“Inverno escuro”, negócios de família e o apelo aos “swing states”. Assim foi o último debate presidencial

Os candidatos à presidência dos Estados Unidos encontraram-se pela última vez antes das eleições, em Nashville, Tennessee, mas desta vez num tom onde não prevaleceram os gritos e os insultos. Contudo, os ataques foram duros e mostraram as visões radicalmente diferentes que os candidatos têm.

Desta vez o debate presidencial decorreu em outros moldes. Para além de terem os microfones desligados para evitar o caos do primeiro debate, o último encontro entre Donald Trump e Joe Biden ficou marcado por um tom mais sóbrio. Embora em questões de saúde, economia, racismo e imigração os candidatos mostraram ter posições muito distintas.

O debate moderado pela jornalista da NBC News, Kristen Welker, também passou por alguns dos temas mais explosivos que estão a consumir o ciclo noticioso nos Estados Unidos. Perante estes assuntos Joe Biden procurou ser mais assertivo, já Donald Trump arremessou os podres que acredita ter descoberto sobre o oponente.

Esta foi a derradeira oportunidade para os eleitores norte-americanos mudarem as opiniões de uma parte do eleitorado, uma vez que cerca de 50 milhões de pessoas já votaram por correspondência.

“Inverno escuro”

Mais uma vez a pandemia de covid-19 foi um dos assuntos mais marcantes do debate.

Joe Biden, avisou que os Estados Unidos vão entrar num “inverno escuro” por causa da pandemia de covid-19. “Estamos prestes a entrar num inverno escuro e ele não tem um plano claro”, disse o democrata, referindo-se a Trump.

“220 mil americanos mortos”, afirmou Biden. “Qualquer pessoa que é responsável por tantas mortes não deve continuar a ser Presidente”, defendeu, referindo que o país está neste momento a lidar com 70 mil doentes por dia.

O Presidente dos EUA defendeu a resposta da administração e enquadrou a crise como “uma pandemia mundial”, apontando que a Europa está com um grande aumento de casos de infeção, e lembrando que “temos uma vacina a chegar, está pronta e será anunciada dentro de semanas”.

Trump assegurou é que a pandemia “está a ir-se embora”, algo que Joe Biden criticou, apontando que o republicano “ainda não tem um plano compreensivo” e que a sua previsão para a vacina não é suportada pelas indicações dos cientistas.

“Não nos podemos fechar na cave”, alertou Trump, indicando que se Biden for eleito vai “encerrar” o país todo. “A cura não pode ser pior que o problema em si”, dizendo que Nova Iorque é uma cidade fantasma e criticando a resposta dos estados democratas que ordenaram confinamento.

“Não tenho culpa de que isto tenha chegado cá, a culpa é da China”, afirmou o Presidente dos EUA.

Ataques a Hunter Biden

Depois de ser pressionado por Donald Trump no último debate, Joe Biden defendeu as ações do filho Hunter Biden na Ucrânia e garantiu que nunca recebeu dinheiro de entidades de fora dos EUA. “Nunca recebi um centavo de fontes estrangeiras em qualquer altura da minha vida”, afirmou o candidato democrata.

“Se estas coisas são verdade sobre a Rússia, Ucrânia, China e outros países, então ele é um político corrupto”, acusou Donald Trump. O Presidente referia-se às alegações de que o ex-vice Presidente ganhou dinheiro de forma ilícita num esquema com o seu filho.

Trump acusou Biden de ter recebido 3,5 milhões de dólares (2,97 milhões de euros) da Rússia e referiu o cargo de Hunter Biden na Burisma, uma empresa de energia ucraniana, com possíveis conflitos de interesse. Biden respondeu que “nada foi antiético” na conduta do filho

O democrata disse ainda que “a pessoa que se meteu em problemas na Ucrânia foi ele”, apontando para Trump. “O meu filho não fez dinheiro com a China. Ele é que fez“, aproveitando assim para lançar farpas sobre as acusações de Trump ter uma conta “secreta” no país asiático.

Questionado pela moderadora Kristen Welker, Trump justificou a conta bancária com o seu histórico de homem de negócios e voltou a apontar baterias à família Biden, caracterizando-a como “um aspirador” que “limpa dinheiro” em todos os sítios por onde passa.

