Maior central elétrica do país está há oito meses à espera de uma nova licença ambiental

A maior central elétrica do país está há oito meses à espera que a sua licença ambiental, essencial para que possa permanecer em operação, seja renovada.

Apesar da morosidade do procedimento, e de a licença original ter como prazo o dia 29 de abril, a EDP obteve da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) uma garantia de que poderá continuar a explorar a central termoelétrica de Sines ao abrigo da antiga licença.

O processo de renovação da licença ambiental, essencial para que a EDP mantenha o direito a operar aquela central a carvão, entrou esta segunda-feira em consulta pública, que decorrerá até 9 de agosto, sendo ainda incerto quando poderá a APA emitir uma decisão sobre o pedido da elétrica.

A legislação ambiental prevê que o pedido de renovação de uma licença seja feito com uma antecedência mínima de 75 dias, prazo que a EDP cumpriu. “O pedido para renovação da licença foi feito a 30 de outubro de 2018, seis meses antes do término da respetiva licença e dentro do prazo previsto legalmente”, esclareceu fonte oficial da empresa ao Expresso.

A elétrica acrescentou que “a APA enviou entretanto à EDP um ofício a confirmar que a anterior licença se mantém em vigor, nos mesmos termos, até que termine o processo de renovação em curso”.

O presidente da APA, Nuno Lacasta, confirmou ao jornal que está em vigor a licença atual, enquanto o processo de renovação não ficar concluído. Lacasta garantiu que esta renovação será feita em linha com as orientações de política energética e ambiental do Governo, nomeadamente garantindo que o mais tardar em 2029 Portugal deixará de produzir eletricidade a partir do carvão.

Segundo o presidente da APA, a morosidade na tramitação da renovação de Sines ficou a dever-se à acumulação de processos de licenciamento naquela agência. Nuno Lacasta acredita, porém, que após a consulta pública, o processo da termoelétrica será concluído rapidamente.

 

Com 1256 megawatts de potência, repartida por quatro grupos de geração alimentados a carvão, a central de Sines é a maior unidade de produção de eletricidade do país. Até 2016 beneficiou de um contrato de longo prazo para a venda da sua energia ao abrigo do regime CMEC – Custos para a Manutenção do Equilíbrio Contratual, passando desde então a comercializar a eletricidade no mercado, com preços variáveis.

O processo de renovação da licença ambiental de Sines chegou a ser equacionado pelo atual Governo como uma oportunidade negocial para o Estado no quadro dos diversos diferendos que o Governo mantém com a EDP. O Executivo poderia usar a seu favor o poder de renovar ou não a licença de Sines para garantir melhores resultados para o sistema elétrico na negociação dos dossiês que tem em aberto com a EDP.

A não renovação da licença de Sines, no entanto, poderá acarretar riscos significativos para o sistema elétrico, já que esta central é ainda a base de carga da nossa rede elétrica, dada a fiabilidade desta forma de produção.

EDP não pode encerrar central de Sines antes de 2030

O responsável pela Direção de Sustentabilidade do grupo EDP, António Martins Costa, garantiu, esta segunda-feira, que a central termoelétrica de Sines será encerrada até 2030, mas recusou uma antecipação, porque é preciso “alguma cautela”.

“A nossa central de Sines até 2030 vai ser encerrada”, disse, acrescentando que é preciso fazê-lo com cautela porque a central “garante a estabilização da rede elétrica em todo o país, e nomeadamente na zona sul”.

E depois, acrescentou, mesmo que a empresa encerrasse a central a carvão mais cedo, era preciso ir comprar energia a Espanha, que para isso teria de aumentar a produção das suas centrais a carvão e logo aumentar a emissão de gases com efeito de estufa.

Em maio, o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, anunciou ser intenção do Governo que a central do Pego deixe de produzir em 2022, mas admitiu que a de Sines poderia ir até perto de 2030.

O maior prazo de produção de Sines foi explicado pelo ministro com “razões de segurança de abastecimento”, nomeadamente o facto de o país precisar de garantir uma maior capacidade renovável que permita gerar eletricidade suficiente para fechar a central de Sines sem riscos de apagões.

O PNEC prevê que em 2030 Portugal terá 80% da sua eletricidade proveniente de renováveis e 20% de termoelétricas a gás natural.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Quase 40% dos americanos com dificuldades financeiras. Doar sangue é a sua maior receita

A economia dos Estados Unidos (EUA), considerada uma das maiores do mundo, permitiu avanços sociais e tecnológicos inestimáveis. Contudo, atualmente, cerca de 40% dos norte-americanos afirmam ter dificuldade em pagar por comida, por habitação, por …

"Políticos devem ser colocados contra a parede". Greta pede desculpa

A ativista do clima Greta Thunberg pediu desculpa por ter dito que os políticos devem ser colocados “contra a parede”, após diversas pessoas terem considerado que a jovem estava a defender a violência. A sueca de …

Carnaval belga retirado da lista de Património Imaterial da UNESCO após queixas de antissemitismo

As festas da cidade de Aalst, na Bélgica, foram retirada da lista do Património Imaterial da Humanidade, depois de a UNESCO ter sancionado a presença de carros carnavalescos contendo imagens antissemitas. O presidente da Câmara …

Conselho de Ministros aprova proposta de OE2020 (e foram quase 10 horas de reunião)

O Conselho de Ministros aprovou hoje a proposta de Orçamento do Estado para 2020, dez horas depois de a reunião extraordinária ter começado, anunciou hoje o primeiro-ministro na sua página na rede social Twitter. "O Conselho …

Nova espécie de baleia mostra como este animal evoluiu para conseguir nadar

Cientistas descobriram uma nova espécie de baleia, que existiu há 35 milhões de anos, que pode dar novas pistas sobre como as baleias evoluíram para conseguir nadar. De acordo com a revista Newsweek, os investigadores analisaram …

Casal separado após sobreviver a Auschwitz reencontra-se 72 anos depois em Nova Iorque

Em 1944, David Wisnia e Helen "Zippi" Spitzer eram dois prisioneiros judeus e secretamente namorados que, miraculosamente, conseguiram sobreviver ao campo de concentração nazi Auschwitz, na Polónia. Porém, no final da guerra, foram separados depois de …

Benfica 4-0 Famalicão | Pizzi entrega saco cheio de Natal

O Benfica terminou o seu ano de Liga NOS com mais uma vitória, de novo por 4-0, tal como havia acontecido na anterior partida no Estádio da Luz, ante o Marítimo. Desta vez frente ao …

Morreu o ator Danny Aiello

Morreu esta quinta-feira, em Nova Jérsia, o ator Danny Aiello, que recordamos pelos seus muitos êxitos dos anos 80. Tinha 86 anos. "É com profunda dor que comunicamos que Danny Aiello, amado marido, pai, avô, ator …

Videojogo chinês incita jogadores a atacar os "traidores" em Hong Kong

Há um novo videojogo que está a ganhar popularidade na China. Chama-se "Fight the Traitors Together" e permite que os jogadores ataquem manifestantes de Hong Kong. No jogo, os jogadores podem bater nos manifestantes pró-democracia, sendo …

Mundial de Clubes proíbe demonstrações públicas de afeto

Começou na passada quarta-feira, dia 11 de dezembro, em Doha, capital do Catar, o Mundial de Clubes da FIFA, prova onde estão inseridos clubes como Flamengo e Liverpool. E esta até poderia ser mais uma …