Há uma barbearia nos Açores onde o cliente paga o que quiser

Eduardo Costa / Lusa

João Rocha atende cada cliente como se fosse uma estrela

Abriu no começo do mês e até final do ano não há preços tabelados e cada cliente paga o que achar justo. Ponta Delgada, nos Açores, tem uma nova barbearia que recria o ambiente de décadas passadas.

João Rocha e Sílvia Vilaverde são barbeiros e anfitriões desta nova barbershop, e a adesão uma semana após a abertura tem sido, dizem, bem acima do esperado.

“Não era de todo o que estávamos à espera para já, talvez só daqui a uns três meses”, começa por contar João Rocha, 32 anos, natural da Terceira e dono de uma barbearia nesta ilha, mas que decidiu arriscar e abrir um novo espaço na ilha de São Miguel.

Os clientes da Terceira, diz entre risos, querem-no “matar” pelo menor tempo passado lá.

“Uso as redes sociais para divulgar as datas em que estou em São Miguel e na Terceira”, conta. Qual estrela rock, o passado de João Rocha inclui formações e trabalhos em locais como Londres, Las Vegas, Florença, Milão, Dubai ou Escócia.

No pequeno mas moderno espaço, situado em pleno centro de Ponta Delgada, há várias distinções – à reportagem da agência Lusa chama particular atenção um prémio de melhor corte em barba atribuído a Sílvia Valverde, 33 anos, nascida em Arcos de Valdevez, no distrito de Viana do Castelo, e habitante bem recente na ilha de São Miguel.

“Então mas este não é um mundo quase só de homens?”, pergunta-se. “Sempre foi o que quis fazer”, responde. E os Açores? “Muita trovoada, muita chuva. Mas está-se bem“, acrescenta Sílvia.

Eduardo Costa / Lusa

Sílvia Valverde, do Minho para os Açores: sempre foi o que quis fazer

Na loja há vários produtos à venda, com as ceras em destaque, para recriar os penteados das décadas entre 1920 e 1960.

Há quatro anos, quando João se formou, “ninguém queria ser barbeiro, era uma profissão que estava a cair em desuso“. Chegou a ter aulas em que era o único aluno e isso, diz, levou-o a encarar com maior profissionalismo e determinação o seu futuro.

“Chegava a casa à noite e queria saber mais, aparecia um corte novo e queria aprender como se fazia”. E remata, sem hesitações e perante o aval de um cliente que atendia enquanto falava com a Lusa: “Atendo cada cliente como se fosse uma estrela“.

A ideia de arrancar a nova barbearia sem preços tabelados passa por traçar um perfil e uma média de valores para em janeiro, então, ser definida uma política de preços. Até lá, o desafio é que cada cliente pague o que possa e entenda ser justo pelo trabalho feito no seu cabelo, barba ou bigode.

“Tenho um cliente que vai de São Jorge de propósito à Terceira para cortar o cabelo”, diz João. A boa notícia para este cliente é que tem mais uma ilha onde pode visitar o seu barbeiro; a má é que ainda não foi desta que a Terceira recebeu a abertura de um espaço do género, numa altura de fascínio global pelas barbearias antigas.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Montezemolo revelou o sonho que Ayrton Senna não cumpriu

O antigo presidente da equipa da Ferrari, Luca di Montezemolo, revelou que o seu maior arrependimento foi não ter conseguido levar Ayrto Senna para a equipa. Em 1994, Ayrton Senna morreu de forma trágica quando perdeu o …

Friends: atores já terminaram as gravações do episódio especial

Ainda antes de os talk shows serem suspensos devido à COVID-19, Matt LeBlanc foi um dos convidados do The Kelly Clarkson Show, onde confirmou que as gravações do episódio especial de FRIENDS estavam concluídas. O programa …

YouTube remove vídeos que vinculam falsamente a Covid-19 ao 5G

A onda de teorias falsas que ligam a pandemia da COVID-19 ao 5G levou a uma série de incidentes, incluindo ameaças a engenheiros. Agora, o YouTube está a reprimir essa desinformação. O YouTube informou que removerá …

Engenheiros construiram um ventilador caseiro. Pode servir como "último recurso"

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos, construiu um ventilador caseiro que pode ser usado como último recurso. A pandemia de covid-19 continua a desafiar as comunidades médicas e uma das ameaças …

Sepultura de genocídio encontrada no Ruanda pode conter 30 mil corpos

No Ruanda, foi encontrada uma sepultura que pode conter 30 mil vítimas do genocídio no país em 1994. Cerca de 800 mil tutsis e hutus moderados foram assassinados. Mais de 25 anos depois de um genocídio …

Belenenses SAD entra parcialmente em lay-off

"A indústria do futebol está entre as mais atingidas pelos efeitos da pandemia", que provocou a suspensão de praticamente todas as provas futebolísticas, destaca o Belenenses SAD. O Belenenses SAD, da I Liga de futebol, entrou …

Dois milhões de máscaras furtadas em Espanha podem ter sido vendidas em Portugal

O equipamento médico e sanitário furtado está avaliado em cinco milhões de euros e terá sido adquirido por uma empresa portuguesa que conhecia a proveniência do material. Um empresário de Santiago de Compostela foi detido por, …

Facebook terá tentado comprar um software de espionagem em 2017

O Facebook tem estado envolvido em vários escândalos e o mais recente está relacionado com a alegada compra da ferramenta Pegasus, usada para hackear iPhones. A empresa de segurança informática NSO Group, responsável pela Pegasus, alega …

Primeiro-ministro espanhol diz que coronavírus desafia o futuro da UE. E fá-lo em sete idiomas

O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez publicou no domingo um artigo em sete idiomas europeus, argumentando que o coronavírus pode ser a ruína da União europeia (UE) caso não sejam tomadas medidas mais drásticas para lidar …

Viseiras de Leiria despertam cobiça. Bélgica e EUA queriam comprar toda a produção

Várias empresas de moldes e plásticos da região de Leiria estão a fabricar viseiras de protecção contra a Covid-19. Uma adaptação em tempos de pandemia que está a levantar atenção no estrangeiro, com EUA e …