/

Juízes avançam para greve em outubro e podem boicotar autárquicas

Candidatura-Maria-José-Costeira / Facebook

Maria José Costeira, presidente da Associação Sindical dos Juízes Portugueses

Maria José Costeira, presidente da Associação Sindical dos Juízes Portugueses

A Associação Sindical dos Juízes Portuguese (ASJP) decidiu hoje avançar para uma greve nos primeiros dias de outubro, anunciou a direção nacional da estrutura, justificando a paralisação com falta de abertura do Governo.

Em comunicado, a ASJP refere que pretende uma “discussão por inteiro” do estatuto dos juízes e que a associação já interpelou o primeiro-ministro nesse sentido.

“Aguardamos dele uma resposta ao nosso repto, em tempo útil, que nos permita desbloquear essa revisão no seu todo”, assinala a ASJP, ficando desde já marcada a paralisação.

Segundo a TVI24, o timing escolhido pelos juízes “poderá comprometer as eleições autárquicas”, boicotando a validação dos resultados eleitorais.

Na segunda-feira, a ASJP pediu a intervenção do primeiro-ministro na discussão dos estatutos, alegando que o processo negocial vai longo e com “alguns episódios verdadeiramente lamentáveis”.

No comunicado divulgado hoje, a associação dos juízes espera que a sua “demonstração de boa-fé e sentido de responsabilidade seja correspondida, ao mesmo nível, pelo senhor primeiro-ministro e todo o Governo”.

Na última ronda negocial com o Ministério da Justiça, realizada no final do mês passado, a ASJP disse que ia ponderar formas de luta a adotar, não excluindo uma greve, depois de não ter chegado a acordo sobre a requalificação do subsídio atual e o restabelecimento de uma verdadeira carreira.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.