/

Abominável (e falso) Homem das Neves. Líder russo usou Yeti para atrair turistas para a Sibéria

Um dos líderes regionais mais antigos de Vladimir Putin confessou ter encenado avistamentos falsos de Yetis numa tentativa de encorajar o turismo na Sibéria.

Aman Tuleev, um dos líderes regionais de longa data do Presidente russo Vladimir Putin, admitiu ter organizado falsos avistamentos de Yetis para atrair turistas à Sibéria, alimentando assim o mito antiquado do Abominável Homem das Neves.

De acordo com o The Sun, Tuleev, que foi governador de Kemerovo de 1997 a 2018, mandou um burocrata vestir um fato do Abominável Homem das Neves para que pudesse ser visto nos arbustos, com o objetivo de surpreender os visitantes e fanáticos do Yeti.

“Tenho de admitir. Sim, fui eu quem despertou o interesse pelo Yeti”, reconheceu o político de 76 anos, que até chegou a organizar o Dia do Yeti, programado para coincidir com a abertura da temporada de esqui nas montanhas Shoria.

Entusiastas de todo o mundo visitaram a região e foi até realizada uma conferência internacional sobre a criatura. Mas tudo isto não passava de um esquema para impulsionar o setor do turismo da região.

“As pessoas começaram a chegar, correram para vasculhar as florestas”, contou o ex-candidato presidencial russo. “Claro, nunca ninguém encontrou o Yeti, mas Shoria atraiu cada vez mais atenção.”

Ainda hoje, Aman Tuleev continua a propagar a lenda urbana: “Ninguém encontrou o Yeti, mas não devemos desesperar. Talvez esteja realmente a vaguear por aí”, disse.

Vários relatos sobre a misteriosa criatura “circulavam há muito tempo” em Kemerovo, afirmou o ex-governante, mas nenhum avistamento foi provado.

Em 2016, um homem que conduzia numa estrada russa ficou paralisado de medo depois de um suposto Yeti ter atravessado à frente do automóvel. A criatura foi capturada por uma câmara: via-se a imagem de uma figura encurvada, que se escondeu enquanto o motorista descia uma estrada com neve.

Tão rápido quanto apareceu, a criatura esvaiu-se na escuridão da noite – e as teorias do Yeti continuaram a reinar.

  Liliana Malainho, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.