A impressão da sua orelha pode pô-lo na prisão

Em 1996, o procurador de Leeds, no Reino Unido, utilizou pela primeira vez a impressão de uma orelha para acusar Mark Dallagher do assassinato de uma mulher idosa.

O advogado defendeu que a impressão tinha ficado na janela do domicílio da vítima enquanto o delinquente ouvia o que estava a acontecer dentro da casa.

Desde então, foram muitos os que acabaram atrás das grades por cometer um ato criminoso, enquanto inocentemente apoiavam as cabeças no lintel de uma porta ou no alvo de uma espingarda. Lá, deixaram a marca de identificação que permitia aos investigadores facilitar a sua detenção.

Todos conhecemos os métodos mais comuns de identificação usados ​​pelos órgãos de segurança do Estado, como a impressão digital, a palmar ou a plantar, ou aqueles que emergiram com as novas tecnologias, como as características da íris, o estudo de ADN ou o reconhecimento da voz.

De acordo com a ABC, não é tão popular para o público em geral analisar os vestígios da impressão auricular, que é conhecido pelo neologismo do otograma.

Este tipo de estudo de identificação baseia-se no facto de que a impressão auricular é uma das características mais confiáveis ​​no reconhecimento biométrico e que, ao contrário das impressões digitais, quase não há mudanças ao longo da vida de uma pessoa.

O pavilhão auricular é constituído por um esqueleto cartilaginoso, que se dobra sobre si mesmo formando relevos e depressões, que como um todo configuram ao pavilhão uma forma característica. Do ponto de vista jurídico, o que interessa saber são aquelas regiões anatómicas mais proeminentes e que são postas em contacto com uma determinada superfície: hélice, antehélix, andorinha e antitrago.

A análise do todo faz com que o ouvido se transforme num cartão de visita universal, já que a sua anatomia lhe confere algumas características muito interessantes: individualidade, enorme durabilidade e aceitabilidade em áreas judiciais.

Apesar de tudo, do ponto de vista médico forense, o ouvido ainda permanece uma parte do corpo subutilizado no reconhecimento de uma pessoa. A sua descoberta é muito antiga e remonta ao século XIX.

Foi o antropólogo francês Alphonse Bertillon que considerou que o ouvido era um dos elementos mais importantes na descrição de uma pessoa. Este cientista afirmou abertamente que é quase impossível encontrar dois ouvidos idênticos em todas as suas partes. Baseando-se nessa premissa, em 1964, o polícia Alfred Víctor Iannarelli, da Califórnia, apresentou um novo sistema, denominado Earology, afirmando que o ouvido humano, juntamente com a impressão digital, era um dos melhores meios para identificar um indivíduo.

Desde então, o avanço nesse campo tem sido espetacular: a polícia científica não tem apenas um sistema estatístico, mas também uma nomenclatura dos pontos do ouvido.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Federer acusado de manobrar a tabela ATP

Contas da associação de tenistas foram alteradas por causa do coronavírus. Roger Federer está no quinto lugar mas só disputou um torneio ao longo de 2020. Em ano anormal, contas anormais: a tabela oficial da Associação …

Astrónomo do Instituto SETI garante que vamos encontrar extraterrestres até 2036

Seth Shostak, astrónomo e astrofísico do Instituto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) está convencido de que os humanos vão encontrar uma civilização extraterrestre inteligente até 2036. “O SETI duplica a velocidade aproximadamente a cada dois anos …

Mais leve e elegante. Assim é a nova e-bike que vai chegar às ruas da Europa

A startup Urban Cycles Oy, com sede em Helsínquia, demarcou uma espécie de lacuna no mercado europeu de bicicletas elétricas e por isso quis preenchê-la. O objetivo era produzir uma bicicleta elegante e mais leve. Um …

Incêndio reduz a maior ilha de areia do mundo a metade. É Património da Humanidade

Quase metade de Fraser, a maior ilha de areia do mundo, que se situa no nordeste da Austrália e foi classificada como Património da Humanidade pela UNESCO, foi destruída por um incêndio florestal. O incêndio queimou …

"Toca de bruxaria" permaneceu até agora numa casa do século XVI. Encontrados crânios de cavalo e veneno

Uma casa cheia de objetos ocultos foi recentemente alvo de grande interesse. O espaço estava localizado dentro de numa casa do século XVI no País de Gales, e encontrava-se repleto de objetos ocultos, incluindo crânios …

Em 1843, o primeiro cartão de Natal foi considerado "escandaloso" (agora vai ser leiloado pela Christie)

Um exemplar do primeiro cartão de Natal impresso comercialmente, em 1843, que retratava uma cena da era vitoriana que escandalizou a população, vai ser posto à venda esta sexta-feira e é considerado um item raríssimo. Este …

Marcelo quer alívio de restrições no Natal sem pôr em xeque janeiro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta sexta-feira esperar que a "possível exceção" no Natal ao quadro de restrições para conter a covid-19 "seja bem entendida e bem vivida" e não provoque …

Bill Gates diz que o mundo estará de volta à normalidade já na primavera de 2021

Bill Gates, que desde 2015 tinha vindo a lançar alguns alertas sobre uma possível pandemia, deixou agora uma mensagem de esperança ao dizer que acredita que os EUA irão voltar ao normal na primavera de …

Mais um passo na hegemonia. China constrói aldeia nos Himalaias, em zona também disputada pela Índia e pelo Butão

Novas imagens de satélite mostram que a China construiu uma aldeia nos Himalaias, ao longo de uma fronteira que também é disputada pela Índia e pelo Butão, e que foi palco de um impasse agressivo …

João Félix eleito jogador do mês da liga espanhola. Ronaldo vence prémio em Itália

O português João Félix, do Atlético de Madrid, foi eleito o melhor jogador da Liga espanhola de futebol do mês de novembro. O luso revelou-se uma peça fundamental durante todo o mês e ajudou a equipa …