Manifesto contra a venda dos CTT denuncia privatização “ruinosa”

Aline Flor / ZAP

foto: Aline Flor / ZAP

foto: AF / ZAP

A privatização dos correios portugueses (CTT) “é ruinosa” para o Estado e sem justificação, vão hoje dizer ao Governo mais de uma centena de ativistas e figuras públicas, através de um manifesto contra a venda da empresa pública.

Denominado, precisamente, “Manifesto contra a venda dos CTT”, o documento será entregue no Ministério da Economia pelo jornalista Daniel Oliveira, pela economista Eugénia Pires e pelos cineastas António-Pedro Vasconcelos e Margarida Gil.

O documento foi dinamizado pela Associação para a Taxação das Transações Financeiras e Ajuda dos Cidadãos (ATTAC Portugal) e tem mais de 100 assinaturas, de professores e escritores, arquitetos, cineastas, políticos e sindicalistas, para demonstrar que há “um conjunto alargado de setores sociais que estão contra a venda”, dizem os organizadores.

“O objetivo é um grupo de cidadãos portugueses oporem-se a uma venda que consideramos lesiva do interesse nacional e do Estado”, disse à agência Lusa Daniel Oliveira, acrescentando que, além de terem uma função fundamental de coesão nacional e soberania do país, os CTT são uma empresa que dá lucro e que numa década o Estado recebe em dividendos o mesmo que prevê receber na privatização.

Uma oferta pública de venda (OPV) dos CTT está já a decorrer até 2 de dezembro, no âmbito de um processo de privatização. Daniel Oliveira considerou que tal não impede que os cidadãos se manifestem e que o Governo entenda que as pessoas “não estão distraídas” perante uma privatização “inexplicável e inaceitável”.

É um negócio ruinoso para o Estado, não serve os interesses do país e não tem qualquer justificação plausível que não seja a estrita necessidade do momento de acertar contas e assim prejudicar o futuro do país”, disse Daniel Oliveira, lembrando que os CTT são das empresas com melhor imagem junto dos cidadãos e de referência em termos europeus.

Daniel Oliveira considerou errada a ideia de que o negócio postal esteja em decadência, disse que “são pouquíssimos os países que se aventuraram a ter um serviço postal privado” e deixou uma questão: “E quando o Estado já não tiver aeroportos, companhia aérea, banco? Não tem moeda, não tem autonomia fiscal, como é que nos vamos continuar a considerar um Estado? Com que instrumentos? Vamos cobrar impostos e ter prisões, é o que nos resta”.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Carlos Carreiras anuncia "vacina portuguesa" e causa mal-estar no Governo

O presidente da Câmara de Cascais afirmou que, "em completa articulação com o Governo", garantiu a compra e inclusive a cedência da patente de uma vacina para produzir na Área Metropolitana de Lisboa. Esta quarta-feira, num …

Pela primeira vez, Japão admite cancelar Jogos Olímpicos

O Japão admitiu pela primeira vez esta quinta-feira que o cancelamento dos Jogos Olímpicos, adiados desde o verão passado e com arranque marcado para 23 de julho, continua a ser uma hipótese em cima da …

Ataque de Sócrates ao PS é uma "tremenda injustiça". Costa não é um "traidor", diz Ana Catarina Mendes

A líder parlamentar do PS, Ana Catarina Mendes, criticou as declarações de José Sócrates que, em resposta a Fernando Medina, atacou a direção do partido. Em entrevista à TVI, na noite desta quarta-feira, José Sócrates respondeu …

Guardiola iguala recorde de Mourinho na Liga dos Campeões

Pep Guardiola igualou o recorde de presenças nas meias-finais da Liga dos Campeões. O espanhol tem agora as mesmas oito presenças de José Mourinho. Há muito tempo que Pep Guardiola enfrentava dificuldades nos quartos de final …

Responsável pela acusação da Operação Marquês fica fora da lista de promoções do MP

O procurador Rosário Teixeira, responsável pela acusação da Operação Marquês, não figura entre os candidatos da lista de promoções do Ministério Público — e já recorreu da decisão. O Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) aprovou …

Investigação a ligações entre PJ e Doyen só ouviu 2 testemunhas antes de ser arquivada

A investigação a alegadas ligações entre um inspetor da PJ e representantes da Doyen, foi arquivada após apenas terem sido ouvidas duas testemunhas. A denúncia sobre estas alegadas ligações chegou da então eurodeputada Ana Gomes. Foi …

Depois de Benfica e Sporting, Beto também interessa ao FC Porto

Depois do interesse de Benfica e Sporting, o FC Porto também está atento a Beto, o avançado do Portimonense que tem dado cartas esta temporada. Se pensava que esta ia ser uma corrida de dois cavalos …

Depois de uma emergência a contragosto, decidem-se as medidas para a 3.ª fase do desconfinamento

Esta quinta-feira, o Conselho de Ministros decide se o desconfinamento avança na próxima segunda-feira. Em causa está o avanço da terceira fase como previsto, a estagnação dos concelhos de maior risco na segunda fase ou …

"O culpado sou eu". Abel Ferreira perde Supertaça sul-americana nos penáltis

O Palmeiras, de Abel Ferreira, falhou na quarta-feira a conquista da Supertaça sul-americana de futebol, ao perder com o Defensa y Justicia no desempate por grandes penalidades (3-4), depois do desaire por 2-1 nos 120 …

Podem ter sido encontradas as pegadas de Neandertal mais antigas da Europa

Há cerca de 100 mil anos, uma grande família de Neandertais caminhou ao longo de uma praia naquilo que hoje é o sul de Espanha. Tal como qualquer criança que se preze, os mais novos …