Há mais pais falidos por acolherem filhos sem emprego

Um em cada dez casos de sobre-endividamento registados entre 1 de janeiro e 31 de março deste ano foi provocado por alterações do agregado familiar, de acordo com dados da Associação Portuguesa do Consumidor (DECO).

Os dados do Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado (GAS) relativos ao primeiro trimestre deste ano indicam que houve um aumento de casos de penhoras decretadas por tribunais devido a créditos em incumprimento e alterações inesperadas do agregado familiar, com o regresso dos filhos a casa dos pais, disse à agência Lusa a coordenadora Natália Nunes.

A coordenadora do GAS explicou que o número de famílias que pediu ajuda à associação foi semelhante ao registado em 2013, 2014 e 2015.

“O que verificámos foi que o número é semelhante. Estamos a falar de entre 7.000 a 7.500 famílias. No entanto, verificámos que existem em 2015 algumas diferenças em relação às famílias e no que diz respeito à degradação da sua situação financeira”, adiantou.

De acordo com Natália Nunes, mais de 25% das famílias que pediram ajuda à DECO já estavam confrontadas com a penhora dos seus rendimentos e dos bens.

“Isto evidencia o que nós temos vindo a alertar ao longo dos anos: que as famílias devem pedir ajuda atempadamente”, salientou.

Segundo os dados da DECO, entre 1 de janeiro e 31 de março de 2014, a alteração do agregado familiar era de 8%, e no mesmo período de 2015 situou-se nos 10%.

Em 2015, alteraram-se as causas que têm estado na origem das dificuldades das famílias portuguesas. Tradicionalmente é o desemprego a principal causa – ainda que em 2014 tenham sido os cortes salariais – mas este ano verificámos que o desemprego e os cortes salariais representam 30% cada. No entanto, o aumento do agregado familiar, devido ao retorno dos filhos a casa dos pais, mudou a situação”, disse a responsável.

No entender de Natália Nunes, este retorno dos filhos a casa dos pais leva a ruturas orçamentais e ao incumprimento dos compromissos.

“Por outro lado, uma causa que começa a ter valor significativo são as penhoras dos rendimentos e dos bens e também os fiadores que em termos de valor representam 15% das situações que nos chegam”, disse.

A coordenadora do GAS explicou que muitas das penhoras ocorrem em processo de execução e em processos em que os devedores não são os devedores principais, mas porque foram fiadores.

De acordo com os dados, no primeiro trimestre deste ano, 30% dos casos abertos pelo GAS foram motivados pelo desemprego e pela deterioração da situação profissional, 8% devido a divórcio/separação, 12% devido a penhora, 10% por causa da alteração do agregado familiar, 7% por doença e 3% fiadores.

Os dados do GAS indicam também que uma análise ao total de rendimentos dos sobre-endividados, por agregado familiar, revelou que são os que têm rendimentos entre os 505 e os 1.010 euros (36,6%) e os que ganham até 505 euros (32,5%) que mais pedem ajuda ao gabinete da DECO.

De acordo com a DECO, 41,4% dos sobre-endividados trabalham no setor público, 25,2% são reformados, 14,7% no setor público, 13,1% estão desempregados e 5,6% trabalham por conta própria.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Não percebi. 41,4% trabalham no setor público e 14,7% trabalham no setor público também. Algum deve ser privado. E se comecei a ler a notícia é porque gostaria de atribuir as percentagens a classe certa. Fiquei baralhado.

RESPONDER

CDS e PAN querem regime protetor do denunciante no combate à corrupção

CDS e PAN vão apresentar propostas no combate à corrupção que tem sido discutido desde segunda-feira. Os partidos querem um regime protetor do denunciante. Numa iniciativa de combate à corrupção, o CDS e o PAN vão …

Morreu Marie Fredriksson, vocalista dos Roxette

A cantora sueca Marie Fredriksson, dos Roxette, morreu segunda-feira aos 61 anos, anunciou esta terça-feira a sua manager em comunicado. Marie Fredriksson, vocalista e co-fundadora da banda Roxette, faleceu esta segunda-feira, aos 61 anos. A morte …

Taxa de sucesso no ensino profissional atinge os 63%. É o valor mais alto de sempre

No ano letivo de 2017/2018, 63% dos alunos inscritos no ensino profissional concluíram os seus cursos no tempo previsto, mais dez pontos percentuais do que quatro anos antes, avança o jornal Público. De acordo com um …

Regra para filhos de pais separados em casas alternadas divide partidos

A lei já prevê que os filhos de pais separados possam ficar em residência alternada se o tribunal assim o decidir. Porém, as regras não são claras e vai ser discutida a melhor forma de …

Helicóptero do INEM avariou durante missão. Vítima que ia socorrer acabou por morrer

Um helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), localizado em Loulé, teve uma avaria a meio de uma missão de socorro, sendo obrigado a abortar a viagem que visava ajudar uma mulher de 22 …

Águas do Porto alerta para cobranças fraudulentas porta a porta

A empresa municipal Águas do Porto alertou, esta segunda-feira, para uma fraude que está a ser cometida em seu nome com falsos funcionários que tentam fazer cobranças à porta. De acordo com a Águas do Porto, …

Um terço dos universitários de Lisboa já sofreu violência sexual física

Um terço dos estudantes universitários da área metropolitana de Lisboa já foi vítima de violência sexual física pelo menos uma vez, mas são muitos poucos os que denunciam as agressões, raramente o fazendo à …

OE2020: Esquerda vai negociar "até ao último minuto". PSD não comenta eventual traição madeirense

O Governo apresentou, nesta terça-feira, na Assembleia da República, as linhas gerais da proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) aos partidos com representação parlamentar. Dos encontros, não saiu fumo branco, com o Bloco …

Turismo fez subir o custo de vida dos portugueses. Salários continuam estagnados

O crescimento do turismo em Portugal fez crescer o custo de vida dos portugueses, especialmente nos que vivem nas grandes cidades, apesar de estes continuarem com os salários estagnados, escreve o Jornal de Notícias. Entre 2013 …

Contrato público. Amazon apresenta queixa em tribunal contra Trump

A Amazon revela que os "insistentes ataques públicos e de bastidores" de Donald Trump contra Jeff Bezos causaram "pressão" que levou à perda de contrato público com o Departamento de Defesa.  A Amazon apresentou uma queixa …