Foi a gota de água. Passageiros “em desespero” invadiram barco da Transtejo

Uma dezena de passageiros invadiu, nesta terça-feira de manhã, um barco da Transtejo que faz a ligação entre o Seixal e o Cais do Sodré, em Lisboa. Foi o “desespero” pelos sucessivos atrasos que levam a Câmara do Seixal a pedir ao Governo que cumpra o que prometeu.

Depois da supressão da ligação das 08:10 horas entre o Seixal e Lisboa, dezenas de pessoas invadiram o barco que devia sair pelas 08:30 horas. O excesso de passageiros impediu que o barco prosseguisse a viagem, durante cerca de uma hora.

A Polícia Marítima foi obrigada a intervir para “tentar acalmar os ânimos das pessoas, que queriam ir trabalhar e não conseguiam porque o barco não podia sair por excesso de pessoas”, revela à TSF uma fonte da força de autoridade.

“Houve alguns passageiros que, insatisfeitos com o horário, invadiram o navio”, conta na mesma Rádio a presidente do Conselho de Administração da Transtejo, Marina Ferreira, notando que houve um “ambiente tenso” e que foi preciso “retirar alguns passageiros do navio” para prosseguir a viagem.

A confusão gerou-se pelo facto de a travessia estar a ser feita com apenas um navio, desde domingo passado, devido a uma avaria na hélice do outro barco que costuma operar na zona.

A Transtejo já desviou um barco de Cacilhas para reforçar a ligação, mas “o problema vai-se manter”, alerta o dirigente da comissão de utentes do Seixal, Horta Pinheiro, na Rádio Renascença.

“Não podemos continuar na situação de não termos barcos, é uma situação que se repete constantemente”, salienta ainda Horta Pinheiro, lamentando que os passageiros habituais “já estão em desespero, já não conseguem saber quando é que chegam aos seus empregos”.

A presidente do conselho de administração da Transtejo admite à Renascença que a empresa não tem navios suficientes para cumprir a procura nas horas de ponta, lamentando que a frota não é renovada “há mais de 20 anos”.

“Há desgaste de material, os navios estão sujeitos a uma intensidade de carga brutal todos os dias”, diz Marina Ferreira, salientando que os navios fazem “muitas viagens, muitas horas, muito acima do que é normal em navios deste tipo”, o que propicia o aparecimento de avarias.

“Situação insustentável que o Governo podia evitar”

O presidente da Câmara do Seixal, Joaquim Santos, junta-se aos protestos dos utentes e considera, em declarações à TSF, que a situação “poderia e deveria ter sido evitada”, caso o Governo tivesse cumprido as promessas que fez.

“Esta é uma situação insustentável e que apesar das sucessivas promessas por parte do Governo, pouco ou nada mudou no transporte fluvial”, lamenta Joaquim Santos, notando que a situação desta terça-feira foi “a gota de água” na paciência dos passageiros.

O autarca apela a um maior investimento do Governo na área do transporte fluvial, frisando que em 2017, o Ministério do Ambiente prometeu “um investimento de 10 milhões de euros para a manutenção da frota de navios da Transtejo e Soflusa”.

“O transporte fluvial assume um papel de extrema importância na mobilidade das populações, transportando cerca de 5 mil pessoas por dia para Lisboa“, destaca Joaquim Santos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. reduzam o numero de administradores e de pessoal pago a peso de ouro que pouco ou nada faz.
    talvez assim os milhoes cheguem para fazer as reparaçoes necessarias!

Responder a ze Cancelar resposta

Erros na prescrição obrigam a novas medidas de segurança para medicamentos para cancro e doenças inflamatórias

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) recomenda novas medidas de segurança para evitar erros na prescrição e administração de medicamentos com metotrexato. Devido a erros de prescrição, a Agência Europeia do Medicamento recomenda novas medidas de …

Cartel de construtoras dos estádios do Mundial do Brasil investigado

Foi aberto um processo administrativo para investigar um cartel mantido por empresas de engenharia que atuou nas obras dos estádios usados no Mundial de futebol do Brasil, em 2014. O Governo brasileiro informou esta quarta-feira que …

Novos modelos de carros elétricos vão triplicar. Produção em Portugal "será praticamente inexistente"

O número de modelos de veículos elétricos irá triplicar no mercado europeu até 2021, mas a produção destes veículos em Portugal será praticamente inexistente até 2025, indica um estudo da Federação Europeia dos Transportes e …

Microsoft quer usar a inteligência artificial para salvar a história

Muitas pessoas associam a tecnologia àquilo que vai condenar a nossa espécie, mas a Microsoft planeia agora usar inteligência artificial para preservar a cultura, a linguagem e a história. O projeto "AI for Good", que em …

Bruxelas investiga Amazon por alegado uso de dados pessoais de vendedores

A Comissão Europeia abriu, esta quarta-feira, uma investigação à Amazon para determinar se a empresa usou informações pessoais “confidenciais” de vendedores independentes, quebrando as regras comunitárias na área da concorrência. A Comissão Europeia abriu uma investigação …

Parlamento não sabe o que fazer ao Acordo Ortográfico

Depois de dois anos de meio, foram ouvidas 16 entidades, recebidos 20 contributos escritos, houve uma petição, um projeto de resolução chumbado e uma iniciativa legislativa de cidadãos. Mas a Assembleia da República continua sem …

Ministério da Educação quer reduzir peso excessivo das mochilas dos alunos

O Ministério da Educação lançou esta quinta-feira uma campanha para sensibilizar pais, alunos, professores e diretores escolares a adotar medidas que reduzam o peso excessivo das mochilas dos alunos. A campanha de sensibilização lançada esta quinta-feira …

Morreu o eurodeputado do PS André Bradford. Estava em coma induzido

O eurodeputado do PS André Bradford, que estava em coma induzido desde dia 8 deste mês, faleceu nesta quinta-feira no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, revelou à agência Lusa fonte do PS/Açores. Bradford, …

Crise dos opióides nos EUA: 76 mil milhões de comprimidos e 70 mil overdoses

Entre 2006 e 2012 foram distribuídos setenta e seis mil milhões de comprimidos de duas substâncias opióides, a oxicodona e a di-hidrocodeína. As mais de 70 mil registadas em 2017 representam um aumento para o …

Erosão da costa portuguesa é grave (e vai piorar)

As zonas da costa com ocupação humana são as mais atingidas pelos efeitos da erosão costeira em Portugal, uma situação que vai agudizar-se, apesar das medidas que têm sido tomadas e que custam anualmente milhões …