/

“A minha égua não vê televisão”: justificações insólitas nos Jogos Olímpicos

Vêm aí os Jogos Olímpicos, desta vez em Tóquio. Boa altura para recordar frases ditas em Pequim, que ficaram para a memória.

Não é “mais uma” edição dos Jogos Olímpicos. Condicionada pelo que sabemos, esta prova prevista para 2020 foi adiada para o ano seguinte (pela primeira vez na história), não vai ter adeptos e tem regras nunca vistas para os próprios atletas. Mas, em semana de cerimónia de abertura de Tóquio 2020, recordamos justificações que ficaram guardadas dos últimos Jogos Olímpicos realizados na Ásia: Pequim, em 2008.

Nos Jogos de Michael Phelps e Usain Bolt, só vieram duas medalhas para Portugal. Mas, em termos de pódio, foi a melhor participação lusa de sempre: prata para Vanessa Fernandes e ouro para Nélson Évora – que se tornou somente no quarto português campeão olímpico, depois de Carlos Lopes, Rosa Mota e Fernanda Ribeiro (os quatro ligados ao atletismo).

Telma Monteiro e Naide Gomes protagonizaram duas das desilusões mas todos os fracassos têm justificações. Nem que essas justificações sejam…particulares.

Recordamos neste artigo frases de atletas portugueses que participaram nos Jogos Olímpicos na China, há 13 anos. Algumas palavras foram adequadas para se perceber o contexto da altura; outras estão retiradas do contexto da altura mas foram ditas exatamente assim, ficando registadas em áudio/vídeo ou sendo transcritas assim.

“A minha égua não está habituada a ver ecrãs televisivos.”
– Miguel Ralão / equitação

“Andamos a gastar o dinheiro dos contribuintes.”
– Gustavo Lima / vela

“As outras são mais fortes, é melhor não participar.”
– Jéssica Augusto / atletismo

“Conseguimos um apuramento difícil!” (em dezassete, apuravam-se quinze)
– Beatriz Gomes, Helena Rodrigues / canoagem

“De manhã é para estar na caminha.”
– Marcos Fortes / atletismo

“Este género de competições não é para mim.”
– Vânia Silva / atletismo

“Foi bom levar esta tareiazinha.”
– Arnaldo Abrantes / atletismo

“Isto é como se fosse mais uma outra competição.”
– Marcos Fortes / atletismo

“Não consigo correr em estádios olímpicos.”
– Arnaldo Abrantes / atletismo

“O tempo não é importante.”
– marcha feminina

“Oitavo lugar é ouro!”
– Ana Cabecinhas / atletismo

“Os braços pesam muito a nadar!”
– natação

“Os outros são bons, mas não são fortes!”
– Marcos Fortes / atletismo

“Os outros usam doping!”
– João Pina / judo

“Para mim, o bronze é ouro!”
– Vanessa Fernandes / triatlo

“Para os outros, os jogos são uma brincadeira.”
– Vanessa Fernandes / triatlo

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.