Homens mascarados invadiram metro e feriram 45 pessoas em Hong Kong. A polícia chegou demasiado tarde

A.Fauth / Flickr

Hong Kong passou uma noite de violência em que dezenas de homens mascarados invadiram uma estação de comboios.

Os homens, suspeitos de pertencerem a gangues, envergavam t-shirts brancas e agrediram manifestantes pró-democracia e transeuntes da área de Yueng Long. Apesar das várias semanas de manifestações, esta é a primeira vez que há este tipo de violência.

Filmagens publicadas nas redes sociais mostram um grupo de 12 invasores – alguns com máscaras pretas – a agredir pessoas com varas metálicas e de madeira dentro da estação, num confronto que feriu 45 passageiros. Dezenas de pessoas foram hospitalizadas e, segundo o hospital, há um homem em estado crítico e quatro homens e uma mulher em estado grave, de acordo com o The Guardian.

Entre os feridos no ataque, com idades compreendidas entre os 18 e os 64 anos, estão manifestantes que regressavam de um grande protesto contra o Governo, mas também uma grávida e uma outra mulher com uma criança de colo, de acordo com testemunhas.

“Estas (ações) prejudicaram gravemente o espírito de Estado de Direito ao qual Hong Kong está profundamente ligado e ofenderam seriamente todo o povo chinês, incluindo os sete milhões de compatriotas de Hong Kong”, afirmou Wang Zhimin, chefe do Gabinete de Ligação de Pequim, aos jornalistas.

Vários juristas de Hong Kong questionam por que motivo a polícia demorou tanto a chegar ao local, reporta a BBC.  Quando a polícia chegou à estação, depois das 23h locais, já os agressores tinham ido embora e manifestantes furiosos exigiram saber por que motivo as autoridades demoraram tanto tempo a chegar.

Na manhã desta segunda-feira, ativistas e dirigentes partidários criticaram a atuação policial. “Hong Kong agora permite que organizações criminosas façam o que querem e espanquem pessoas na rua?”, interrogou-se o deputado Lam Cheuk-ting, que estava entre os feridos, em declarações aos jornalistas.

Ray Chan, um outro deputado, lembrou que “Hong Kong tem um dos rácios polícia-cidadão mais elevados do mundo” antes de perguntar: “Onde estava a polícia?”.

A polícia, que entrou numa pequena localidade perto da estação de Yuen Long onde grupos de homens vestidos de branco se haviam concentrado na madrugada desta segunda-feira, disse não ter visto quaisquer armas.

Em comunicado, o Governo de Hong Kong confirmou que “algumas pessoas” atacaram passageiros na plataforma da estação e nos compartimentos do metro. “Isso levou a confrontos e a ferimentos. O Executivo condena veementemente qualquer tipo de violência e vai levar a cabo sérias ações de fiscalização”. Ativistas acreditam que já nos protestos pró-democracia de 2014 foram contratados agressores, possivelmente do sul da China, onde é comum as autoridades locais contratarem homens para intimidarem residentes.

Ainda são desconhecidos os autores dos ataques. Horas antes, uma marcha de centenas de milhares de pessoas terminou em confrontos com a polícia, que lançou gás lacrimogéneo e disparou balas de borracha para dispersar os manifestantes.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Não haverá repatriamento. Governo faz alerta contra férias em destinos longínquos

O Governo avisou, esta quarta-feira, os portugueses que planeiem férias em "destinos exóticos ou com ligações fracas a Portugal" que não devem contar com operações de repatriamento como as realizadas no início da pandemia. "Estamos a …

Tribunal Geral da UE anula multa de 13 mil milhões de Bruxelas à Apple

O Tribunal Geral da União Europeia (UE) decidiu, esta quarta-feira, anular a multa de 13 mil milhões de euros imposta pela Comissão Europeia à Apple por alegados benefícios fiscais ilegais na Irlanda. "O Tribunal Geral anula …

Autoridade belga multa Google em 600 mil euros por falha no "direito a ser esquecido"

A autoridade belga de proteção de dados anunciou na terça-feira que impôs uma multa de 600 mil euros à empresa Google Belgium por falta de conformidade no direito a ser esquecido, pedido por um cidadão. Numa …

Costa avisa: País não aguenta novo confinamento. Inverno tem de ser preparado já

O primeiro-ministro considerou, esta quarta-feira, que o país não aguenta um novo período de confinamento por causa da covid-19 e avisou que o tempo é "curtíssimo" para a sociedade se preparar para o próximo inverno. Esta …

Parlamento aprova relatório da audição de Centeno para governador do BdP

O relatório da audição de Mário Centeno no âmbito da proposta de designação para governador do Banco de Portugal foi aprovado, esta quarta-feira, pelos deputados com voto favorável do PS e a abstenção do PSD …

Nova campanha da Casa Branca pede a milhões de desempregados que encontrem outro emprego

A pandemia de covid-19 foi um verdadeiro balde de água fria para muitos norte-americanos que acabaram no desemprego. Agora, uma nova campanha publicitária apoiada pela Casa Branca visa incentivar as pessoas desempregadas a "encontrar algo …

"Mais vale tarde do que nunca", diz Presidente sobre acusação no caso BES

O Presidente da República considerou, esta quarta-feira, que a justiça portuguesa "está a viver um bom período" e a dedução da acusação no caso BES "é uma boa notícia", observando que "mais vale tarde do …

Durante a pandemia, as pessoas movimentaram (e guardaram) mais notas e moedas

A pandemia de covid-19, que em dezembro do ano passado surgiu na China, fez com que as pessoas movimentassem (e guardassem) mais dinheiro físico, apesar de as opções digitais serem consideradas mais seguras. A conclusão …

Marinheiros partiram para alto mar sem covid-19 (mas regressaram misteriosamente infetados)

A Argentina está a ver-se a braços com um mistério médico, numa altura em que 57 marinheiros regressaram a terra infetados com covid-19 depois de 35 dias em alto mar. Os membros da tripulação do …

EUA aprovam fim do estatuto especial de Hong Kong. China ameaça retaliar

O Governo chinês considerou esta quarta-feira a Lei da Autonomia de Hong Kong, assinada pelo Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, uma "grave interferência nos assuntos internos" do país e ameaçou retaliar. Numa declaração, o …