James Comey violou regras do FBI ao divulgar documentos sobre Donald Trump

Shawn Thew / EPA

O ex-diretor do FBI, James Comey

O ex-diretor do FBI James Comey violou as regras da polícia federal dos Estados Unidos, mantendo guardados em casa vários registos de conversas com o Presidente Donald Trump, segundo um relatório oficial divulgado esta quinta-feira.

James Comey, que foi demitido de diretor do FBI em maio de 2017, tendo sido desde então uma voz crítica do Presidente Republicano, não será processado por violar os procedimentos da agência federal, mas poderá sofrer sanções administrativas, de acordo com um comunicado do Departamento de Justiça norte-americano.

O ex-diretor do FBI é acusado de ter ficado com registo das sete reuniões que teve com Donald Trump, entre janeiro e abril de 2017, à revelia do que está instituído nas regras do FBI, num ato que o Departamento de Justiça considera ser “um exemplo perigoso”.

A acusação é resultado de uma investigação do Departamento de Justiça, que tentou apurar se Comey tinha atuado de forma inapropriada, quando deu as notas a um confidente que mais tarde as passou ao jornal The New York Times.

Comey esteve ainda na origem da nomeação do promotor especial Robert Mueller – que durante dois anos investigou um alegado conluio entre a equipa de campanha de Trump e o Governo russo, nas eleições presidenciais de 2016 (o caso russo) – depois de o Presidente o ter demitido, após lhe pedir para abandonar essa investigação, de acordo com relatos da Imprensa.

Comey violou as regras do FBI e os requerimentos enquanto funcionário do FBI, ao tomar essa decisão”, concluiu o inquérito. James Comey defendeu-se dizendo que a divulgação das notas se destinou apenas a suscitar a nomeação de um procurador especial para investigar o caso russo.

Donald Trump acusou repetidamente James Comey de ser um “mentiroso” e de difundir informação falsa sobre as alegadas pressões para abandonar a investigação ao caso russo, enquanto diretor do FBI.

O ex-diretor do FBI considerou-se libertado das regras da polícia federal e manteve na sua casa cópias das reuniões com o Presidente, compartilhando-as com advogados e permitindo que algumas delas passassem para a Imprensa, de acordo com um relatório do Ministério da Justiça.

As notas fornecidas não contêm, no entanto, nenhuma informação classificada, afirmou a autoridade independente encarregada de investigar possíveis abusos em entidades dependentes do Departamento de Justiça.

“Comey tinha outras opções legais à sua disposição para defender a nomeação de um procurador especial, que era o seu objetivo”, escreve o inspetor do relatório, acusando-o de dar “um mau exemplo” a 35.000 funcionários da organização da polícia federal.

Apesar dessas críticas, James Comey usou as redes sociais para dizer que o inspetor “não encontrou evidências” de fuga de “informações classificadas”.

Não preciso de desculpas públicas por parte daqueles que me difamam, mas uma pequena mensagem a dizer ‘desculpe por mentirmos sobre você’, seria simpático”, acrescentou Comey na rede social Twitter.

A nomeação de um promotor especial mereceu forte atenção mediática e levou o Presidente Trump a dizer que estava a ser vítima de uma “caça às bruxas”, durante cerca de dois anos, dizendo sempre que estava inocente de qualquer ato de conluio com o Governo russo de Vladimir Putin.

Em abril, na divulgação do relatório sobre o caso russo, Robert Mueller explicou que não havia encontrado evidências de conluio entre Moscovo e a campanha de Trump, mas apontou vários casos de pressões presidenciais sobre a investigação.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

FBI prende Ghislaine Maxwell, ex-namorada de Jeffrey Epstein

A ex-namorada de Jeffrey Epstein, Ghislaine Maxwell, foi esta quinta-feira detida pelo FBI. A mulher de 58 anos é acusada de ajudar a montar uma rede de tráfico de mulheres. O FBI deteve, esta quinta-feira, Ghislaine …

Polícia italiana apreendeu 14 toneladas de anfetaminas. Droga foi produzida pelo Estado Islâmico

As autoridades italianas apreenderam na quarta-feira 14 toneladas de anfetaminas produzidas na Síria por membros do Estado Islâmico, cujos lucros serviriam para reativar as suas operações. "É um facto que o Daesh [Estado Islâmico] utiliza a …

Câmara de Lisboa defende fim do financiamento público às touradas

A Câmara de Lisboa defendeu hoje a criação de legislação que impeça o financiamento público de espetáculos que "causem sofrimento animal", salientando que as touradas incluem "atos de violência". Numa moção “pelo fim de espetáculos com …

Acordo entre Neeleman e Governo já só depende da confirmação da Azul

O acordo entre David Neeleman e o Governo está prestes a concretizar-se, escreve o Expresso. Aparentemente já só falta a confirmação da Azul para garantir o acordo. Depois de a nacionalização da companhia ter sido dada …

Medina recua e diz que "há convergência total" com Governo no combate à pandemia

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse hoje que “há convergência total” com o Governo no combate à pandemia de covid-19, recusando que as críticas que fez à atuação das autoridades de saúde …

Parlamento vai debater o teletrabalho por iniciativa do PAN

O PAN considera que "o teletrabalho é uma ferramenta que pode ajudar a conciliar a vida profissional e a vida familiar", ainda que apresente fragilidades como a "invasão da vida pessoal". O PAN agendou para sexta-feira …

PSP também queria prémio semelhante ao dos profissionais de saúde

O Sindicato dos Profissionais de Polícia (SPP) manifestou-se esta quinta-feira “desiludido” com “a falta de respeito” que o Governo demonstra em relação à PSP e a outras forças de segurança que estão na “linha da …

Líderes catalães vão poder sair da prisão aos fins de semana

Uma decisão dos estabelecimentos prisionais faz com que os líderes independentistas catalães possam sair da prisão aos fins de semana, passando para um dos regimes de detenção menos restritivos. Em outubro do ano passado, nove líderes …

Mais oito mortos e 328 infetados. Câmara de Lisboa tem 33 casos "ativos"

Há mais oito mortos e 328 casos positivos em Portugal nas últimas 24 horas. A Câmara de Lisboa regista atualmente 33 casos de infeção por covid-19 “ativos”. Portugal regista, esta quinta-feira, mais oito mortos e 328 …

Limitação dos apoios a sócios-gerentes não é "justa", diz Confederação das empresas

A Confederação das Micro, Pequenas e Médias Empresas não entende a razão para limitar a ajuda a sócios-gerentes ao valor de 1.905 euros, proposta que não consideram justa. Em entrevista à Rádio Observador na quinta-feira, o …