Sete anos depois, a investigação das PPP só apanhou uma pistola

Sobram indícios de corrupção na investigação às Parcerias Público-Privadas (PPP) rodoviárias, que terão lesado o Estado em mais de 3,5 mil milhões de euros, envolvendo vários ex-ministros de José Sócrates, mas não há ainda provas que os suportem. A única apreensão suspeita feita até agora foi uma pistola na casa do ex-ministro Mário Lino.

O Observador revela detalhes dos bastidores da investigação às PPP rodoviárias e constata que, após sete anos de inquirições, de buscas e de análises, os inspectores da Unidade Nacional Contra a Corrupção consideram que o Estado português foi lesado em mais de 3,5 mil milhões de euros.

No centro da investigação surge Paulo Campos, ex-secretário de Estado das Obras Públicas do Governo de José Sócrates e que foi o principal responsável por implementar os programas das PPP rodoviárias entre 2005 e 2009, constata o jornal online.

Mas estão também a ser investigados os ex-ministros Mário Lino (Obras Públicas) e Fernando Teixeira dos Santos (Finanças), o ex-secretário de Estado do Tesouro Carlos Costa Pina e o ex-presidente da empresa Estradas de Portugal Almerindo Marques.

Mas após dezenas de buscas e escutas, não há arguidos e “até agora ainda não foi recolhido nenhum indício de alegadas contrapartidas”, nem tão pouco “nenhum indício de fluxos financeiros fora do comum“, sustenta o Observador.

“A única matéria fora do comum” encontrada pela Polícia Judiciária “foi uma pistola Browning de calibre 6,35 mm e respectivas munições que foi apreendida na casa de Mário Lino”, acrescenta a publicação.

Mas se não há grandes provas, abundam as suspeitas, com os investigadores do inquérito a repararem que há “fórmulas matemáticas obscuras e pouco rigorosas”, com “factores multiplicativos de elevado risco no resultado” e “erros graves”, concluindo-se que “terão sido elaboradas com amadorismo e displicência”, como refere o Observador.

Estão em causa, só no caso do grupo Ascendi, que era da Mota-Engil e que foi alienado ao fundo de gestão Ardian, receitas de 1,3 mil milhões de euros.

Negócio polémico lesou Estado em 836 milhões

O polémico negócio que envolve cinco auto-estradas contratadas ao grupo Ascendi é a principal linha de investigação no processo sobre as PPP que decorre no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), refere o Público.

Entre 2009 a 2017, as PPP rodoviárias custaram 9.365 milhões de euros aos cofres do Estado, sendo que um terço deste valor (3.625 milhões) foi pago ao grupo Ascendi.

O Público nota que a inclusão das concessões Norte e Grande Lisboa no pacote de renegociações que levou à introdução de portagens nas antigas Scut custou aos cofres públicos, desde 2009, 836 milhões em rendas por disponibilidade. Neste modelo, os privados recebem simplesmente por terem as estradas disponíveis.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. uma daquelas provas, que no caso deste crime de colarinho branco serve tanto como andar a conduzir o carro sem carta de conduçao ! de certeza que ninguem utilizou a velhinha e ineficaz browning 6.35 mm, em um caso de corrupçao desta magnitude para nada !mais provavel ser uma daquelas herenças do avo ,que estava la para casa e ninguem se lembrava ,pois se tiveram o cuidado de nao deixar vestigios

RESPONDER

Concelho de Portalegre registou o seu primeiro caso (e revela "segredo" para combater pandemia)

Um comportamento recatado e os habitantes sempre alerta com "o bicho" são apontados como os "segredos" que têm "protegido" Fronteira (Portalegre) da covid-19, que só esta semana registou o primeiro infetado desde o início da …

Rio de Janeiro vai ter "réveillon" com espetáculos e fogo de artifício (mas sem público)

O Rio de Janeiro encerrará 2020 com espetáculos e concertos ao vivo em seis palcos montados na cidade brasileira, mas aos quais o público não terá acesso devido à pandemia. Apenas poderá vê-los nas redes …

GP de Portugal. Há 14 casos de covid-19 em equipas de Fórmula 1

Em conferência de imprensa, a Proteção Civil do Algarve revelou que foram identificados 14 casos de covid-19 entre pilotos e staff de equipas da Fórmula 1 que estiveram em Portimão. Foram identificados 14 casos de covid-19 …

Islâmicos "têm o direito" de matar franceses. Twitter retira comentário de ex-primeiro-ministro da Malásia

A rede social Twitter retirou um comentário controverso do antigo primeiro-ministro malaio ​​​​​​​Mahathir Mohamad, relativo ao debate desencadeado pelas palavras do Presidente francês, Emmanuel Macron, sobre o islão. Numa série de mensagens, em que Mahathir Mohamad …

Governo pondera decretar recolher obrigatório e restrições em mais municípios

O Governo está a avaliar avançar com o recolhimento obrigatório e alargar as restrições impostas em Paços de Ferreira, Felgueiras e Lousada a mais municípios, recusando, no entanto, um novo confinamento geral, disse hoje o …

Gigante americana Walmart retira (temporariamente) armas e munições das prateleiras

A gigante de distribuição norte-americana Walmart decidiu retirar temporariamente armas e munições das prateleiras das suas lojas, anunciou na quinta-feira um porta-voz da cadeia. A medida preventiva foi tomada a cinco dias de uma eleição presidencial …

BE afasta para já estado de emergência e defende requisição civil na saúde

A coordenadora do BE afastou para já a necessidade de um novo estado de emergência e defendeu que o Governo utilize toda a capacidade instalada na saúde, se necessário recorrendo à requisição civil dos setores …

Sismo de magnitude 7 abala Turquia e Grécia e provoca mini-tsunami. Pelo menos 4 pessoas morreram

Quatro pessoas morreram no oeste da Turquia, depois de um forte terramoto de magnitude 7 atingir o Mar Egeu na tarde desta sexta-feira. O abalo derrubou edifícios em áreas costeiras e fez pelo menos 120 …

EDP desiste de processo contra o Estado, mas vai levar tarifa social a Bruxelas

A EDP desistiu da litigância judicial com o Estado sobre a contribuição extraordinária sobre o setor energético (CESE), mas vai pedir à Comissão Europeia uma análise sobre o mecanismo de financiamento da tarifa social a …

"Fora com os pretos". Universidades e escolas de Lisboa vandalizadas com mensagens racistas

Várias universidades e escolas secundárias da região de Lisboa foram vandalizadas com mensagens de teor racista e xenófobo. "Viva a Europa Branca" ou "Fora com os pretos" são algumas das frases escritas. Várias pessoas denunciaram esta …