Jovem que rastreou o jato de Musk fez o mesmo com Zuckerberg

Alex Wong / Getty Images / AFP

Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook

O adolescente que ficou conhecido por rastrear o jato privado de Elon Musk, passou agora para outro bilionário: Mark Zuckerberg.

A Meta Platforms Inc., “mãe” do Facebook, gastou quase 27 milhões de dólares no ano passado para manter o seu diretor executivo a salvo.

No entanto, Jack Sweeney, de 19 anos, revelou esta na quinta-feira que está “bastante confiante” e que identificou o jato privado do magnata da tecnologia.

“Acho interessante que ele nos siga no Facebook, por isso é divertido que um miúdo o esteja a seguir de volta“, afirmou Sweeney, segundo a Bloomberg.

Sweeney viu pela primeira vez imagens do código de registo da aeronave na cauda do que ele acredita ser o jato de Zuckerberg quando aterrou na Islândia. O avião está registado na A7P Trust Co. Inc. Trustee, uma entidade sediada em Wyoming.

Em seguida, analisou a viagem anterior da aeronave e descobriu que tinha feito várias viagens ao Havai, onde Zuckerberg é proprietário de um terreno.

Sweeney disse estar confiante que o avião pertencia ao bilionário no início de maio, quando reparou que tinha aterrado em Itália ao mesmo tempo que Zuckerberg partilhou na Instagram que tinha visitado Milão.

Em fevereiro, Sweeney criou uma conta no Twitter — um “bot” — que passou a partilhar atualizações ao vivo dos movimentos do avião.

Zuckerberg, com uma fortuna de 70,9 mil milhões de dólares de acordo com o Índice Bloomberg Billionaires, tem vários sistemas de segurança. A Meta exige que ele voe em jatos privados, mesmo quando viaja por razões pessoais.

A empresa gastou 15,2 milhões de dólares para proteger o co-fundador em casa e durante viagens pessoais, só em 2021. A Meta também usou mais 10 milhões de dólares para outras despesas de segurança, e deixou o bilionário utilizar aviões privados para viagens pessoais, no valor de 1,63 milhões de dólares.

Sweeney ganhou fama online depois de rastrear o jato privado de Elon Musk, e o fundador da Tesla e da SpaceX lhe ter enviado uma mensagem privada, com uma oferta de 5 mil dólares para apagar a conta que publicava os dados do rastreio.

O jovem ainda criou outra conta, que permitia rastrear os movimentos dos jatos privados de vários multimilionários russos, como por exemplo Roman Abramovich.

A conta entrou no ativo depois de os EUA terem sancionado vários membros do círculo íntimo do Presidente russo, Vladimir Putin.

Sweeney afirma estar cada vez menos disposto a aceitar ofertas para fechar as suas contas “bot” no Twitter, que têm atraído milhões de seguidores.

Agora é algo muito maior“, notou o jovem. “As pessoas estão interessadas no que eu faço agora, por isso não sei o que seria preciso para encerrar as contas”.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.