Indústria Árabe-Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa recordou a recente visita do primeiro-ministro, António Costa, ao Qatar, a “presença de investimento árabe de forma crescente” em Portugal e “a preocupação com levar mais longe o relacionamento financeiro, científico, tecnológico, cultural, social e humano” entre as duas civilizações.

“Ganha Portugal, mas ganha o mundo árabe porque sabe que tem em Portugal um parceiro conhecido pela paz, pela paz política, pela estabilidade institucional, pela paz social, pela segurança, pela previsibilidade, pelo início de uma recuperação económica, pela consolidação das contas públicas e pela preocupação de abertura ecuménica a todos, sem limites, com a tal paciência e persistência que são um traço fundamental da nossa maneira de ser”, enalteceu.

Na opinião do chefe de Estado, “Portugal encontra-se numa posição privilegiada para, no concerto das nações, promover o diálogo entre civilizações, culturas, povos e religiões”.

“Um diálogo urgente, num mundo e num tempo em que ganham expressão as narrativas, as culturas ou inculturas da intolerância, da exclusão, do fanatismo, da ignorância, que não conhecem fronteiras nem limites, provocando a violência e sentimentos de insegurança contra os quais urge lutar”, defendeu.

Para Marcelo, este é um “combate a favor da abertura e não da clausura, em prol do conhecimento e não da ignorância e uma luta a favor de pontes e não de muralhas”.

“Uma luta a favor da paz, alicerçada numa visão humanista do mundo, que é a nossa”, resumiu, sublinhando o empenho de Portugal “na promoção de diálogos”.

A eleição de António Guterres como secretário-geral das Nações Unidas é também, para o Presidente da República, “a aceitação de um português como um fator de diálogo, de entendimento, de promoção da paz”, sublinhando que “disso mesmo fala ele hoje no Parlamento Europeu”.

“Como é possível sermos vizinhos e não vivermos intensamente essa vizinhança?”, questionou, recordando que uma das primeiras visitas que fez logo no início do mandato foi a Marrocos e revelando que “dentro de poucas semanas” vai receber o chefe de Estado do Qatar, para além de ter “pendentes para o próximo ano vários convites para visitas de Estado a outros países irmãos árabes”.

  // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Era só o que nos faltava. O mundo de facto está em ebulição, a continuar desta forma o “caldeirão mundial” entra em ebulição e não tarda nada transborda. Mas, talvez seja melhor eu estar calada, porque já sou “persona non grata” ´nos meios em que me movimentava. Quero ver qual a finalidade disto tudo.

  2. Se considerar Marcelo intelectualmente honesto, aquilo que ele diz faz sentido. O mundo precisa de paz! Pelo menos da “paz possível” que já vai sendo cada vez menos! Tem de se caminhar no sentido da abertura, do estender pontes e da aceitação da diversidade, com livre circulação de pessoas, mercadorias e ideias, sem dissover as culturas e a memória histórica.

    Mas como eu sempre digo, não coisas boas e coisas más… Há o bem e o mal dentro de cada coisa. Até a abertura e a livre circulação podem ser usadas para o mal. Há uma globalização de Big Brother, orwelliana e kafkiana… Que não é boa e representa o lado mau da Globalização. Mas também há a xenofobia, o medo, a intolerancia, a desconfiança e o isolamento, como expressões do combate à Globalização.

    Cair no lado mau do proteccionismo para fugir às coisas más da Globalização, é tão estúpido ou mais do que cair nas coisas más da Globalização para combater o isolamento e a xenofobia.

RESPONDER

É um cenário de filme de ficção científica - mas será possível a Lua colidir contra a Terra?

Está sempre aparentemente calma no céu, mas será que a Lua pode algum dia vir a chocar com a Terra? Há simulações que ajudam a ter uma ideia do que aconteceria neste cenário. Um novo filme …

O segredo da Coreia do Sul para combater a covid-19? Tecnologia de ponta e toque humano

O sucesso da Coreia do Sul a combater a pandemia de covid-19 não assentou apenas no recurso à tecnologia de ponta — também envolveu o tradicional toque humano. De acordo com um recente relatório da Câmara …

Governo: voto contra do Bloco é "definitivo". Marcelo diz que chumbo provoca dissolução

O Governo afirmou este domingo que entendeu o anúncio de voto contra por parte do BE como “uma posição definitiva”, remetendo eventuais novas negociações com este partido para a fase da especialidade do Orçamento do …

Soldados do exército chinês alinhados.

Chinesas querem "empregos de homem" — mas o sistema educacional corta-lhes as asas

Várias escolas, academia e universidades chinesas impõe cotas que limitam o acesso de estudantes do sexo feminino. Mulheres têm de tirar notas mais altas do que os homens para entrar. Um pouco por todo o mundo …

"A Escola de Atenas", quadro de Rafael Sanzio.

Ideias da filosofia grega podem ter-nos conduzido às alterações climáticas

Algumas das ideias defendidas por antigos filósofos gregos podem ter conduzido a civilização rumo às alterações climáticas. Incêndios florestais causados por ventos crescentes e um calor sem precedentes cercaram Atenas, Grécia, no verão passado, cobrindo os …

Vizela 0-1 Benfica | Milagre de São Rafa no último suspiro

A ressaca pós-goleada frente ao Bayern, na Liga dos Campeões, foi difícil para o Benfica. Os comandados de Jorge Jesus sentiram muitas dificuldades frente a um Vizela que sabia que o seu adversário iria patentear …

Otoniel, o camponês paramilitar (e criminoso mais procurado da Colômbia) foi capturado

O governo da Colômbia anunciou este sábado a captura do narcotraficante mais procurado do país, Dairo Antonio Úsuga (com a alcunha de 'Otoniel'), por quem os Estados Unidos ofereciam uma recompensa de cinco milhões de …

"Tratam as doentes como histéricas". O longo caminho da Medicina até levar a sério a dor feminina está a custar vidas

Muitos dos avanços na medicina tiveram apenas metade da população em conta. Para além da falta de representação das mulheres nos estudos médicos, a dor e os relatos das pacientes são muitas vezes desvalorizados nas …

Bloco faz ultimato: vota contra o OE se até 4ª feira o Governo "insistir em impor recusas"

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, avisou este domingo que o BE votará contra o orçamento se até quarta-feira “o Governo insistir em impor recusas onde a esquerda podia ter avanços”, mantendo, no …

Nova faca de madeira é três vezes mais afiada do que as de aço - e pode ser lavada após ser usada

Através do uso de métodos alternativos, uma equipa de cientistas criou uma nova forma endurecida da madeira que pode ser transformada em facas afiadas. A equipa da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, refere que as …