Mamutes sofriam de doenças típicas dos humanos

-

Uma investigação feita a vestígios de mamutes que viveram há entre 12 mil a 13 mil anos, na Sibéria, revela que estes grandes animais sofriam de doenças típicas dos humanos ao nível dos ossos.

A análise da equipa do paleontólogo Sergey Leshchinskiy, chefe do Laboratório de Pesquisa da TSU – Universidade Estatal Tomsk, na Rússia, a ossos de mamutes revela que 42% das amostras mostraram sinais de doenças do sistema esquelético que são habituais nos humanos.

O dado é divulgado num comunicado da TSU que destaca que metade destes vestígios de mamutes, que viveram na zona da actual Yakut, república da Federação Russa, na Sibéria, apresentava “sinais de patologias sérias típicas do sistema esquelético humano“.

Na investigação, publicada no jornal Quaternary International, os investigadores realçam o facto de os vestígios dos mamutes estarem “perfeitamente preservados” graças à permafrost, a camada sub-superficial de solo que fica gelada durante todo o ano na Sibéria.

Neste tipo de ambiente, a decomposição dos tecidos ocorre muito lentamente, o que permitiu que a cartilagem de alguns ossos tenha sobrevivido, mesmo após milhares de anos.

Os ossos recuperados foram guardados em Berelyokh, local arqueológico situado no árctico siberiano e conhecido como o maior “reservatório” mundial de fauna destes grandes animais pré-históricos. Foram cobertos com sedimentos, abrigados de eventuais danos causados pelas condições meteorológicas e por predadores.

Assim, a equipa de Sergey Leshchinskiy conseguiu descobrir, a partir da análise aos ossos, duas patologias que nunca tinham sido antes detectadas em vestígios de mamutes.

A primeira delas é uma doença apelidada de “rato articular” ou “grão de arroz” em que “um fragmento de osso ou de tecido cartilaginoso está localizado de forma livre na cavidade da articulação”, conforme explica Sergei Leschinskiy citado na página da TSU.

“Esta patologia é, frequentemente, observada em humanos”, acrescenta o investigador, esclarecendo que “quando essa peça cai na cavidade articular, ocorre dor aguda“.

“Isto indica uma doença séria, por exemplo, necrose óssea subcondral. Um animal com tal maleita ficava restringido, em termos de movimento, e tornava-se, frequentemente, uma presa fácil para predadores“, frisa o paleontólogo.

A outra doença descrita pela primeira vez em mamutes é a abertura das secções transversais das vértebras cervicais.

“Na maioria dos casos, os mamutes revelam sinais de mudanças destrutivas, osteoporose, osteólise, osteofibrose, osteomalacia, doenças articulares e outras doenças causadas por desordens metabólicas por uma falta ou excesso de elementos macro e micro”, referem os investigadores.

Estes resultados vêm ao encontro da teoria dos paleontólogos da TSU para a causa da extinção dos mamutes, segundo a qual esta se deveu ao “stress geo-químico que surgiu devido à fome mineral ou devido a grandes mudanças ecológicas no planeta”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas explicam porque trabalhar à noite faz mal aos intestinos

As pessoas que trabalham à noite têm mais probabilidades de desenvolver inflamações intestinais, porque há células que contribuem para a saúde intestinal que deixam de receber informações vitais do cérebro, indica um estudo divulgado esta …

Marinha dos EUA admite que vídeos de OVNI's são verdadeiros (e não era suposto ninguém saber)

A Marinha dos EUA confirmou que imagens de OVNIs que surgiram nos últimos anos são reais e que nunca pretenderam que o vídeo fosse visto pelo público. As imagens que apareceram pela primeira vez online em …

O Pólo Norte vai ter um hotel de luxo (iluminado pelas auroras boreais)

https://vimeo.com/360873720 O hotel "mais a norte do mundo" só existirá durante um mês e o glamping de luxo será para muito poucos: o custo é de 95 mil euros por pessoa por três dias. Em 2020, o …

Whitney Houston vai regressar aos palcos (em holograma)

Whitney Houston vai "regressar" aos palcos, em formato holograma. Foi anunciada uma digressão da cantora por várias salas do Reino Unido, em 2020. Os planos para uma digressão de holograma de Whitney Houston têm sido discutidos …

Victor Vescovo diz que chegou ao ponto mais profundo dos oceanos. James Cameron não concorda

James Cameron levantou dúvidas sobre as recentes declarações de Victor Vescovo sobre ter quebrado o recorde do mergulho mais profundo no oceano, dizendo que o empresário não pode ter descido mais, uma vez que não …

Par de patinadores no gelo mais medalhado de sempre anuncia fim da carreira

Os canadianos Tessa Virtue e Scott Moir, o par de patinadores no gelo mais medalhado da história do olimpismo, anunciaram esta quarta-feira o fim da carreira. “Olá a todos. Temos novidades para todos os que nos …

Elon Musk é o líder mais inspirador da tecnologia da atualidade

Elon Musk foi nomeado o líder mais inspirador no setor da tecnologia, de acordo com um estudo publicado pela Hired, uma plataforma para contratação de pessoal em 14 cidades em todo o mundo. O estudo, chamado …

De portas abertas para quem precisa. Frigoríficos solidários crescem em Paris

A Cantina do 18.º bairro parisiense foi o primeiro espaço deste projeto solidário, inaugurado há dois anos. Atualmente existem 38 restaurantes em França que acolhem os frigoríficos solidários. Em dois anos, o projeto dos frigoríficos solidários …

Imigrante do Bangladesh em Itália encontra e devolve carteira com 2 mil euros

Mossan Rasal, um bangladeshiano de 23 anos que vive em Roma, encontrou na rua uma carteira com dois mil euros, documentos de identificação, cartões de crédito, carta de condução. Em vez de retirar o dinheiro e …

Austrália conclui que China foi responsável por ciberataque ao parlamento

A agência de inteligência cibernética da Austrália (ASD) concluiu que a China foi a responsável por um ataque informático, no início deste ano, contra o parlamento nacional. Os serviços de inteligência australianos (Australian Signals Directorate) concluíram …