Antigo manual egípcio revela novos detalhes sobre a mumificação

Uma equipa de investigadores descobriu um papiro médico com 3.500 anos que permitiu ajudar a recriar o processo de embalsamento para preparar os antigos egípcios para a vida após a morte. Este é o mais antigo manual sobre mumificação alguma vez encontrado.

A mumificação é um procedimento realizado para tornar mais lento, ou mesmo interromper, o processo de decomposição do corpo. Embora seja associado tipicamente aos antigos egípcios, também os maias e os incas tinham este hábito.

O problema é que detalhes escritos sobre a mumificação são escassos, sendo que apenas dois textos sobre mumificação foram encontrados até à data.

Por isso, os egiptólogos ficaram surpreendidos ao encontrar um pequeno manual sobre embalsamamento num texto médico. O manual ficou conhecido como o “Papiro Louvre-Carlsberg”.

“Muitas descrições de técnicas de embalsamamento que encontramos neste papiro foram deixadas de fora dos dois manuais posteriores e as descrições são extremamente detalhadas. O texto parece um auxiliar de memória, de modo a que os leitores devem ser especialistas que precisam de ser lembrados desses detalhes, como receitas de unguentos e uso de vários tipos de ligaduras. Alguns dos processos mais simples, por exemplo a secagem do corpo com natrão foram omitidos do texto”, explica a líder da equipa de investigação, Sofie Schiødt.

“Uma das novas informações interessantes que o texto nos fornece diz respeito ao procedimento para embalsamar o rosto da pessoa morta. Obtivemos uma lista de ingredientes para um remédio que consiste principalmente em substâncias aromáticas de base vegetal e aglutinantes que são cozidos num líquido, com os quais os embalsamadores revestem um pedaço de linho vermelho. O linho vermelho é então aplicado no rosto do morto, a fim de o envolver num casulo protetor de matéria perfumada e antibacteriana. Este processo era repetido em intervalos de quatro dias,” acrescenta a investigadora, citada pelo Phys.

Os procedimentos referidos no manuscrito batem certo com as múmias do mesmo período analisadas pelos cientistas. A maior parte do papiro, que é o segundo papiro médico mais antigo do Egito, é relacionado com fitoterapia e doenças de pele. Fitoterapia é o estudo das plantas medicinais e as suas aplicações na cura de doenças.

Daniel Costa Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …