Maduro disponível para antecipar eleições legislativas, mas não presidenciais

jeso.carneiro / Flickr

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro

O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, disse esta quarta-feira ser a favor de eleições legislativas antecipadas para acabar com a crise política do país, mas recusou a hipóteses de novo escrutínio presidencial.

“Seria muito bom realizar eleições parlamentares mais cedo, seria uma boa forma de discussão política, uma boa solução pelo voto popular”, disse Maduro em declarações à agência de notícias estatal russa RIA Novosti, no dia em que estão previstos protestos convocados por Juan Gaidó.

Maduro, contudo, rejeita a hipótese de uma nova eleição presidencial. “As eleições presidenciais ocorreram há menos de um ano, há dez meses”, sublinhou.

“Não aceitamos os ultimatos de ninguém no mundo, não aceitamos chantagens. As eleições presidenciais tiveram lugar na Venezuela e, se os imperialistas querem novas eleições, devem esperar por 2025”, avisou o Chefe de Estado venezuelano.

O Presidente da Venezuela reiterou ainda a sua vontade de dialogar com a oposição e que as negociações podem ser mediadas por outros países.

As declarações de Nicolás Maduro à agência noticiosa estatal russa surgem em plena crise política, que se agravou em 23 de janeiro, quando o líder da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, se autoproclamou Presidente da República interino e declarou que assumia os poderes executivos de Nicolás Maduro.

Maduro disse à RIA Novosti que está “disposto a sentar-se para conversar com a oposição em prol da paz e do futuro da Venezuela”. A Rússia é um dos países que apoiam Maduro e que se ofereceu para mediar o conflito.

Supremo congelou contas de Guaidó

Também nesta quarta-feira, o Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela (STJ) proibiu Juan Guaidó, de sair do país, de alienar e hipotecar as propriedades, e bloqueou as suas contas em território venezuelano. As medidas foram anunciadas através do Twitter pelo presidente do STJ, Maikel Moreno.

“A sessão plenária decretou as seguintes medidas cautelares contra Juan Gerardo Guaidó Marques: proibição de saída do país sem autorização, proibição de alienar e hipotecar bens da sua propriedade e bloqueio e imobilização das suas contas bancárias e/ou quaisquer outros instrumentos financeiros no território venezuelano”, lê-se na publicação.

Segundo Maikel Moreno, as medidas vigoram “até que termine uma investigação”.

A decisão do STJ tem lugar horas depois de o procurador-geral designado pela Assembleia Constituinte (composta unicamente por simpatizantes do regime do chefe de Estado venezuelano), Tarek William Saab, ter pedido ao STJ para proibir Guiadó, de deixar o país e para congelar as suas contas bancárias.

Juan Guaidó já reagiu, também no Twitter, e, dirigindo-se aos responsáveis do Supremo Tribunal de Justiça, afirmou que o “regime está na sua etapa final”. O opositor de Maduro pediu aos juízes do Supremo para pensarem na “carreira, no futuro dos filhos e dos netos”, quando tomassem uma decisão sobre o pedido de Saab.

“Este processo é imparável”, escreveu Guaidó, referindo-se ao processo de queda de regime que está a tentar realizar, como presidente da Assembleia Nacional.

Guaidó pede mais sanções à União Europeia

Também nesta quarta-feira, e em entrevista ao diário alemão Bild, o autoproclamado Presidente da Venezuela pediu mais sanções da União Europeia contra o regime de Maduro. “Estamos numa ditadura e deve haver pressão”, disse Juan Guaidó, denunciando um regime “absolutamente corrupto”.

“Precisamos de mais sanções da União Europeia, conforme decidido pelos Estados Unidos”, insistiu o parlamentar de direita.

Guaidó manifestou-se também alarmado com a repressão do regime de Maduro, afirmando que “700 pessoas foram presas durante manifestações somente nas últimas semanas” e que “há 300 presos políticos nas prisões”.

Na entrevista, Juan Guaidó deixou a entender que ele mesmo se considera em perigo: “Todos nós vivemos sob a ameaça de prisão ou mesmo de assassinato, mas isso não nos impede de assumir as nossas responsabilidades”.

A oposição venezuelana manifesta-se esta quarta-feira para tentar convencer o exército a virar as costas para o presidente Nicolás Maduro e reconhecer em seu lugar o adversário Juan Guaidó, impulsionado pelo crescente apoio internacional.

Guaidó pede ainda à população que tome as ruas das 12:00 às 14:00 (16:00 às 18:00 em Lisboa) para paralisar o país, batendo panelas ou segurando cartazes.

Espanha, França, Alemanha e Reino Unido deram a Nicolás Maduro oito dias para convocar eleições e dizem que, se tal não acontecer, reconhecerão Juan Guaidó como “Presidente” da Venezuela para que possa organizar o escrutínio.

ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Turista danifica escultura do século XIX enquanto posa para fotografia (e é apanhado pelas câmaras de vigilância)

A polícia italiana identificou um austríaco de 50 anos que danificou uma estátua do século XIX num museu em Itália, enquanto posava para uma fotografia. O incidente ocorreu no passado dia 31 de junho, segundo …

Covid-19: Brasil supera as 100.000 mortes

O Brasil ultrapassou hoje a barreira das 100.000 mortes associadas à covid-19, quase cinco meses depois da confirmação do primeiro óbito no país, indicam dados oficiais divulgados pelas secretarias regionais de Saúde. Segundo os mais recentes …

As vacas leiteiras têm relações complexas (que se alteram quando mudam de grupo)

Uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Chile e dos Estados Unidos concluiu que as vacas leiteiras vivem em redes sociais complexas que se alteram quando estes animais são movidos para outros grupos.  Para …

Virgin Galactic quer desenvolver avião comercial supersónico (que promete superar a velocidade do som)

A Virgin Galactic vai aliar-se à Rolls-Royce para criar um avião comercial supersónico, ainda mais rápido do que o mítico Concorde. A empresa de turismo espacial Virgin Galactic anunciou uma parceria com a Rolls-Royce para desenvolver …

PayPal resiste à pandemia. Volume de pagamentos cresce 30% no segundo trimestre

O volume de pagamentos através do PayPal cresceu 30% no segundo trimestre. A empresa parece resistir à pandemia de covid-19, que abalou o setor das viagens, cujos pagamentos estão muitas vezes associados a meios eletrónicos. …

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de beberem desinfetante para as mãos

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de ingerirem desinfetante para as mãos à base de álcool, revelou um relatório do Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) do país esta quarta-feira publicado. De …

Jim Hackett deixa a Ford após três anos de liderança

Ao fim de três anos como CEO da Ford, Jim Hackett será substituído por Jim Farley. Um mandato que fica marcado por problemas financeiros, de produção e pela morte dos três volumes e utilitários. O mandato …

Covid-19: Portugal tem mais 186 casos e quatro pessoas morreram desde sexta-feira

Portugal regista hoje mais quatro mortos e 186 novos casos de infeção por covid-19 em relação a sexta-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. De acordo com o relatório da DGS sobre a situação …

Versão americana da Eurovisão chega em 2021

O Festival Eurovisão da Canção — o maior espetáculo de entretenimento televisivo do mundo — vai chegar aos Estados Unidos no final do próximo ano. A novidade foi divulgada, esta sexta-feira (7), em comunicado oficial. A …

Contratações na TVI após apoios financeiros "suscitam preocupação"

O professor universitário e ex-ministro Miguel Poiares Maduro manifestou "preocupação" relativamente às contratações na TVI, da Media Capital, grupo que beneficia do apoio do Estado, através da compra antecipada de publicidade institucional. Em entrevista à Lusa, …