Jovem libanesa lança app que alerta familiares após atentados

Gareth Harper / Flickr

-

Após uma onda de atentados à bomba em Beirute e outras regiões do país, a libanesa Sandra Hassan, de 26 anos, criou uma aplicação para telemóveis que permite aos utilizadores informarem os familiares e amigos de que estão vivos.

A rotina para libaneses e estrangeiros que moram no Líbano é sempre a mesma após a notícia de um atentado à bomba: as pessoas correm a contactar os parentes e amigos, muitas vezes levando a um congestionamento das linhas telefónicas e nervosismo entre as pessoas que tentam obter notícias dos seus entes queridos.

Um recente atentado a bomba que atingiu o bairro de Dahiyeh, subúrbio no sul de Beirute controlado pelos militantes xiitas do Hezbollah, inspirou Sandra Hassan, que mora em França. Sandra decidiu que era hora de aparecer uma app que facilitasse a vida das pessoas na realidade do país.

thephinnewsletter.wordpress.com

Sandra Hassan

Sandra Hassan criou uma aplicação para telemóveis que permite aos utilizadores informarem os familiares e amigos de que estão vivos.

A aplicação que Sandra desenvolveu permite aos utilizadores clicar um botão para que uma mensagem seja enviada instantaneamente para o Twitter com a frase “I am still alive!” (Ainda estou vivo, em inglês) juntamente com as hashtags #lebanon e #latestbombing (#libano e #ultimabomba).

A app, desenvolvida para sistemas Android 2.2 ou superior,  está disponível para download gratuito na Google Play desde o dia 20 de fevereiro, e já ultrapassou as 1.000 instalações.

Sandra explicou à BBC que é formada em ciências da computação e já trabalhou como programadora. Actualmente, mora em Paris por estar a fazer um mestrado em saúde pública na capital francesa.

“Acompanho sempre de longe as notícias do Líbano, e morando no estrangeiro sentia-me constantemente frustrada e com uma sensação de impotência sempre que me preocupava com as pessoas que eu amo.”

Segundo Sandra, a ideia original era criar uma app que fizesse piada com acontecimentos no Líbano. “Era uma maneira sarcástica de expressar a minha frustração com a situação e meu descontentamento com o que ocorre em meu país”.

“Depois de saber de mais um atentado em Beirute, enchi-me de revolta e no dia seguinte criei a app”, conta Sandra.

Esta não é a primeira app criada visando a situação de segurança no Líbano. Um programa chamado WayToSafety (Caminho Para a Segurança, em inglês), outra aplicação desenvolvida no país, permite aos utilizadores evitarem zonas onde ocorram tiroteios entre facções rivais.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Astrónomos provam que há água "presa" na poeira interestelar

As partículas de poeira no Espaço estão cobertas de gelo. Esta descoberta facilita as tentativas futuras de identificar a estrutura e composição da poeira em diferentes ambientes astrofísicos. O meio interestelar é composto por gás e …

Rochas antigas de Vénus apontam para origem vulcânica

Uma equipa internacional de investigadores descobriu que alguns dos terrenos mais antigos de Vénus, conhecidos como "tesserae", têm camadas que parecem consistentes com atividade vulcânica. A descoberta pode fornecer informações sobre a enigmática história geológica …

Na África do Sul, há uma associação entre violência sexual e gravidez indesejada

Na África do Sul, as meninas que sofreram violência sexual têm maior probabilidade de relatar uma gravidez indesejada em comparação com aquelas que nunca sofreram violência sexual. Na África do Sul, a taxa de gravidez na …

Hackers russos associados ao ataque em hospital alemão que resultou na morte de uma paciente

O ataque informático num hospital alemão na semana passada, que resultou na morte de uma paciente em estado crítico, pode ter sido causado por um grupo russo com ligações ao crime cibernético. A informação é …

Paços 0-2 Sporting | “Leão” competente estreia-se com triunfo

Após o adiamento do jogo da primeira jornada ante o Gil Vicente, devido a vários casos de Covid-19 nas duas equipas, o Sporting estreou-se na Liga NOS 2020/21 e não vacilou. Na visita ao Paços de …

Medicamentos para a tensão arterial diminuem mortalidade em doentes com covid-19

Um estudo de meta-análise concluiu que medicamentos para a tensão arterial, ao contrário do que se pensava, reduzem a mortalidade em pacientes com covid-19. No início da pandemia, havia a preocupação de que certos medicamentos para …

A ilha mais povoada do Hawai pode perder 40% das suas praias até 2050

A subida do nível das águas do mar pode fazer com que a ilha mais povoada do Havai perca 40% das suas praias, alerta uma nova investigação. Em causa está a ilha de Oahu, a …

Pela primeira vez em 10 anos, a Wikipédia vai mudar de aparência

A icónica Wikipédia vai, pela primeira vez em 10 anos, ser modificada para tornar o site mais acessível - e menos "assustador" - para novos utilizadores. A Wikipédia tem sido parte integrante da cultura da web …

Encontrados medicamentos ilegais em suplementos para o cérebro

Cientistas encontraram medicamentos ilegais, não aprovados nos Estados Unidos, em suplementos que alegadamente melhoram o desempenho cognitivo. Clareza mental, criatividade aprimorada e uma memória extremamente nítida são algumas das promessas feitas a quem compra suplementos de …

Voluntários oferecem-se para cumprir pena de jovem acusado de blasfémia

Num ato de solidariedade, 120 voluntários pediram para cumprir a pena de um jovem nigeriano condenado a 12 anos de prisão por blasfémia. Entre os voluntários está o diretor do Memorial de Auschwitz. Ao todo, 120 …