Mamutes sofriam de doenças típicas dos humanos

-

Uma investigação feita a vestígios de mamutes que viveram há entre 12 mil a 13 mil anos, na Sibéria, revela que estes grandes animais sofriam de doenças típicas dos humanos ao nível dos ossos.

A análise da equipa do paleontólogo Sergey Leshchinskiy, chefe do Laboratório de Pesquisa da TSU – Universidade Estatal Tomsk, na Rússia, a ossos de mamutes revela que 42% das amostras mostraram sinais de doenças do sistema esquelético que são habituais nos humanos.

O dado é divulgado num comunicado da TSU que destaca que metade destes vestígios de mamutes, que viveram na zona da actual Yakut, república da Federação Russa, na Sibéria, apresentava “sinais de patologias sérias típicas do sistema esquelético humano“.

Na investigação, publicada no jornal Quaternary International, os investigadores realçam o facto de os vestígios dos mamutes estarem “perfeitamente preservados” graças à permafrost, a camada sub-superficial de solo que fica gelada durante todo o ano na Sibéria.

Neste tipo de ambiente, a decomposição dos tecidos ocorre muito lentamente, o que permitiu que a cartilagem de alguns ossos tenha sobrevivido, mesmo após milhares de anos.

Os ossos recuperados foram guardados em Berelyokh, local arqueológico situado no árctico siberiano e conhecido como o maior “reservatório” mundial de fauna destes grandes animais pré-históricos. Foram cobertos com sedimentos, abrigados de eventuais danos causados pelas condições meteorológicas e por predadores.

Assim, a equipa de Sergey Leshchinskiy conseguiu descobrir, a partir da análise aos ossos, duas patologias que nunca tinham sido antes detectadas em vestígios de mamutes.

A primeira delas é uma doença apelidada de “rato articular” ou “grão de arroz” em que “um fragmento de osso ou de tecido cartilaginoso está localizado de forma livre na cavidade da articulação”, conforme explica Sergei Leschinskiy citado na página da TSU.

“Esta patologia é, frequentemente, observada em humanos”, acrescenta o investigador, esclarecendo que “quando essa peça cai na cavidade articular, ocorre dor aguda“.

“Isto indica uma doença séria, por exemplo, necrose óssea subcondral. Um animal com tal maleita ficava restringido, em termos de movimento, e tornava-se, frequentemente, uma presa fácil para predadores“, frisa o paleontólogo.

A outra doença descrita pela primeira vez em mamutes é a abertura das secções transversais das vértebras cervicais.

“Na maioria dos casos, os mamutes revelam sinais de mudanças destrutivas, osteoporose, osteólise, osteofibrose, osteomalacia, doenças articulares e outras doenças causadas por desordens metabólicas por uma falta ou excesso de elementos macro e micro”, referem os investigadores.

Estes resultados vêm ao encontro da teoria dos paleontólogos da TSU para a causa da extinção dos mamutes, segundo a qual esta se deveu ao “stress geo-químico que surgiu devido à fome mineral ou devido a grandes mudanças ecológicas no planeta”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Comité da ONU preocupado com condições das prisões em Portugal

As condições de detenção, a sobrelotação das prisões, o alegado uso da força e outros abusos contra pessoas pertencentes a grupos raciais e étnicos são as principais preocupações do Comité da ONU contra a Tortura …

Cientistas identificaram organismo que prospera ao comer meteoritos

O micróbio Metallosphaera sedula tem uma propensão para comer minerais. E não estamos a falar de granito ou giz, mas de rochas muito mais especiais como meteoritos. Segundo o Science Alert, uma equipa internacional de cientistas …

Médicos estrangeiros em Portugal atingem o valor mais alto da última década

O número de médicos estrangeiros registados em Portugal atingiu, em 2019, o valor mais elevado da última década, situando-se em 4192, mais 9,1% face a 2009, revelam dados da Ordem dos Médicos (OM). A maioria dos …

O único carro-avião do mundo vai ser vendido em leilão

O Taylor Aerocar, aquele que é o único carro-avião legalizado em todo o mundo, vai a leilão no início do próximo ano. Este modelo da marca data do ano de 1954. Se é um apaixonado por …

Marcha pelo Clima. Polícia espanhola deteve duas pessoas com facas e martelos

A Polícia Nacional de Espanha deteve, na sexta-feira, duas pessoas que pretendiam perturbar a manifestação pelo clima em Madrid, tendo apreendido vários materiais, como facas e martelos. Um homem e uma mulher foram detidos e enviados …

Reflexão, ritual ou mundo idealizado. Um Natal sem filmes, não é Natal

Se é daquelas pessoas que passa a noite da Natal com uma chávena na mão, meias nos pés e um filme na televisão, saiba que não está sozinho. Nesta altura do ano, os filmes tornam-se …

Musk ilibado depois de ter chamado "pedófilo" a mergulhador no resgate da gruta da Tailândia

O magnata fundador da Tesla, Elon Musk, foi absolvido na sexta-feira no processo por difamação movido pelo espeleólogo britânico Vernon Unsworth, que alegava ter sido chamado de pedófilo. Após cerca de uma hora de deliberações, o …

Luzes nas redes de pesca? Os golfinhos e as tartarugas agradecem

A implementação de luzes nas redes de pesca reduz a probabilidade de tartarugas marinhas e de golfinhos serem apanhados por acidente. Luzes LED nas redes de pesca eliminariam a "captura acidental" de tartarugas marinhas em mais …

Presidente da República passa o fim de ano na ilha do Corvo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai passar a noite de 31 de dezembro para 1 de janeiro na ilha do Corvo, nos Açores, de onde será transmitida a sua mensagem de Ano …

O calor extremo está a fazer com que os bebés nasçam mais cedo

Investigadores descobriram que o calor extremo faz com que os bebés nasçam mais cedo. Tal como quase tudo neste mundo, as coisas só vão piorar com as alterações climáticas. Segundo o Science Alert, os dois investigadores …