Jornalista que escreveu sobre mercenários russos na Síria morre após queda suspeita

(dr) Facebook

O jornalista russo Maxim Borodin caiu do 5.º andar do prédio onde vivia

O jornalista russo que escreveu sobre a morte de mercenários russos na Síria morreu depois de uma queda suspeita do 5.º andar do prédio onde vivia.

Segundo a BBC, Maxim Borodin foi encontrado gravemente ferido junto ao prédio onde vivia, em Yekaterinburg, depois de cair do 5.º andar e foi levado para o hospital, onde acabou por falecer.

As autoridades dizem que tudo indica não haver mão criminosa, embora também não tenham encontrado nenhuma nota de suicídio. Porém, um amigo do jornalista russo conta que, no dia anterior, o prédio estava rodeado por um grupo de pessoas suspeitas.

Vyacheslav Bashkov descreveu Borodin como um “jornalista honesto e com princípios” e contou que o amigo o tinha contactado nesse mesmo dia porque tinha “alguém com uma arma na sua varanda e pessoas vestidas com camuflados e máscaras nas escadas”.

O amigo explica que o jornalista estava à procura de um advogado mas, mais tarde, voltou a ligar para dizer que, afinal, se tratava de um exercício policial na zona.

De acordo com a emissora britânica, as autoridades locais afirmam que, quando encontraram Borodin, a porta de casa estava trancada por dentro, indicando que ninguém terá entrado ou saído do apartamento.

No entanto, tanto Bashkov como o editor-chefe do Novy Den, jornal russo onde o jornalista trabalhava, afirmam que não havia nenhum motivo para se ter tentado matar.

O que escreveu Borodin?

Nas últimas semanas, avança a BBC, Borodin escreveu sobre um grupo de mercenários russos, conhecidos como “Wagner Group”, que alegadamente morreram na Síria, a 7 de fevereiro, na sequência de confrontos com as forças norte-americanas.

O ex-diretor da CIA, Mike Pompeo, tinha informado que “algumas centenas” de mercenários russos tinham perdido a vida num ataque com combatentes pró-Síria em Deir al-Zour. Semanas depois, a Rússia admitiu que algumas dezenas de cidadãos russos tinham perdido a vida ou estavam feridos, mas salientou que não eram soldados regulares.

No último mês, o jornalista escreveu que três destas pessoas eram da região de Sverdlovsk, nos Montes Urais, onde Yekaterinburg é considerada a principal cidade. Dois dos homens eram das cidades de Asbest e um de Kedrovoye, reportou.

Borodin também estava a investigar escândalos políticos, incluindo alegações feitas por uma escolta bielorrussa conhecida como Nastya Rybka num vídeo partihado pelo líder da oposição russa Alexei Navalny.

Os perigos de ser jornalista na Rússia

Nos últimos anos, escreve a BBC, são vários os jornalistas na Rússia que foram assediados ou atacados por causa do seu trabalho. Aliás, no dia em que Borodin foi encontrado, um editor de um jornal regional foi assaltado na mesma cidade.

Muitos dos órgãos de comunicação na Rússia são controlados pelo Estado e o país ocupa o 83.º lugar de uma lista de 100 países sobre a liberdade de imprensa feita pela Freedom House, organização sem fins lucrativos sediada em Washington.

Uma das jornalistas de investigação mais conhecidas da Rússia, Anna Politkovskaya, foi baleada e encontrada morta num elevador do seu bloco de apartamentos em 2006. A repórter expôs abusos de direitos humanos na Chechénia.

Dois anos depois, Mikhail Beketov foi assaltado e atacado, tendo ficado com danos cerebrais. O jornalista denunciou casos de corrupção e lutou contra a destruição da floresta de Khimki, perto de Moscovo, para construir uma estrada. Acabou por falecer em 2013.

Oleg Kashin, que relatou os protestos contra o plano de destruição da floresta, também ficou gravemente ferido depois de um assalto, na capital russa, em 2010.

