/

A icónica “voz” do Titanic pode ser recuperada (mas nem todos estão felizes)

(dr) Atlantic Productions

Um telégrafo sem fios, muitas vezes chamado de “voz do Titanic” pelo seu papel no envio de mensagens de socorro na fatídica noite de 1912, que o navio atingiu um icebergue, poderá ser recuperado.

Apesar do anúncio da possível recuperação da “voz” do Titanic, nem toda a gente ficou feliz e os especialistas dizem-se mesmo chocados com as críticas e as manifestações de desprezo.

O oceanógrafo David Gallo, da empresa RMS Titanic Inc, disse, de acordo com o LiveScience, que a proposta era uma tentativa de salvar o artefacto icónico antes que se perdesse para sempre. A empresa esperava alguma oposição ao seu plano de recuperação, mas não estava preparada pela “ultrajante” e desinformada reação negativa.

“Fui chamado de caçador de tesouros ganancioso, ladrão de túmulos”, disse Gallo. “Acho essas acusações pessoalmente ofensivas”.

Considerado o navio mais luxuoso e seguro do mundo, o Titanic naufragou na madrugada de 15 de abril de 1912, depois de colidir com um icebergue. A embarcação fazia a sua viagem inaugural, depois de partir de Southampton, em Inglaterra, com destino a Nova Iorque, nos Estados Unidos.

O telégrafo sem fios Marconi enviou chamadas de socorro frenéticas nas noites de 14 e 15 de abril de 1912, depois de o navio começar a afundar. Apenas cerca de 700 das mais de 2.300 pessoas a bordo sobreviveram.

O vídeo subaquático feito no ano passado mostrou que o “Marconi Room” no convés do Titanic está muito corroído pela ferrugem e a colapsar, por isso a máquina pode ser irrecuperável em breve.

A RMS Titanic Inc. foi estabelecida num tribunal federal dos Estados Unidos em 1994 como o salvador oficial dos destroços do Titanic e o administrador de artefactos recuperados. No entanto, o tribunal ordenou em 2000 que nada deveria ser cortado ou libertado dos destroços.

A empresa propôs que uma expedição aos destroços no final deste ano poderia usar robôs subaquáticos para libertar o telégrafo. O uso de robôs subaquáticos para libertar e recuperar a máquina telegráfica custaria entre cinco e sete milhões de dólares.

Porém, a sua tentativa de obter aprovação de um tribunal federal foi contestada pelos governos dos Estados Unidos e do Reino Unido, que afirmam que o naufrágio do Titanic agora está protegido por um acordo entre os dois países, de acordo com a CNN.

A empresa pediu ao tribunal que modifique essa ordem e a juíza distrital dos EUA, Rebecca Beach Smith, pediu tempo para considerar a proposta, devendo tomar essa decisão nas próximas semanas.

Os cientistas já observaram que o naufrágio está a deteriorar-se rapidamente devido à ferrugem e à atividade de microorganismos do fundo do mar. Alguns acreditam mesmo que o Titanic pode desaparecer completamente em alguns anos.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.