Empresa norte-americana quer recuperar o transmissor do Titanic que lançou as chamadas de socorro

Teufelbeutel / Wikimedia

“Viagem inaugural do Titanic”, óleo de Karl Beutel

A empresa privada norte-americana RMS Titanic Inc quer remover o equipamento de rádio da empresa Marconi que está entre os destroços do Titanic.

A empresa pretende levar a cabo a “remoção cirúrgica” dos aparelhos de rádio através de robôs especais, escreve o jornal The Telegraph, que avança a notícia esta quarta-feira.

Através de um submarino tripulado, a empresa norte-americana pretende controlar o robô que começará por remover parte do teto que está sobre a sala da rádio. Depois, a expedição prende recuperar o transmissor que lançou as chamadas de socorro no início da manhã de 15 de abril de 1912, data em que ocorreu o naufrágio.

A RMS Titanic Inc frisa que as condições do navio estão a piorar, podendo o teto da sala da rádio desabar nos próximos anos, enterrando o que resta da estação de rádio.

O jornal britânico recorda ainda que a ideia de retirar objetos do interior do navio foi já criticada no passado. Expedições anterior retiraram apenas objetos dos destroços que se espalharam junto do local do naufrágio.

Não foram ainda retirados quaisquer objetos do interior da embarcação.

Considerado o navio mais luxuoso e seguro do mundo, o Titanic naufragou com mais de 1500 pessoas a bordo na madrugada de 15 de abril de 1912, depois de colidir com um icebergue. A embarcação fazia a sua viagem inaugural, depois de partir de Southampton, em Inglaterra, com destino a Nova Iorque, nos Estados Unidos.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.