No ano passado, a locutora da rádio Eco de Moscovo, Tatyana Felgengauer, foi esfaqueada no pescoço por um desconhecido dentro das instalações da emissora. A jornalista, uma reconhecida crítica do Kremlin, sobreviveu e não corre perigo de vida.

ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. A democracia a funcionar na Rússia. É isto que o BE e PCP elogiam. Se estivessem no governo Portugal votaria na ONU ao lado de Democracias como a Russia , China, Coreia do Norte, Venezuela, Cuba e Bolivia

    • Acho que o PCP e o BE pouco ou nada se identificam com a ditadura de Putin!
      Além de que, segundo os “padrões ideológicos”, aquilo será mais parecido com uma ditadura de extrema-direita!…
      .
      Relativamente à notícia, já se sabe que a ditadura de Putin é implacável com quem não alinha com o seu ideal de “Grande Rússia” e, este terá sido mais uma vítima!…

  2. As tradições não são fáceis de desaparecer e a prova é que são frequentes os desaparecimentos ou mortes de alguém que denuncie ou opine contra o regime russo, o senhor Putin é fruto do comunismo e por isso tem bem enraizado tais métodos na sua forma de actuar.

RESPONDER

Montezemolo revelou o sonho que Ayrton Senna não cumpriu

O antigo presidente da equipa da Ferrari, Luca di Montezemolo, revelou que o seu maior arrependimento foi não ter conseguido levar Ayrto Senna para a equipa. Em 1994, Ayrton Senna morreu de forma trágica quando perdeu o …

Friends: atores já terminaram as gravações do episódio especial

Ainda antes de os talk shows serem suspensos devido à COVID-19, Matt LeBlanc foi um dos convidados do The Kelly Clarkson Show, onde confirmou que as gravações do episódio especial de FRIENDS estavam concluídas. O programa …

YouTube remove vídeos que vinculam falsamente a Covid-19 ao 5G

A onda de teorias falsas que ligam a pandemia da COVID-19 ao 5G levou a uma série de incidentes, incluindo ameaças a engenheiros. Agora, o YouTube está a reprimir essa desinformação. O YouTube informou que removerá …

Engenheiros construiram um ventilador caseiro. Pode servir como "último recurso"

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos, construiu um ventilador caseiro que pode ser usado como último recurso. A pandemia de covid-19 continua a desafiar as comunidades médicas e uma das ameaças …

Sepultura de genocídio encontrada no Ruanda pode conter 30 mil corpos

No Ruanda, foi encontrada uma sepultura que pode conter 30 mil vítimas do genocídio no país em 1994. Cerca de 800 mil tutsis e hutus moderados foram assassinados. Mais de 25 anos depois de um genocídio …

Belenenses SAD entra parcialmente em lay-off

"A indústria do futebol está entre as mais atingidas pelos efeitos da pandemia", que provocou a suspensão de praticamente todas as provas futebolísticas, destaca o Belenenses SAD. O Belenenses SAD, da I Liga de futebol, entrou …

Dois milhões de máscaras furtadas em Espanha podem ter sido vendidas em Portugal

O equipamento médico e sanitário furtado está avaliado em cinco milhões de euros e terá sido adquirido por uma empresa portuguesa que conhecia a proveniência do material. Um empresário de Santiago de Compostela foi detido por, …

Facebook terá tentado comprar um software de espionagem em 2017

O Facebook tem estado envolvido em vários escândalos e o mais recente está relacionado com a alegada compra da ferramenta Pegasus, usada para hackear iPhones. A empresa de segurança informática NSO Group, responsável pela Pegasus, alega …

Primeiro-ministro espanhol diz que coronavírus desafia o futuro da UE. E fá-lo em sete idiomas

O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez publicou no domingo um artigo em sete idiomas europeus, argumentando que o coronavírus pode ser a ruína da União europeia (UE) caso não sejam tomadas medidas mais drásticas para lidar …

Viseiras de Leiria despertam cobiça. Bélgica e EUA queriam comprar toda a produção

Várias empresas de moldes e plásticos da região de Leiria estão a fabricar viseiras de protecção contra a Covid-19. Uma adaptação em tempos de pandemia que está a levantar atenção no estrangeiro, com EUA e …