/

“Máfia” dos Comandos começou com uma mulher e chega a pastor evangélico. Costa “irritado” com Cravinho

7

(dr) Exército Português

A rede de tráfico dos Comandos terá começado com uma mulher misteriosa, mas os seus tentáculos são internacionais e chegam até a um pastor evangélico que ajudaria a “lavar” o dinheiro. Enquanto a justiça segue o seu curso, a política vive a turbulência do silêncio do ministro da Defesa sobre o caso, o que terá deixado António Costa “profundamente irritado”.

O esquema de tráfico de diamantes, ouro e droga que foi iniciado na República Centro-Africana (RCA) por militares portugueses dos Comandos, colocados no país no âmbito de missões da ONU, continua a fazer mossa política à imagem do ministro da Defesa.

João Gomes Cravinho não informou o Presidente da República, nem o primeiro-ministro da investigação. António Costa só soube pelos jornalistas, o que o deixou “profundamente irritado”, como apurou o Expresso.

O semanário realça que Cravinho é cada vez menos popular no seio do PS. “Nem Azeredo Lopes cometia um erro tão básico” de não avisar Costa, nem Marcelo, dir-se-á nos corredores do PS, segundo o mesmo jornal.

Em Belém, Marcelo está a lidar com o caso com “caldos de galinha”, embora tenha encarado o comportamento do ministro como uma “leveza institucional”, segundo refere o Expresso. Mas o Presidente da República “não vai dramatizar” o caso, como disse ao jornal uma fonte de Belém.

Note-se que, recentemente, Marcelo desautorizou o ministro da Defesa no âmbito da tentativa de exoneração do chefe do Estado-Maior da Armada (CEMA) por também não ter sido informado.

“A Máfia” nasceu à beira de uma piscina na RCA

Entretanto, há novos dados sobre a rede de tráfico dos Comandos que dão conta da dimensão do esquema alegadamente montado pelo ex-Comando Paulo Nazaré que tem 20 e poucos anos.

“Vários militares que estiveram na RCA” relataram ao Expresso que o ex-militar que está detido, no âmbito das suspeitas, terá sido aliciado para o tráfico por uma mulher “mais velha, sofisticada”, que terá conhecido na piscina de um hotel de cinco estrelas na capital daquele país.

Tudo terá começado em Janeiro de 2018 quando Nazaré integrava a 2ª Força Nacional Destacada (FND) na RCA. Foi a única missão do ex-Comando naquele país e terá sido suficiente para criar “A Máfia”, o nome que o próprio Nazaré daria à rede de tráfico, segundo o Expresso.

Nazaré terá desenvolvido “uma ligação amorosa” com essa mulher misteriosa e ter-lhe-á prestado também “serviços de segurança privada em viagens pelo mundo” já depois de ter deixado os Comandos.

Entretanto, controlaria “A Máfia” através da Internet e de videochamadas, uma vez que não voltou a pisar solo da RCA.

“A Máfia” tem ramificações internacionais, com “actividade em Portugal, Brasil, Angola, Dubai e Bélgica“, como nota o Expresso, salientando que a rede de pessoas implicadas funcionava em “grupos organizados por crimes”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

E quanto a crimes, há para todos os gostos, desde tráfico de diamantes e ouro a branqueamento de capitais, passando por tráfico de droga e moeda falsa, entre outros.

O Expresso fala ainda de burlas informáticas com e-mails fraudulentos que terão levado à retirada de milhares de euros de contas do Novo Banco e BCP. “Em apenas um dia, seis clientes ficaram sem mais de 20 mil euros”, conta o jornal.

Pastor evangélico, sogro e namoradas implicadas

“A Máfia” também envolve empresas que aceitavam “a realização de contratos fictícios, de compra e venda ou prestação de serviços, e o uso das suas contas para receber e transferir elevadas somas de dinheiro”, aponta o mesmo semanário.

Entre empresas de construção civil e de alimentação, há um restaurante de sushi, um stand de automóveis, uma discoteca e até uma igreja evangélica, “cujo pastor ganhava 5% do dinheiro lavado nas contas do templo”, frisa o Expresso.

O núcleo duro da rede seria constituído por ex-Comandos e Comandos, nomeadamente três capitães, dois majores e um sargento ainda no activo. Mas estão também implicados elementos da GNR e da PSP, bem como funcionários bancários, advogados e dezenas de “mulas” com contas bancárias.

A SIC Notícias adianta que o sogro de um dos militares envolvidos na “Máfia” está a ser investigado por suspeitas de que usou contas bancárias de duas empresas de que era administrador para movimentar o dinheiro sujo. As autoridades estarão a investigar em particular duas contas na Caixa de Crédito Agrícola de Bragança.

E o Correio da Manhã refere ainda que os suspeitos também usavam as namoradas para “lavar” o dinheiro do tráfico.

Paulo Nazaré já foi presente ao juiz de instrução criminal Carlos Alexandre, mas recusou-se a responder às perguntas, tal como o seu alegado braço-direito na “Máfia”, Wilker Rodrigues, um cidadão brasileiro, também detido.

A investigação começou em 2020 com a denúncia de um intérprete da missão portuguesa na RCA, identificado como Samuel. Este terá servido de intermediário num dos primeiros negócios de tráfico de diamantes de Nazaré e pretendia receber uma comissão por essa intervenção. Mas como não recebeu a sua parte, conforme combinado, acabou por denunciar o caso à Polícia Judiciária Militar (PJM).

  ZAP //

7 Comments

  1. Vergonha Nacional!
    Está aí um novo escândalo, este no seio judiciário, todos sabem, todos encobriram, MP, CSMP, CSM.
    Sentença judicial viciada com identidade falsificada de juiz….
    E diz o Presidente da República que não comenta processos judiciais, afinal quem é a autoridade suprema da Nação!?

    • Totalmente de acordo, com o teor das suas explícitas palavras. Este nosso Presidente é um Político Nato( puta velha), permita -me a expressão. Só dá ênfase ao que lhe convém, assim como, o Trágico fogo de Pedrógão, no que dizia respeito à Ministra em questão, na altura. Enfim, um atirar de areia, para os olhos dos Portugueses….
      É cá uma cambada, que valha-nos Deus, sinceramente!

  2. Entao se ficou “profundamente irritado” porque nao o demitiu?
    Se fosse verdade ja teria demitido o “sempre em pé”…! Tal como demitia agora a pretensa sucessora que destratou os médicos…
    Se se irritasse sériamente, ja se tinha demitido depois de demitir a numerosa familia que o redeia.
    Vergonha de politiqueiros que nos desgoverna á custa do voto dos subsidiodependentes, em prol dos corruptos magnatas do “garganhol”, como espiritos de santo, arrendadeiros, e outros bandalhos que tal.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.