Investigador atesta que Jesus foi um judeu revolucionário, politicamente consciente

Security & Defence Agenda

Reza Aslan, autor da obra “O Zelota – a vida de Jesus da Nazaré”

Reza Aslan, autor da obra “O Zelota – a vida de Jesus da Nazaré”

O professor Reza Aslan, autor de “O Zelota”, afirma que Jesus Cristo foi um “zeloso revolucionário”, um “judeu politicamente consciente”, sobre o qual “há apenas dois fatos históricos sólidos”: ter liderado um movimento judaico na Palestina e a sua crucificação.

Segundo Aslan, que leciona História das Religiões na Universidade da Califórnia, Jesus, tal como outros, envolveu-se “na agitação religiosa e política da Palestina do século I”, e “tem poucas semelhanças com a imagem do pastor pacífico cultivada pela comunidade cristã primitiva”. “Porque é que os autores dos evangelhos se esforçaram tanto por moderar a natureza revolucionária da mensagem e do movimento de Jesus?”, questiona-se Aslan, nesta obra editada pela Quetzal.

“Há apenas dois fatos históricos sólidos acerca de Jesus de Nazaré: que foi judeu e liderou um movimento popular judaico na Palestina, no início do século I, e que Roma o crucificou” por o ter feito, atesta Aslan.

Para o autor norte-americano de ascendência persa, Jesus de Nazaré terá liderado um movimento em tudo análogo a outros do seu tempo, que visavam derrubar o domínio de Roma sobre aqueles territórios, como foi o dos Zelotas, os liderados por Simão, filho de Giora, por Simão, filho de Kokba, ou por Judas, o Galileu, sendo que “a imagem que emerge da Palestina do século I é dum tempo carregado de energia messiânica”.

More Good Foundation / Flickr

Purificação do Templo (1875), óleo de Carl Heinrich Bloch

Purificação do Templo (1875), óleo de Carl Heinrich Bloch

Jesus histórico

A mais antiga referência não bíblica a Jesus é do historiador judeu Flávio Josefo, no século I, que escreveu que um sumo sacerdote, Anás, condenou ilegalmente à morte “Tiago, irmão de Jesus, aquele a quem chamam messias”, cita Reza Aslan. O autor afirma que a expressão “aquele a quem chamam messias” é “de escárnio”, mas, em 84d.C., Jesus “era amplamente reconhecido como fundador de um novo e duradouro movimento”.

A outra referência é do século II, pela mão dos historiadores Tácito e Plínio, o Jovem, que mencionam Jesus, mas dando poucos pormenores. Sendo assim “resta-nos, por isso, a informação que podemos retirar do Novo Testamento”, alertando o autor que este começou a ser escrito por diferentes autores, “cerca de duas décadas depois da morte de Jesus”.

A reescrita dos textos bíblicos

O primeiro documento é a “Carta aos Tessalonicenses”, de Paulo, a primeira de um conjunto de Epístolas, mas o apóstolo “mostra uma extraordinária falta de interesse pelo Jesus histórico”.

Por outro lado, em relação aos Evangelhos, “com a possível exceção de Lucas, nenhum dos que temos foi escrito pela pessoa que lhe deu nome”, garante o autor.

As obras que compõem o Novo Testamento, escreve Reza Aslan, são “pseudoepígrafas”, isto é, são atribuídas a um autor, mas não escritas por ele, o que era comum na Antiguidade, e “não se devem considerar de modo nenhum falsificações”.

O evangelho segundo Marcos foi escrito cerca de 40 anos depois da morte de Cristo, com base numa “coleção de tradições orais e talvez um punhado de tradições escritas”.

Reza Aslan afirma que os cristãos ficaram insatisfeitos com os escritos do evangelista e “ficou à responsabilidade dos sucessores de Marcos, Mateus e Lucas, desenvolver o texto original” e, deste modo, “atualizaram a história, juntando-lhe as suas próprias tradições exclusivas”.

O autor chama a atenção para a biblioteca de escrituras não canónicas (não reconhecidas pela Igreja), redigidas nos séculos II e III, “que dão uma perspetiva muito diferente da vida de Jesus da Nazaré”, e incluem entre outros textos atribuídos a Tomé, Filipe, Maria Madalena e o “livro secreto de João”.

Sobre o seu livro, “O Zelota – a vida de Jesus da Nazaré”, Aslan afirma que é “uma tentativa de recuperar o Jesus antes do cristianismo”, e adverte que o Jesus que mostra “pode ser o que não esperamos [e] certamente não será o Jesus que a maioria dos cristãos modernos reconheceria”.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Indiana Jones do mundo da arte" recupera manuscrito do poeta persa Hafez

Uma das primeiras cópias do reverenciado Divan do autor do século XIV Hafez, iluminado com ouro, será leiloado no início de abril. O famoso poeta persa do século XIV, Hafez, escreveu uma coleção de versos místicos …

O palco onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda

O palco de madeira onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda. Agora, alguém poderá replicar o primeiro concerto da famosa banda. A 10 de abril, em comemoração dos 50 anos da separação da …

Células estaminais podem ajudar a proteger os astronautas da radiação espacial

Assim que os astronautas deixam a proteção do campo magnético da Terra, ficam automaticamente expostos a níveis elevados de radiação cósmica. A Agência Espacial Europeia (ESA) está cada vez mais focada em investigações para reduzir …

Pandemia pode trazer nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas

A pandemia de Covid-19 pode trazer uma nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas como limpeza de superfícies infetadas ou vigiar pessoas em quarentena, afirmam esta quarta-feira alguns dos principais investigadores internacionais em …

Multimilionários refugiam-se da Covid-19 a bordo de iates

Vários multimilionários têm procurado refugiar-se da pandemia de Covid-19, que nasceu em dezembro passado na China, em alto mar, a bordo de iates de luxo. Em declarações ao jornal The Telegraph, Jonathan Beckett, executivo da …

Este mamífero consegue sobreviver a quase sete mil metros de altura

Cientistas pensam ter confirmado que um pequeno rato descoberto no vulcão Llullaillaco, nos Andes, é o mamífero que consegue viver à maior altitude já conhecida (6739 metros). Segundo o IFLScience, o Phyllotis xanthopygus rupestris foi descoberto, …

O glaciar Denman recuou quase cinco quilómetros nos últimos 22 anos

O glaciar Denman, na Antártica Oriental, recuou cerca de cinco quilómetros nos últimos 22 anos. Investigadores da Universidade da Califórnia, Irvine e do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA estão preocupados coma topografia exclusiva …

Gruta em Setúbal mostra que os Neandertais também eram pescadores

Cientistas encontraram restos de alimentos numa gruta, no distrito de Setúbal, que comprovam que os Neandertais também se alimentavam de espécies marinhas. De acordo com o jornal espanhol ABC, restos encontrados por uma equipa de arqueólogos …

Associação alerta para riscos da mudança da hora em tempos de confinamento

O presidente da Associação Portuguesa de Cronobiologia e Medicina do Sono advertiu hoje que os efeitos potencialmente adversos causados pela mudança da hora podem acentuar-se devido ao confinamento obrigatório das pessoas na sequência da pandemia …

Governo português legaliza estrangeiros ilegais. "A prioridade é a defesa da saúde"

O Governo português decidiu regularizar os estrangeiros com pedidos pendentes no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, medida em vigor desde a declaração do estado de emergência, no dia 19, e que lhes garante os mesmos …