Sim, os humanos usam meias com riscas há mais tempo do que se pensava

(dr) Joanne Dyer / The British Museum

Uma das peças de roupa analisadas pelos investigadores do Museu Britânico de Londres

Os antigos egípcios utilizaram várias técnicas para criar peças de vestuário com várias cores, como por exemplo meias, com a ajuda de apenas três plantas.

Uma equipa de investigadores do Museu Britânico de Londres, no Reino Unido, procedeu a uma análise não invasiva de várias peças de roupa do Antigo Egipto, revelando as técnicas e os materiais usados, escreve o Science Alert.

Os cientistas usaram uma técnica de multiespectro, com recurso a uma câmara fotográfica Canon 40D, em diferentes artigos guardados no museu, entre eles uma meia de lã e linho de criança produzida entre os séculos III e IV na cidade egípcia de Antinoópolis.

Desta forma, os autores do estudo, publicado na passada quinta-feira na revista científica PLOS One, obtiveram imagens numa ampla gama de ondas, desde a luz percetível ao olho humano até à radiação infravermelha e ultravioleta.

Por fim, os cientistas utilizaram um microscópio digital para analisar em detalhe as diversas fibras da peça de vestuário, prescindido da necessidade de extrair alguma amostra (uma medida frequente nas investigações mas que, neste caso, iria danificar o objeto).

Como resultado, os investigadores descobriram que as diversas cores da peça analisada foram criados com componentes obtidos a partir de três plantas: Rubia tinctorum (vermelho), Isatis tinctoria (azul) e Reseda luteola (amarelo).

(dr) Joanne Dyer / The British Museum

Além disso, a equipa revela que a meia em questão, que faz parte da coleção do museu desde 1914, foi fabricada através de uma técnica antiga chamada “nålbinding” – que ligava os fios com a ajuda de uma agulha – e que utilizou seis ou sete cores de diferentes fios de lã tingidos com a combinação dos corantes naturais mencionados acima.

“Foi emocionante descobrir que as diferentes riscas coloridas encontradas na meia foram criadas ao usar uma combinação de apenas três corantes naturais”, disse Joanne Dyer, investigadora do Museu Britânico e co-autora deste estudo, ao The Guardian.

“Durante este período aconteceram muitas coisas no Egipto como a conquista árabe e a saída dos romanos. Estes eventos afetam a economia, o comércio e a disponibilidade de materiais, algo que é refletido na composição técnica da roupa que as pessoas usavam, assim como os métodos utilizados para as fabricar”, explica ainda.

A inovadora técnica de estudo não só permite investigar os objetos arqueológicos têxteis sem os danificar, como também avaliar se estão aptos para serem expostos em museus, tendo em conta o facto de os corantes serem geralmente sensíveis à luz.

ZAP // RT

PARTILHAR

RESPONDER

PCP de "espírito aberto" para conversações sobre OE, mas recusa "chantagens"

O PCP encara as conversações sobre o Orçamento do Estado de 2021 com “espírito aberto”, sem “linhas vermelhas ou azuis”, mas recusa “chantagens” e “pressões” do primeiro-ministro, disse este domingo o secretário-geral dos comunistas. Numa conferência …

Os dinossauros conquistaram o mundo após uma extinção em massa na Terra

Uma equipa internacional de cientistas identificou um evento anteriormente desconhecido de extinção massiva da vida na Terra que ocorreu há 223 milhões de anos e desencadeou a conquista do mundo pelos dinossauros. O estudo liderado por …

FinCEN Files. Isabel dos Santos e marido envolvidos em investigação aos maiores bancos mundiais

Isabel dos Santos e Sindika Dokolo estão entre os clientes confidenciais de bancos que foram reportados às autoridades norte-americanas, segundo uma investigação do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ). A empresária angolana Isabel dos Santos …

Alojamento local, hotéis e pousadas. Governo anuncia mais 4.500 camas para universitários

Acordos com hotéis e alojamentos locais vão reforçar a oferta de alojamento estudantil depois de uma perda de 15% dos lugares em residências. Hotéis, pousadas da juventude e unidades de alojamento local vão disponibilizar “mais 4.500 …

As girafas são tão altas que podem funcionar como um pára-raios fatal

A ideia de que a girafa pode funcionar como um pára-raios não é nova e já se sabe que estes animais já foram mortos por relâmpagos. Porém, agora, cientistas descreveram as circunstâncias em detalhe pela …

A Antártida está em perigo. "Glaciar do juízo final" está a derreter a um ritmo alarmante

Novas estudos deixam um alerta: A Antártica está a correr sérios perigos de desaparecer. Os cientistas já apelidaram o Thwaites - um glaciar do tamanho da Grã-Bretanha localizado no oeste do continente -  de "glaciar …

Revelada origem das galáxias mais "extremas"

Os astrónomos descobriram que a chave para entender as galáxias com tamanhos "extremos", pequenas ou grandes, pode estar nos seus arredores. Em dois estudos relacionados, uma equipa internacional descobriu que as galáxias que são "ultracompactas" ou …

Cientista sugere construir abrigos em Marte com polímeros de insetos e solo marciano

Um cientista da Universidade de Tecnologia e Design de Singapura desenvolveu uma tecnologia à base de quitina que poderia ser utilizada para produzir ferramentas e abrigos marcianos. Javier Fernandez e os seus colegas utilizaram substâncias químicas …

Mergulhadores terão encontrado o USS Grenadier, um submarino norte-americano perdido na 2.ª Guerra

O submarino norte-americano USS Grenadier, perdido durante a II Guerra Mundial, terá sido encontrado por mergulhadores no estreito de Malaca, perto da Tailândia. Os mergulhadores acreditam ter encontrado no estreito de Malaca, a 150 quilómetros a …

Justiça angolana manda encerrar todos os templos da IURD em Angola

A justiça angolana ordenou o encerramento e apreensão de todos os templos da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) em Angola, estando o processo de selagem a ser feito “de forma gradual”, disse à …