Área Metropolitana de Lisboa autoriza aumento da oferta nos transportes públicos

A Área Metropolitana de Lisboa está a autorizar as operadoras de transportes a aumentar os horários para responderem às queixas de utentes e ao aumento da procura que os novos passes estão a criar desde abril.

A informação foi prestada esta sexta-feira à agência Lusa pelo secretário executivo da Área Metropolitana de Lisboa (AML), Carlos Humberto. “Estamos a passar as autorizações que nos pedem [de novos horários] onde temos sentido aumento da procura” pelo transporte público, afirmou Carlos Humberto.

Entre setembro de 2018 e setembro de 2019, aumentou em 150 mil o número de passageiros dos transportes públicos em toda a área Metropolitana de Lisboa.

Mafra, Montijo, Setúbal e Palmela são os concelhos onde “esse crescimento é mais significativo” e onde as operadoras de transportes têm tido mais dificuldade em responder a esse aumento de procura, indicou o responsável.

Os montantes que as operadoras estão a receber da AML para as compensar da redução no valor dos passes, e que foram calculados de acordo com o aumento da inflação e de acordo com uma estimativa de aumento de 15% na procura dos passes mensais, “foram claramente ultrapassados para os 25,5%”, acrescentou.

Sem conseguir antecipar esse aumento da procura, as operadoras têm vindo a fazer “desdobramentos” de horários, com a saída, para o mesmo horário, de mais do que um autocarro, no caso dos transportes rodoviários. “Estamos disponíveis a transformar esses desdobramentos em horários fixos”, afirmou Carlos Humberto.

Para fazer face ao aumento, a AML já aumentou em mais 1% o financiamento às operadoras e “está disponível para distribuir parte das receitas dos passes e pagar aos operadores em função do aumento da procura, que já não é uma expectativa, mas uma realidade”, disse.

Fazem parte da Área Metropolitana de Lisboa os concelhos de Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.

Em Mafra, os utentes das carreiras Mafra/Lisboa já subscreveram uma petição contra autocarros lotados e a pedir o reforço da oferta para fazer face ao aumento da procura após a redução do valor dos passes mensais.

O “autocarro e respetivo desdobramento, juntos, não conseguem transportar todos os passageiros” que ficam a aguardar nas paragens pelo transporte seguinte, refere a petição. Muitos passageiros estão a chegar tarde a Lisboa, quer para trabalhar ou estudar.

Segundo o diretor da Mafrense, Nuno do Carmo, os dados apontam para um aumento de passageiros de 100% na Ericeira e de 60% na Malveira e na Venda do Pinheiro, por comparação com há um ano.

Na sequência das queixas, os vereadores do PS em Mafra reuniram-se com o Grupo Barraqueiro e vão solicitar uma reunião à AML para pedir soluções.

O Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos (PART) introduziu na AML e na Área Metropolitana do Porto um novo passe único, que entrou em vigor em abril, permitindo combinar viagens num único título que custa 30 euros se for de âmbito municipal e 40 euros no caso de abrangência metropolitana.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Este ano não há São João nem Santo António. Festas populares canceladas em Lisboa e Porto

As Câmaras Municipais de Lisboa e do Porto resolveram cancelar as festividades de Santo António e de são João, respectivamente, por causa da pandemia de Covid-19. As marchas populares só voltam no próximo ano, com …

Sem ajudas do Governo, "não sei se os grandes vão continuar a ser grandes"

"É complicado encontrar soluções", assume o presidente do Marítimo numa altura em que o futebol está parado por causa da pandemia de Covid-19. A situação é "aflitiva" para muitos clubes, diz Carlos Pereira que acredita …

Governo dá tolerância de ponto nos dias 9 e 13 de abril

O primeiro-ministro assinou um despacho a conceder tolerância de ponto nos próximos dias 9 e 13, no período da Páscoa, a todos os trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado. “É …

Depois do papel higiénico, vendas de snacks e bebidas alcoólicas disparam

A Associação Espanhola de Supermercados fez um estudo sobre as alterações de consumo desde que foi decretado o estado de emergência. A procura por papel higiénico disparou meados de março, mas os produtos mais procurados …

Bloco quer proibir banca de distribuir lucros (e pede ajuda ao PSD)

O Bloco de Esquerda quer proibir os bancos de distribuírem dividendos em 2020 e pede ajuda ao PSD para o conseguir. Em videoconferência, Mariana Mortágua lançou um desafio ao líder social-democrata. O Bloco de Esquerda anunciou …

Ordens duvidam dos números de infetados (e admitem fazer o seu próprio levantamento)

Segundo os números anunciados na quarta-feira, havia 1.124 profissionais de saúde e oito deles estavam internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). Mas estes números não convencem as Ordens. De acordo com o Observador, o bastonário …

Europa tem que ser o seu "próprio Plano Marshall". Centeno defende solução sem o "estigma" da austeridade

Mário Centeno continua a incentivar uma solução conjunta assente na ideia da solidariedade europeia perante "uma crise inesperada e sem precedentes" devido à pandemia de Covid-19. Como presidente do Eurogrupo, o ministro das Finanças de …

Há mais de 10 mil infetados em Portugal. DGS vai fazer testes de imunidade à população

O boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde deste sábado regista 10.524 casos de infeção por covid-19 em Portugal. Há mais 20 mortes, num total de 266 óbitos. Nas últimas 24 horas, até à meia-noite, foram registados …

Quase meio milhão de portugueses estão em lay-off. "Sistema é errado", diz Francisco Louçã

Uma semana depois de o Governo ter aberto a porta ao lay-off simplificado, mais de 22 mil empresas já recorreram a este novo regime. Atualmente, há 425.287 trabalhadores nessa situação. Francisco Louçã considera este sistema …

Costa "chocado" com caso da morte no aeroporto. Enfermeira, médico e polícias também investigados

Além dos três inspectores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que são suspeitos de terem agredido um cidadão ucraniano, que acabou por morrer, também há outros elementos do SEF, um médicos e uma enfermeira, …