Procurador-geral admite que há uma separação entre polícia e afro-americanos

Office of Public Affairs / Wikimedia

William Barr, procurador-geral dos Estados Unidos

O procurador-geral norte-americano reconheceu, esta quinta-feira, a existência de uma separação entre afro-americanos e a polícia e prometeu uma investigação sem limites do Departamento da Justiça para saber se houve um crime federal no assassínio de George Floyd.

Em conferência de imprensa, o procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, afirmou que, “apesar de a vasta maioria dos agentes da polícia fazerem o seu trabalho de forma brava e correta, é inegável que muitos afro-americanos não têm confiança no sistema de justiça criminal” norte-americano.

Isto precisa de mudar. A nossa Constituição determina a igualdade das leis e nada menos é aceitável”, insistiu.

Estes comentários aparecem em contraste com anteriores declarações suas, em que condenou os protestos contra a polícia e o que descreveu como “um padrão perturbante de cinismo e desrespeito evidenciado para com a aplicação da lei”.

Mas, na quinta-feira, insistiu que a sua opinião tem sido consistente e que a maioria dos agentes da polícia “procura conscientemente usar a força de forma razoável e apropriada”.

Desde a morte de George Floyd, têm-se sucedido os protestos contra a brutalidade policial e o racismo em dezenas de cidades norte-americanas, algumas das quais foram palco de atos de pilhagem e violência.

Pelo menos 10 mil pessoas foram detidas desde o início dos protestos, e as autoridades impuseram recolher obrigatório em várias cidades, incluindo Washington e Nova Iorque, enquanto o Presidente Donald Trump já ameaçou mobilizar os militares para pôr fim aos distúrbios nas ruas.

Os quatro polícias envolvidos foram despedidos e o agente Derek Chauvin, que colocou o joelho no pescoço do afro-americano, foi acusado de homicídio em segundo grau, arriscando uma pena máxima de 40 anos de prisão. Os restantes vão responder por auxílio e cumplicidade de homicídio em segundo grau e por homicídio involuntário.

Na Europa, várias cidades também estão a organizar protestos para esta sexta-feira, nomeadamente, Londres, Oslo e Vílnius.

No Reino Unido, o pedido dos organizadores passa por as pessoas se ajoelharem às 12h00 locais, iniciativa diferente da realizada quarta-feira à noite, quando centenas de pessoas se juntaram no centro de Londres, próximo do Parlamento, onde ocorreram confrontos entre a polícia e ativistas, que levaram à detenção de 13 deles.

Em Oslo, os organizadores do evento ainda não definiram a forma como irão concretizar a iniciativa, uma vez que as autoridades norueguesas recusaram os pedidos para realizar manifestações nas três maiores cidades do país (além de Oslo, Bergen e Trondheim), alegando restrições por causa da pandemia de covid-19.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Morreu um dos jovens infetados com peste negra na Mongólia

Morreu um dos jovens infetados com peste bubónica, também conhecida como peste negra, na Mongólia. O rapaz contraiu a doença depois de ter comido carne de marmota. Um jovem de 15 anos morreu, esta segunda-feira, vítima …

PCP quer Costa no Parlamento de 15 em 15 dias (e não vai contribuir para acabar com os debates quinzenais)

O PCP não concorda que será o fim da democracia caso os debate quinzenais passem a mensais. No entanto, não vai contribuir para acabar com este modelo. Ao Expresso, o deputado comunista António Filipe Duarte garantiu …

"Espero contar tudo o que sei". Cientista chinesa fugiu da China para alertar que "não temos muito tempo"

A virologista chinesa Li-Meng Yan, que fugiu para os Estados Unidos, deu uma segunda entrevista à Fox News, na qual alertou que "não temos muito tempo".   Li-Meng Yan, especialista em virologia e imunologia, era uma …

Galp perde 60 milhões de euros em negócios não autorizados

A Galp perdeu 60 milhões de euros em negócios não autorizados com licenças de CO2. A petrolífera já avançou com ações disciplinares e uma auditoria. A Galp informou que foram identificadas transações, não autorizadas pela empresa, …

"Bandeira vermelha". Tóquio em alerta máximo após aumento de novas infeções

A capital do Japão, Tóquio, com 14 milhões de habitantes, está no nível mais alto de alerta para o novo coronavírus após um aumento dos casos registados. “Os especialistas disseram-nos que a situação das infeções está …

Operação Saco Azul. Empresas "zombie" terão desviado 1,8 milhões do Benfica

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e a SAD do clube lisboeta foram constituídos arguidos pelo crime de fraude fiscal, no âmbito da operação ‘saco azul’, confirmou esta terça-feira à agência Lusa fonte oficial …

Maçãs com preços em alta, menos vinho e cerveja a estragar-se (os efeitos da pandemia)

A pandemia de covid-19 está a levar milhares de litros de cerveja a estragar-se, enquanto os produtores de vinho temem uma quebra na produção e, logo, nos lucros. Enquanto isso há menos maçãs e mais …

TAD anula sanção de cinco jogos à porta fechada ao Benfica

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) deu provimento ao recurso do Benfica e revogou a sanção de cinco jogos à porta fechada imposta pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) ao clube, pelo apoio prestado a …

Costa vira à esquerda, mas Catarina Martins diz que "não pode ser só conversa"

Esta quarta-feira, António Costa lança as negociações para o Orçamento do Estado para 2021 com os partidos que, até aqui, foram seus aliados. O primeiro-ministro insiste que o caminho da sua governação passa por entendimentos à …

No novo ano letivo, a Educação Física continua a ser maior incógnita

No início de julho, o Ministério da Educação anunciou algumas orientações sobre o próximo ano letivo que não contemplavam a Educação Física e o futuro da disciplina continua a ser uma incógnita.  Nas escolas, a falta …