Falta de médicos alastra. Hospital de Santarém com equipa reduzida em obstetrícia

8

O Hospital de Santarém esteve este sábado com uma equipa reduzida em obstetrícia e pediu ao centro de orientação de doentes urgentes (CODU) para reencaminhar eventuais utentes para outros hospitais, disse à Lusa fonte da unidade.

“Entre as 08h00 deste sábado e as 08h00 de domingo o hospital está com uma equipa reduzida e, por isso, foi feita uma reorganização do serviço de urgências”, afirmou a fonte, explicando que as urgências de obstetrícia não estão encerradas, há é um pedido ao CODU para reencaminhar casos para outros hospitais da zona, por falta de recursos humanos em Santarém.

A fonte não disse se a situação se normalizará a partir das 08h00 de domingo.

Segundo a mesma fonte, a situação de falta de recursos só se verificou este sábado, tanto mais que na sexta-feira foram feitos seis partos e o hospital esteve a receber doentes de Vila Franca de Xira.

“Os hospitais trabalham em rede, e sempre que é ativado o INEM [Instituto Nacional de Emergência Médica] essa ativação é gerida pelo CODU. O que fizemos foi avisar o CODU de que vamos estar com uma equipa reduzida da manhã de hoje às 08h00 de domingo. É uma situação normal, precisamente porque os hospitais funcionam em rede”, disse a fonte.

Na sexta-feira a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) alertou para constrangimentos no funcionamento dos serviços de obstetrícia e ginecologia até segunda-feira em vários hospitais na região de Lisboa.

“Apesar de todos os esforços desenvolvidos, não foi possível ultrapassar os constrangimentos no funcionamento de alguns serviços de obstetrícia/ginecologia da região, que irão ocorrer entre o final do dia de hoje (10 de junho) e o final do dia de segunda-feira (13 de junho), período de feriados”, disse a ARSLVT, em comunicado.

Já este sábado, o Hospital de Braga confirmou que vai fechar domingo, e durante 24 horas, a urgência de obstetrícia “pela impossibilidade de completar escalas”, depois do Sindicato Independente dos Médicos (SIM) ter denunciado a situação.

Na sexta-feira foi noticiado o caso de uma grávida que perdeu o bebé alegadamente por falta de obstetras no hospital das Caldas da Rainha.

  // Lusa

8 Comments

    • O SNS está a dar o berro. A sua viabilidade está em declínio total. Cada vez há mais hospitais privados e que estão apostar em seguros de saúde muito competitivos. Os profissionais de saúde estão a saltar do SNS para o privado e outros estão a seguir para o estrangeiro. O SNS começa a ficar moribundo, com falta de tanta gente e com profissionais menos qualificados.

  1. Não compreendo nada disto. Há 2 semanas atrás havia médicos para todos, as urgências não fechavam nem ninguém reclamou, e de repente estão todos a fechar por falta de médicos? Para onde é que eles foram ? Se há 2 semanas atrás haviam, porque razão de repente não há médicos?

    • Onde é que havia médicos para todos? Deves andar a dormir como o governo. Só em médicos de família há cerca de 1.200.000 portugueses sem médico. A incompetente Ministra da Saúde quase sempre se defende (mentindo) dizendo que já entraram não sei quantos médicos. Só não diz quantos saíram. Pode-se dizer que entraram, por exemplo, mil médicos, mas saíram 3 ou 4 mil. E assim vamos andando nesta panaceia perigosa.

      • Se eles saiem todos é porque também são uns interesseiros do carago. Querem ganhar toneladas de dinheiro e vão para os privados e afinal o serviço que eles fazem no privado não é lá grande coisa.

        Quanto ao governo, esse pode sempre aumentar as vagas no ensino superior para médicos. Talvez dessa forma já haja mais médicos e todos se debatam por um lugar ao sol não fugindo dessa forma para os privados.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.