Investigação à invasão ao Capitólio mostra falhas das agências federais

Jim Lo Scalzo / EPA

Apoiantes de Donald Trump invadem o edifício do Capitólio, em Washington, EUA

A investigação do Congresso dos Estados Unidos da América à invasão ao Capitólio, em 6 de janeiro, revelou falhas dos serviços de inteligência e das forças de segurança, que conduziram à tentativa de insurreição.

A investigação que está a ser feita pelo Senado encontrou sinais de que apoiantes do antigo Presidente dos Estados Unidos Donald Trump e até elementos de grupos associados à extrema-direita estavam a planear “invadir o Capitólio” com armas de fogo e, possivelmente, infiltrar-se no sistema de túneis por baixo do edifício.

Apesar dos avisos, os serviços de inteligência norte-americanos não consideraram as ameaças uma prioridade.

O resultado foi caótico. O relatório divulgado na terça-feira pelo Senado detalha como os agentes que estavam na linha da frente sofreram queimaduras químicas, lesões cerebrais e fraturas, assim como outras lesões, enquanto tentavam impedir os apoiantes do republicano Trump de invadir o Capitólio.

Os agentes disseram aos investigadores do Senado que se sentiram sem liderança ou ordens específicas sobre como agir enquanto os populares entravam no edifício.

O relatório vai mais longe e aponta à inteligência norte-americana uma falha em consonância com o que aconteceu há 20 anos, durante os atentados de 11 de setembro de 2001: falta de imaginação para equacionar cenários que se podem tornar realidade.

“Este relatório é importante na medida em que nos permite fazer algumas melhorias imediatas na situação de segurança aqui no Capitólio”, disse o senador Gary Peters, que conduziu a investigação, citado pelo Diário de Notícias.

Nas conclusões, é proposta a alteração imediata das chefias das forças de segurança no Capitólio, melhor planeamento e equipamentos para os agentes e a recolha mais eficaz de informação por parte das agências federais.

“Fiquei horrorizado porque nenhum subchefe ou superior estava nas comunicações de rádio”, disse um oficial ao comité do Senado.

Em 20 de janeiro, enquanto o Congresso validava a vitória do democrata Joe Biden nas eleições presidenciais de novembro de 2020, o então chefe de Estado norte-americano, Donald Trump, organizou um comício no qual pediu aos milhares de apoiantes para “reclamarem o poder” e “reclamarem o país”.

Seguiu-se uma tentativa de impedir a confirmação da vitória de Biden, que foi interrompida, mas, mais tarde, retomada, com milhares de pessoas a invadirem o Capitólio, a agredirem os agentes da polícia que estavam no local e a vandalizarem os gabinetes de vários congressistas, nomeadamente da democrata Nancy Pelosi.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Na Tailândia, a legalização do aborto enfrenta "resistência espiritual"

Desde fevereiro, qualquer pessoa que procure fazer um aborto na Tailândia consegue fazê-lo legalmente, pelo menos no primeiro trimestre. Ainda assim, muitos médicos e enfermeiros recusam-se a levar a cabo o procedimento. A advogada Supecha Baotip …

Haiti. Viúva do presidente assassinado implica seguranças no crime

Martine Moise, a viúva do presidente haitiano Jovenel Moise — assassinado na sua residência por um comando armado no início de julho — descreveu abertamente o ataque e partilhou as suas suspeitas sobre o crime …

Covid-19. Portugal regista 2.306 novos casos e aumento nos internados

Portugal registou este domingo 2.306 novos casos de infeção por covid-19 e mais oito mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).  Portugal regista este domingo oito mortes atribuídas à covid-19, 2.306 novos casos …

Birmânia. Líder da junta volta a prometer eleições até 2023, seis meses depois do golpe militar

O líder da junta militar birmanesa, no poder desde o golpe de 1 de fevereiro, comprometeu-se novamente a realizar eleições "até agosto de 2023". “Estamos a trabalhar para estabelecer um sistema multipartidário democrático”, disse, este domingo, …

Tóquio2020. Patrícia Mamona conquista medalha de prata no triplo salto (e melhora recorde nacional)

Patrícia Mamona conquistou este domingo a medalha de prata no triplo salto dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ao conseguir 15,01 metros, novo recorde nacional, arrebatando a segunda medalha por atletas portugueses depois do bronze do judoca …

Trabalhadores da CP e IP iniciam hoje greve ao trabalho extraordinário e feriados

Os trabalhadores da CP - Comboios de Portugal e da Infraestruturas de Portugal (IP) entram este domingo em greve ao trabalho extraordinário e feriados, até 31 de agosto, por aumentos salariais. A greve, convocada pelo Sindicato …

Mesmo longe da Casa Branca, Trump foi o político republicano que mais arrecadou dinheiro em 2021

O ex-Presidente dos Estados Unidos Donald Trump é o político do Partido Republicano que mais arrecadou dinheiro este ano, apesar de ter deixado o cargo a 20 de janeiro, segundo a imprensa local. Os comités políticos …

Marcelo satisfeito com reabertura “sensata”. Alívio das restrições arranca hoje

O levantamento gradual das restrições em função da vacinação contra a covid-19 arranca este domingo com regras aplicáveis em todo o território continental, inclusive o limite de horário de encerramento até às 2h00 para restauração …

Restos mortais de morcego-vampiro podem desvendar mistérios sobre a espécie extinta

A descoberta da mandíbula de um morcego que viveu há 100 mil anos pode ajudar a responder a algumas incógnitas sobre a espécie extinta. Os restos mortais foram encontrados numa caverna na Argentina. De acordo com …

Vacinação de crianças saudáveis está aberta à "livre escolha dos pais"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, salientou este sábado que as autoridades de saúde não proibiram a vacinação contra a covid-19 para crianças saudáveis, considerando que “esse espaço continua aberto à livre escolha …