Maior central elétrica do país está há oito meses à espera de uma nova licença ambiental

A maior central elétrica do país está há oito meses à espera que a sua licença ambiental, essencial para que possa permanecer em operação, seja renovada.

Apesar da morosidade do procedimento, e de a licença original ter como prazo o dia 29 de abril, a EDP obteve da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) uma garantia de que poderá continuar a explorar a central termoelétrica de Sines ao abrigo da antiga licença.

O processo de renovação da licença ambiental, essencial para que a EDP mantenha o direito a operar aquela central a carvão, entrou esta segunda-feira em consulta pública, que decorrerá até 9 de agosto, sendo ainda incerto quando poderá a APA emitir uma decisão sobre o pedido da elétrica.

A legislação ambiental prevê que o pedido de renovação de uma licença seja feito com uma antecedência mínima de 75 dias, prazo que a EDP cumpriu. “O pedido para renovação da licença foi feito a 30 de outubro de 2018, seis meses antes do término da respetiva licença e dentro do prazo previsto legalmente”, esclareceu fonte oficial da empresa ao Expresso.

A elétrica acrescentou que “a APA enviou entretanto à EDP um ofício a confirmar que a anterior licença se mantém em vigor, nos mesmos termos, até que termine o processo de renovação em curso”.

O presidente da APA, Nuno Lacasta, confirmou ao jornal que está em vigor a licença atual, enquanto o processo de renovação não ficar concluído. Lacasta garantiu que esta renovação será feita em linha com as orientações de política energética e ambiental do Governo, nomeadamente garantindo que o mais tardar em 2029 Portugal deixará de produzir eletricidade a partir do carvão.

Segundo o presidente da APA, a morosidade na tramitação da renovação de Sines ficou a dever-se à acumulação de processos de licenciamento naquela agência. Nuno Lacasta acredita, porém, que após a consulta pública, o processo da termoelétrica será concluído rapidamente.

 

Com 1256 megawatts de potência, repartida por quatro grupos de geração alimentados a carvão, a central de Sines é a maior unidade de produção de eletricidade do país. Até 2016 beneficiou de um contrato de longo prazo para a venda da sua energia ao abrigo do regime CMEC – Custos para a Manutenção do Equilíbrio Contratual, passando desde então a comercializar a eletricidade no mercado, com preços variáveis.

O processo de renovação da licença ambiental de Sines chegou a ser equacionado pelo atual Governo como uma oportunidade negocial para o Estado no quadro dos diversos diferendos que o Governo mantém com a EDP. O Executivo poderia usar a seu favor o poder de renovar ou não a licença de Sines para garantir melhores resultados para o sistema elétrico na negociação dos dossiês que tem em aberto com a EDP.

A não renovação da licença de Sines, no entanto, poderá acarretar riscos significativos para o sistema elétrico, já que esta central é ainda a base de carga da nossa rede elétrica, dada a fiabilidade desta forma de produção.

EDP não pode encerrar central de Sines antes de 2030

O responsável pela Direção de Sustentabilidade do grupo EDP, António Martins Costa, garantiu, esta segunda-feira, que a central termoelétrica de Sines será encerrada até 2030, mas recusou uma antecipação, porque é preciso “alguma cautela”.

“A nossa central de Sines até 2030 vai ser encerrada”, disse, acrescentando que é preciso fazê-lo com cautela porque a central “garante a estabilização da rede elétrica em todo o país, e nomeadamente na zona sul”.

E depois, acrescentou, mesmo que a empresa encerrasse a central a carvão mais cedo, era preciso ir comprar energia a Espanha, que para isso teria de aumentar a produção das suas centrais a carvão e logo aumentar a emissão de gases com efeito de estufa.

Em maio, o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, anunciou ser intenção do Governo que a central do Pego deixe de produzir em 2022, mas admitiu que a de Sines poderia ir até perto de 2030.

O maior prazo de produção de Sines foi explicado pelo ministro com “razões de segurança de abastecimento”, nomeadamente o facto de o país precisar de garantir uma maior capacidade renovável que permita gerar eletricidade suficiente para fechar a central de Sines sem riscos de apagões.

O PNEC prevê que em 2030 Portugal terá 80% da sua eletricidade proveniente de renováveis e 20% de termoelétricas a gás natural.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Príncipe italiano vende massa fresca numa roulote nos Estados Unidos

O príncipe italiano Emanuele Filiberto é dono da "Princípe de Veneza", a única roulote que vende massa fresca em Los Angeles, nos Estados Unidos. Harry e Meghan Markle podem bem pôr os olhos neste exemplo de …

Há 140 anos, "choveu" carne nos Estados Unidos (e ainda não se sabe porquê)

Há 140 anos, em 1876, uma quinta no estado norte-americano de Kentucky testemunhou uma "chuva" de carne cuja origem permanece um mistério. Tudo começou quando, em 3 de março de 1876, a mulher do agricultor Allen …

"Posso sempre confiar" nos americanos. Coleção de cartas manuscritas da princesa Diana vai a leilão

Em 25 de junho de 1997, alguns meses antes da morte da princesa Diana em agosto, dezenas dos seus vestidos foram leiloados na Christie's, em Nova Iorque. Agora, algumas das suas cartas manuscritas sobre esse …

Governos desligaram a Internet centenas de vezes em 2019

Dezenas de Governos de todo o mundo desligaram os seus países da Internet de forma intencional mais de 200 vezes durante o ano passado, afetando milhões de utilizadores, revela um novo relatório do grupo de …

Falha de protocolo do Governo americano pode ter ajudado a espalhar o coronavírus

Uma whistleblower do Departamento de Saúde e Serviços Humanos norte-americano defende que uma falha no protocolo de saúde pública pode ter levado à disseminação do coronavírus dentro do país. Uma denunciante do Departamento de Saúde e …

Coronavírus pode fazer com que Liverpool não seja campeão inglês

O Liverpool pode não se sagrar campeão inglês devido ao surto do novo coronavírus. Caso o Governo britânico suspendesse a competição, os 'reds' poderiam não ser considerados campeões. O coronavírus continua a ameaçar o mundo inteiro …

Sissoco Embaló demite primeiro-ministro e ambos falam em "golpe de Estado"

Umaro Sissoco Embaló, candidato às presidenciais dado como vencedor pela Comissão Nacional de Eleições da Guiné- Bissau, e que quinta-feira tomou posse simbolicamente como Presidente do país, demitiu hoje o primeiro-ministro guineense, Aristides Gomes. Num decreto …

"Neve sangrenta" está a cair do céu na Antártida

Nas últimas semanas, o gelo em redor da Base de Pesquisa Vernadsky da Ucrânia foi revestida com o que os investigadores chamam de "neve de framboesa". Uma publicação no Facebook do Ministério da Educação e Ciência …

Face Oculta: Sobrinho de Manuel Godinho diz que não se orgulha do que fez

O sobrinho do sucateiro Manuel Godinho, principal arguido do processo Face Oculta, disse hoje estar arrependido do que fez quando trabalhava para o tio nos negócios da gestão de resíduos. “Não me orgulho nada daquilo que …

Há uma "Greta" que nega as alterações climáticas: Naomi Seibt

Naomi Seibt é uma jovem alemã de 19 anos que é a voz dos negacionistas das alterações climáticas. As comparações com Greta Thunberg são inevitáveis. Greta Thunberg tem sido provavelmente a voz mais ativa no que …