Depois dos lesados do BES, protestam os “lesados pelos javalis”

Os “lesados pelos javalis”, como se auto-denominam agricultores de vários municípios da região Centro cujas plantações têm sido destruídas por estes animais selvagens, manifestaram-se em Coimbra, para exigir ao Estado indemnizações pelos prejuízos.

Num movimento que faz uma referência directa aos lesados do BES, que têm realizado vários protestos, agricultores que se sentem prejudicados pelos javalis organizaram uma manifestação nesta quarta-feira, 17 de Abril, junto às instalações da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro, em Coimbra.

Após intervenções de dirigentes da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), uma delegação dos manifestantes entregou ao director regional, Fernando Martins, uma exposição em que reclamam do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural uma “resposta favorável” no prazo de um mês.

Os agricultores também entregaram a este responsável um abaixo-assinado, onde exigem “ser ressarcidos dos prejuízos na agricultura provocados por animais”. O documento reúne cerca de 300 signatários, segundo Isménio Oliveira da Associação Distrital dos Agricultores de Coimbra (ADACO), associada da CNA.

“Estes animais, sobretudo os javalis, estão a destruir as culturas agrícolas de centenas de explorações”, disse aos jornalistas o dirigente da CNA João Dinis.

Os produtores “não são inimigos dos veados, javalis e corças, nem dos caçadores”, mas recusam ser “obrigados a ter de alimentar” os animais, acentuou o dirigente, frisando que cabe ao Estado ressarcir os agricultores.

“Há populações destes animais fora de controlo em certas regiões”, segundo os manifestantes que pedem a intervenção do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, do Ministério da Agricultura e do Governo.

João Dinis considerou ainda que “até o Presidente da República“, Marcelo Rebelo de Sousa, “que anda sempre a deslocar-se pelo interior, pode ter uma palavra” para que o problema seja resolvido.

Fica ainda o alerta de que há “o perigo real de se precipitarem problemas graves” na sanidade de animais domésticos, como os porcos, “com destaque para a peste suína africana, a partir dos javalis”.

Deste modo, os manifestantes exigem “o controlo da densidade, capacidade reprodutiva e mobilidade das populações destes animais selvagens”, com elaboração “urgente, mas participada”, de planos públicos de contingência.

Na organização da manifestação, estiveram igualmente envolvidas a União dos Agricultores do Distrito de Leiria e a Associação dos Baldios e Agricultores da Região de Viseu.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Claro o estado é que é responsável pelos javalis selvagens e portanto vamos extorquir o estado!Acho que já chega não!

    • Mas é mesmo! É o Estado que incentiva a espécie e proíbe a sua morte. Logo é sempre responsável pela enorme praga de javalis que já atualmente no país

  2. todos sabem que o javali é um animal que estraga qualquer terreno semeado
    é mandar a factura ao pessoal do PAN
    quando os javalis atacarem as pessoas é que alguem toma alguma medida, ate lá é o deixa andar
    é ver quando se pode fazer umas batidas ao javali e organiza-las

RESPONDER

Director nacional da PJ defende "recompensa garantida" para Rui Pinto

O director nacional da Polícia Judiciária (PJ), Luís Neves, realça a colaboração de Rui Pinto como tendo sido essencial para apurar a "verdade material" no caso de pirataria informática que o envolve e defende, por …

Lufthansa aceita condições do resgate. Vai ceder aviões e perder "slots"

O Governo da Alemanha e a Comissão Europeia (CE) chegaram a um acordo sobre o resgate da Lufthansa e que poderá evitar a falência da companhia aérea, anunciaram, na sexta-feira, fontes próximas das negociações e …

Chipre vai pagar despesas das férias a turistas que ficarem infetados no país

O Chipre vai pagar o custo das férias aos turistas que testaram positivo depois de viajarem para o país. Entre as despesas está o alojamento, a alimentação e os medicamentos. O Chipre comprometeu-se a pagar todas …

Tribunais vão vender máscaras a um euro. "É uma margem de lucro de 45 por cento"

Os tribunais vão ter máscaras cirúrgicas à venda para advogados e testemunhas, de modo a garantir que podem entrar nas salas de audiência a partir de quarta-feira, dia em que a Justiça retoma as sessões …

Julgamento BES. Ministério Público acredita que provas da Suíça ainda podem ser utilizadas

O jornal Público escreve este sábado que os procuradores do Ministério Público (MP) acreditam ainda ser possível utilizar os elementos solicitados nas cartas rogatórias enviadas às autoridades suíças no julgamento do caso BES. O Ministério …

Salários mais baixos podem passar a ter lay-off pago a 100%

O Governo está a estudar a possibilidade de o regime de lay-off, desenhado especificamente para o contexto da pandemia de covid-19, passar a ser pago na sua totalidade (100%) para quem tem salários mais baixos. …

Bronca na Liga. Contestação adia 5 substituições e o Marítimo recusa assinar Plano de Retoma

Após dois dias intensos de reuniões, foi aprovado o Plano de Retoma do campeonato nacional para a disputa das últimas 10 jornadas da época 2019/2020. Mas apenas 17 clubes o assinaram. O Marítimo recusou fazê-lo, …

Igreja perdeu 50 milhões de euros com a pandemia (e há dioceses em lay-off)

Ao cabo de dois meses de paragem por causa da pandemia de covid-19, as missas regressam, neste sábado, mas com regras novas para evitar a propagação do coronavírus. Uma paragem que resultou num "prejuízo" de …

Reabertura de ATL adiada para 15 de junho. Creches arrancam segunda-feira (sem apoios para os pais)

As Atividades de Tempos Livres (ATL) não integradas em estabelecimentos escolares só poderão voltar a funcionar a partir de 15 de junho, duas semanas depois daquilo que estava inicialmente previsto. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, …

Governo britânico vai continuar a pagar 80% dos salários durante mais três meses

O Governo britânico vai continuar a pagar durante mais três meses 80% do salário de trabalhadores em lay-off devido à pandemia de covid-19, e reduzir gradualmente o valor até ao fim do sistema, em outubro. O …