Cientistas descobrem causas da extinção dos mamutes

Um grupo de cientistas norte-americanos diz que a razão para a extinção dos mamutes foi uma “explosão mutacional” – um aumento acentuado do número de mutações negativas no ADN provocado pela diminuição da espécie.

“Ficamos muito surpreendidos quando encontramos um grande número de mutações prejudiciais nos genomas de mamutes recentemente divulgados por colegas, e encontramos um número semelhante de mudanças negativas no ADN de outros mamutes da Ilha de Wrangel”, disse Rebekah Rogers, da Universidade da Califórnia em Berkeley.

“Esta degeneração rápida é coerente com a teoria que prevê uma forte redução da diversidade genética desses animais”, acrescentou a investigadora.

Até hoje, alguns cientistas acreditam que os mamutes se extinguiram devido às mudanças climáticas, enquanto que alguns paleontólogos defendem que a “contribuição” do homem levou ao desaparecimento desses animais gigantes na Ásia e América. Outros cientistas observaram também indícios de que estes animais poderiam ter morrido de sede.

Rebekah Rogers e o seu colega Montgomery Slatkin dizem ter ficado interessados nos indícios de degenerescência no ADN dos mamutes e decidiram ver a velocidade com que as mutações se acumularam nos últimos mil anos da sua existência na Terra.

No novo estudo, publicado na Biblioteca Pública de Ciência, os cientistas examinaram alguns fósseis de animais que viveram na época do auge de mamutes em Yakutia, na Sibéria, há cerca de 45 mil anos atrás, e de outros que viveram em Chukotka e na Ilha de Wrangel há 4,3 mil anos.

A ameaça secreta da extinção

Ao comparar os genomas dos mamutes uns com os outros, os cientistas observaram várias mutações prejudiciais — “quebras” de genes, genes com grandes áreas remotas do código genético e vários danos leves.

Assim, os especialistas concluíram que o genoma do mamute da ilha de Wrangel continha uma quantidade desproporcional de mutações que se acumularam mais do que era suposto.

Segundo os cientistas, os últimos mamutes da Terra perderam uma grande quantidade de recetores olfativos e os genes associados à síntese de vitaminas e outras moléculas vitais.

Além disso, o pelo dos animais ficou muito mais fino devido à perda do gene FOXQ1 – o que, nas condições polares da Ilha de Wrangel, significou uma maior dificuldade de resistência ao frio.

As peculiaridades na distribuição destas mutações revela que os mamutes sofreram uma espécie de “explosão mutacional” que acelerou a extinção de mamutes e levou à sua morte quando o clima da ilha de Wrangler começou a mudar.

“A população era demasiado pequena, e as más mutações que normalmente seriam eliminadas não foram removidas por causa da redução da espécie”, adiantou Rebekah Rogers.

Os especialistas dizem que, curiosamente, foram observados traços semelhantes no genoma de elefantes indianos, cujo número diminuiu nos últimos anos.

PARTILHAR

RESPONDER

Os animais começaram a fazer sons para poderem conversar no escuro

O reino animal está cheio de diferentes vocalizações. A produção sonora apareceu há entre 100 milhões e 200 milhões de anos e a sua origem está fortemente ligada à vida no escuro. Os vertebrados são animais …

O novo líder do CDS reclama uma nova direita (e quer um partido "sexy")

Francisco Rodrigues dos Santos sagrou-se este domingo o 10º presidente do CDS, reclamando no seu discurso de vitória a herança de todos os seus antecessores, desde o fundador, Freitas do Amaral, a Assunção Cristas. O tom …

Paços 0 - 2 Benfica | “Águia” não vacila e passa pressão

O Benfica foi a Paços de Ferreira vencer por 2-0, colocando pressão sobre o FC Porto, segundo classificado, que na próxima terça-feira recebe o Gil Vicente. A formação “encarnada” foi superior na maioria dos principais momentos …

Governo reabre processo para corrigir mapa das freguesias

O Governo reabriu o processo para a correção ao mapa de freguesias, num compromisso com as associações de municípios e de freguesias, anunciou o secretário de Estado da Descentralização e Administração Local, Jorge Botelho. “Iremos retomar …

Google cria modelo de cérebro mais detalhado (e com maior resolução) de sempre

A recriação 3D do cérebro de uma mosca da fruta - que mostra 20 milhões de sinapses e 25 mil neurónios - é a que tem a maior resolução até ao momento. Uma equipa de …

Morreu Kobe Bryant, uma das maiores estrelas de sempre da NBA

Kobe Bryant, um dos maiores basquetebolistas de sempre, morreu na manhã deste domingo em Calabasas, Califórnia, num desastre de helicóptero. De acordo com a TMZ, Bryant viajava com, pelo menos, três outras pessoas num helicóptero privado, …

Há seis queixas de violência policial por semana

Em Portugal, são apresentadas em média seis queixas semanais por violência policial, escreve o semanário Expresso na sua edição deste fim-de-semana, citando os dados mais recentes da Procuradoria-Geral da República. De acordo com os números, relativos …

CRISPR tornou galinhas resistentes a um vírus comum

A técnica de edição genética CRISPR tem sido usada para tornar as galinhas resistentes a um vírus comum, uma abordagem que poderia aumentar a produção de ovos e de carne em todo o mundo. Mesmo quando …

A Cybertruck de Musk poderá ser "incrivelmente barata" de produzir

A Cybertruck de Elon Musk, CEO da Tesla e da Space X, pode ser "incrivelmente barata" de produzir graças à sua inovadora tecnologia de carroçaria, afirmou um especialista em entrevista à Autoline Network. O engenheiro Sandy …

Novo estudo associa o burnout a uma consequência fatal

Uma nova investigação associa o burnout a um aumento de até 20% no risco de desenvolver fibrilhação auricular, a arritmia crónica mais frequente. O burnout é uma perturbação psicológica causada pelo stress excessivo devido a uma …