A imigração, o racismo e o foco nos swing states

A discórdia voltou quando se discutiu a imigração. Trump disse que foi a Administração Obama que construiu as “jaulas” para os imigrantes. Biden lembrou o meio milhar de crianças separadas dos pais, que agora não se conseguem localizar, e prometeu uma revisão da legislação nos primeiros 100 dias da sua Administração que abra a possibilidade de migrantes não autorizados conquistarem um estatuto legal.

O candidato democrata não hesitou em reconhecer a existência de racismo institucional na América, enquanto Trump reincidiu numa revisão histórica já enunciada na semana passada: nunca nenhum Presidente fez tanto pela comunidade negra como ele, com a provável exceção de Lincoln, definindo-se várias vezes como “o menos racista da sala”.

Trump mostrou-se focado em falar para os eleitores dos “swing states”, os estados pendulares que acabam por decidir as eleições americanas. Quando as alterações climáticas foram o tópico em discussão e Biden admitiu substituir gradualmente a indústria petrolífera. O Presidente olhou diretamente para a câmara e citou dois estados produtores de petróleo e decisivos nas eleições: o Texas e a Pensilvânia.

Joe Biden encontra-se com uma vantagem de cerca de 10 pontos na média das sondagens nacionais, segundo a plataforma FiveThirtyEight. O democrata tem 52,1% das intenções de voto contra 42,2% para Donald Trump.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

22 mil pessoas vão assistir (no estádio) ao Super Bowl

Um terço das pessoas presentes será composto por profissionais de saúde. Quatro equipas ainda na luta pelo título do campeonato principal de futebol americano. O dia 7 de fevereiro vai contar com uma "visão rara" nos …

Investigadores "voltam atrás no tempo" para calcular idade e local de explosão de supernova

Os astrónomos estão a "voltar atrás no tempo" num remanescente de supernova. Usando o Telescópio Espacial Hubble da NASA, refizeram o percurso dos estilhaços velozes da explosão a fim de calcular uma estimativa mais precisa …

Cientista dos EUA acredita que o monstro do Lago Ness pode ser uma antiga tartaruga marinha

Um importante cientista dos Estados Unidos acredita que desvendou o mistério do Monstro de Lago Ness e pensa que a criatura é uma espécie ancestral de tartaruga marinha. Henry Bauer, professor aposentado de Química e Estudos …

Biden quer banir uma palavra das leis de imigração dos Estados Unidos

Se o projeto de lei proposto por Joe Biden, recém-eleito Presidente dos Estados Unidos, for aprovado, a palavra alien ("estrangeiro") vai desaparecer das leis de imigração norte-americanas, sendo substituída pelo termo noncitizen ("não cidadão"). A …

“As pessoas são mortas na mesquita, na rua e no trabalho". Em Cabul, reina o medo

Os assassínios seletivos de jornalistas, políticos e defensores dos direitos humanos são cada vez mais frequentes no país, com Cabul e várias províncias a registarem um aumento da violência nos últimos meses. O medo está …

"Fiquem em casa". Enfermeiros deixam "grito de alerta desesperado" aos portugueses

A Ordem dos Enfermeiros lançou esta sexta-feira uma campanha de sensibilização a apelar aos portugueses para ficarem em casa, afirmando que é “um grito de alerta desesperado face à situação de catástrofe que se vive …

Senado francês aprovou lei que protege os sons e cheiros do campo

O Senado francês aprovou a lei, esta quinta-feira, que protege o "património sensorial" das áreas rurais do país, depois de várias queixas sobre os ruídos e cheiros típicos do campo. De acordo com o canal televisivo …

Identificado em Portugal o primeiro caso da variante da África do Sul

O primeiro caso de covid-19 associado à variante genética da África do Sul foi identificado esta sexta-feira em Portugal pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), adiantou à agência Lusa a instituição. O caso identificado …

Está a nascer o primeiro comboio português a hidrogénio (e vai substituir o Vouguinha)

Já arrancou o projecto para o desenvolvimento do primeiro comboio português a hidrogénio. A iniciativa visa transformar as automotoras a gasóleo que circulam na Linha do Vouga - o comboio chamado Vouguinha - por células …

Guardiola diz que Bernardo Silva "sempre foi importante" para City

O treinador Pep Guardiola disse esta sexta-feira que o português Bernardo Silva “está de volta” ao melhor nível e que “sempre foi importante" para o Manchester City, depois de ter "sentido" dificuldades na temporada passada. “Ele …