Irmã de Kim Jong-un ameaça “inimiga” Coreia do Sul com ação militar

(dv) KCNA / YONHAP

O líder da Coreia do Note, Kim Jong-un, com a irmã mais nova, Kim Yo-jong

A irmã do líder norte-coreano ameaçou, este sábado, avançar com uma ação militar contra a Coreia do Sul, como forma de protesto contra ativistas que enviam folhetos contra o regime de Pyongyang.

Kim Yo Jong, irmã do líder da Coreia do Norte, descreveu a Coreia do Sul como “inimiga” e repetiu uma ameaça que vinha fazendo de uma ação militar contra Seul, criticando o declínio das relações bilaterais e denunciando a prática de distribuição de folhetos contra o regime de Kim Jong-un, na zona de fronteira entre os dois países da península.

Na semana passada, a Coreia do Norte declarou que cortaria todos os canais de comunicação governamentais e militares com a Coreia do Sul e que abandonaria os principais acordos de paz inter-coreanos alcançados pelos dois líderes, em 2018.

Kim, que é a primeira diretora do vice-departamento do Comité Central do Partido dos Trabalhadores, avisou que deixará nas mãos dos líderes militares da Coreia do Norte o próximo passo de retaliação contra a Coreia do Sul.

“Ao exercer o meu poder autorizado pelo líder supremo, o nosso partido e o Estado, dei uma instrução ao departamento encarregado dos assuntos com o inimigo para executar decisivamente a próxima ação”, disse Kim Yo Jong, num comunicado divulgado pela agência estatal noticiosa.

“Se eu der uma pista sobre o nosso próximo plano, que as autoridades (sul-coreanas) desejariam, o direito de tomar a próxima ação contra o inimigo será confiado ao Estado-Maior do nosso exército”, acrescentou a irmã do líder norte-coreano.

Kim Yo Jong é vista como a mais poderosa mulher do regime e a confidente mais próxima do líder, sendo responsável pelas difíceis relações com a Coreia do Sul.

O Governo do líder sul-coreano, Moon Jae-in, tem procurado melhorar as relações com os vizinhos do norte, ao mesmo tempo que procura estreitar as relações diplomáticas entre a Coreia do Norte e os EUA, através de cimeiras que tem promovidos nos últimos anos.

Contudo, nos últimos meses, a Coreia do Norte suspendeu praticamente toda a cooperação com o Sul, ao mesmo tempo que expressou frustração com a falta de progresso nas negociações para tratados nucleares com os Estados Unidos.

Numa declaração da passada semana, Kim Yo Jong disse que a Coreia do Norte cancelará os acordos militares com o Sul, criticando de forma severa os “desertores” norte-coreanos que acusou de enviarem folhetos flutuantes, com mensagens contra o regime de Pyongyang, sobre a fronteira.

A declaração de hoje ocorre horas depois de uma alto funcionário do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte ter dito que Seul deveria “abandonar a conversa sem sentido” dos acordos nucleares e que o seu país continuaria a expandir o seu poderio militar para combater os Estados Unidos.

Em resposta às acusações sobre os folhetos flutuantes, o Governo da Coreia do Sul já disse que vai apresentar queixa contra dois grupos de desertores norte-coreanos e que preparará novas leis para proibir os ativistas de lançarem esse género de mensagens.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Checkmate". Rússia apresenta o seu novo jacto de combate revolucionário

O novo jacto é a aposta do governo russo para as exportações e pode vir a ditar o fim da supremacia (aérea e no mercado) do F-35 norte-americano. A Rússia apresentou o protótipo do novo jacto …

"É demasiado tarde". As palavras dos médicos aos doentes com covid-19 que recusaram a vacina

Estados Unidos da América contam com 48.49% da população totalmente vacinada, apesar de o processo ter estagnado nas últimas semanas. Os números de novas infeções crescem, assim como as mortes face ao crescimento galopante da …

"Pingdemic". Há uma nova "pandemia" a causar escassez de comida e combustível no Reino Unido

As medidas de distanciamento social no Reino Unido caíram e, como consequência, centenas de milhares de pessoas estão a ser notificadas para cumprir isolamento. A partir desta segunda-feira o uso de máscara e outras medidas de …

O lago mais improvável de Roma é um refúgio urbano (que impulsiona o ativismo ambiental)

O lago mais improvável de Roma, que nem sequer devia existir, motivou uma luta pela proteção ambiental do local. No anos 90, num local de construção a apenas alguns quilómetros a leste do Coliseu de Roma, …

Afeganistão. EUA lançam ataques aéreos enquanto Talibãs exigem a renúncia do Presidente

Os Estados Unidos (EUA) entraram num confronto pela cidade de Kandahar, realizando ataques aéreos em apoio às forças afegãs, enquanto os Talibãs apelam ao Presidente Ashraf Ghani para renunciar. O porta-voz do Pentágono, John Kirby, avançou …

A primeira casa impressa em 3D no Canadá é inspirada na sequência de Fibonacci

Depois de ter inspirado inúmeros edifícios, a sequência de Fibonacci serviu de musa à empresa de impressão em 3D Twente Additive Manufacturing (TAM), que criou a primeira casa impressa em 3D do Canadá. A Fibonacci House é …

Marcha do Orgulho de Budapeste será um protesto contra as leis anti-LGBTQI, diz organização

A marcha do Orgulho em Budapeste, que ocorrerá no sábado, será "uma celebração, mas também um protesto", disseram os organizadores, enquanto a comunidade LGBTQI húngara se prepara para desafiar a escalada da campanha anti-homossexual do …

PSD propõe máximo de 215 deputados e divisão de grandes círculos eleitorais

O PSD apresentou, esta sexta-feira, a sua proposta para a reforma do sistema eleitoral, que fixa um máximo de 215 deputados, menos 15 do que o total atualmente em vigor. A proposta do PSD para a …

Variante Lambda: o que saber sobre a nova mutação que preocupa as autoridades

Está a ter um foco mais circunscrito à América Latina, mas já houve dois casos desta mutação em Portugal. A OMS está atenta e de momento classifica a Lambda como uma variante de interesse. Foi inicialmente …

PSD força audição de Eduardo Cabrita sobre inquérito da IGAI

O PSD recorreu à figura da audição potestativa a que os partidos têm direito a usar regimentalmente para ouvir membros do Governo e entidades públicas.  O PSD requereu esta sexta-feira a audição parlamentar obrigatória do ministro …