/

“Estão a dar-nos uma lição de civismo”. Jovens dos 12 aos 15 anos acorreram em massa à vacinação

4

Tiago Petinga / Lusa

Tanto Gouveia e Melo como Marcelo Rebelo de Sousa mostraram-se altamente satisfeitos com a adesão dos jovens no primeiro dia de vacinação da faixa etária entre os 12 e os 15 anos.

A vacinação contra a covid-19 da faixa etária entre os 12 e os 15 anos começou este sábado com 110 mil jovens — cerca de um quarto dos jovens nesta idade —, numa altura em que já se prepara o arranque do próximo ano letivo.

Mais de 128 mil pessoas foram vacinadas este sábado, revelou a task force, acrescentando que, deste número, mais de 115 mil foram jovens dos 12 aos 15 anos.

A task force revela ainda que “entre 19 e 21 de agosto foram efetuados mais de 47 mil pedidos de auto agendamento para jovens com idades compreendidas entre os 12 e 17 anos” para serem vacinados no próximo fim de semana, de 28 e 29 de agosto.

O Presidente da República elogiou todos os envolvidos no processo de vacinação deste fim-de-semana e enalteceu o sacrifício dos jovens em vacinar-se nas férias de verão.

“Queria felicitar o senhor vice-almirante por aquilo que tem sido um grande sucesso no processo de vacinação. Queria também felicitar toda a estrutura de saúde, desde a senhora ministra à senhora diretora-geral, mas também às estruturas envolvidas, aos responsáveis dos centros de vacinação e aos profissionais, que tiveram a sua vida alterada no verão em termos de férias, em termos de disponibilidade, e que se mobilizaram em massa para este esforço coletivo, num país onde não há vacinação obrigatória”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, citado pela Rádio Renascença.

“Trocamos pontos de vista aparentemente diversos. Ela tem um grande mérito, que é dar a cara. Eu aprecio as pessoas que dão a cara. Eu próprio tive de dar a cara nos estados de emergência, ela dá todos os dias a cara e uma pessoa que dá todos os dias a cara, durante uma pandemia de mais de um ano e meio, merece o nosso agradecimento e gratidão”, acrescentou.

Henrique Gouveia e Melo também se mostrou bastante satisfeito com a grande adesão dos jovens ao processo de vacinação.

“Hoje é um bom dia. Os jovens estão a dar-nos uma lição de civismo”, declarou o vice-almirante.

Gouveia e Melo, citado pelo Público, tinha avisado que o ritmo de inoculações iria diminuir no domingo, “até porque é, habitualmente, o dia mais calmo” da campanha de vacinação.

O Jornal Económico corrobora esta previsão. Dados até às 13h00 de domingo indicam que cerca de 20 a 25 mil pessoas foram vacinadas, um valor que contrasta com os 45 mil vacinados pela mesma hora no sábado.

  Daniel Costa, ZAP //

4 Comments

  1. É um comportamento normal na adolescência com idade vamos ficando cada vez menos “cívicos”.
    Por vezes quando revisito o meu passado, penso “se soubesse o que sei hoje teria sido mais cívico”
    hehehehehe

  2. Boas a todos,
    Até que ponto se justifica incluir numa notícia uma afirmação extremamente discutível, claramente doutrinária, e inegavelmente vinculadora de um valor de juízo dogmático, como a de que os rapazes nos “estão a dar-nos uma lição de civismo”?
    Só é civismo seguir as recomendações do governo? E não segui-las não será também um acto possivelmente cívico ou ainda mais cívico?
    Não é a possibilidade de escolha um baluarte da cidadania e do civismo? Ou só uma escolha, a escolha comandada pelo poder político, garante o seu civismo?
    Deram lições de civismo todos os que compactuaram com as orientações da inquisição no século XII, com a pide no tempo do salazar ou dos nazis na segunda guerra mundial?
    E o que deve a comunicação social fazer quanto a afirmações destas? Divulgá-las? Discuti-las, certamente.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.