Há 124 milhões de crianças impedidas de ir à escola em todo o mundo

Cerca de 124 milhões de crianças e adolescentes, mais dois milhões do que em 2011, estão impedidos de ir à escola por leis discriminatórias, propinas elevadas ou violência, revela um relatório da Human Rights Watch, HRW.

Intitulado “O Défice Educacional: Falhas na Proteção e Cumprimento do Direito à Educação nas Agendas Globais de Desenvolvimento”, o relatório de 89 páginas foi publicado no site da organização.

O relatório reconhece alguns avanços proporcionados por políticas internacionais e regionais, que levaram dezenas de milhões de crianças a entrar no ensino básico e mais meninas a permanecer na escola até ao ensino secundário.

No entanto, este progresso “deixou para trás milhões de crianças e jovens“, pode ler-se no documento de 85 páginas, divulgado a poucos dias de governos, decisores políticos globais e agências financiadoras se reunirem na Noruega para adotar medidas que melhorem o acesso e a qualidade da educação no mundo.

Mais crianças e adolescentes correm o risco de abandonar a escola e muitos enfrentam condições de aprendizagem desadequadas, conclui o relatório da organização de defesa dos direitos humanos, que se baseia em investigação realizada em mais de 40 países ao longo de duas décadas.

A culpa deste “défice educacional” é dos governos, a quem cabe a responsabilidade de garantir que nenhuma criança ou jovem fica sem educação, e da falta de foco, tanto na aplicação como no conteúdo, das agendas para o desenvolvimento sobre as obrigações de direitos humanos dos governos, acusa a organização, sediada em Londres.

“É impensável que em 2016 milhões de crianças e adolescentes em todo o globo vejam negado o direito à educação”, diz Elin Martínez, investigadora sobre direitos das crianças na HRW.

Para a investigadora, “uma fraca monitorização e a falta de políticas contra a discriminação dão muitas vezes aos responsáveis um poder ilimitado para decidir quem pode passar a porta da escola e quem fica de fora”.

Apesar de todos os 196 países membros da ONU terem subscrito tratados que os obrigam a garantir educação a todas as crianças, muitos países cobram propinas que as famílias não podem pagar.

Os custos associados à educação no ensino secundário impedem milhões de adolescentes de terminar pelo menos nove anos de escolaridade em países como o Bangladesh, a Indonésia e o Nepal, por exemplo.

A violência relacionada com a escola afeta mais de 246 milhões de crianças, segundo a Unicef.

Os castigos corporais na escola, que têm um impacto negativo na capacidade das crianças de aprenderem, continuam legais ou prática habitual em países como a Tanzânia, a África do Sul e muitos estados norte-americanos.

Há ainda fatores que levam as raparigas a desistir da escola, como o abuso sexual e a violência por parte de professores e colegas, testes de virgindade abusivos, testes de gravidez obrigatórios e regras que excluem as raparigas grávidas da escola.

O casamento infantil contribui para a falta de acesso a educação de qualidade em países como Bangladesh, Nepal, Tanzânia ou Zimbabué, mas também resulta dessa falta de acesso à educação.

Cerca de 34 milhões de raparigas não frequentam o ensino secundário e a HRW estima que 24 milhões de meninas nunca venham a entrar na escola.

Algumas populações são particularmente desfavorecidas, nomeadamente os 93 milhões de crianças com menos de 14 anos que em 2011 a Organização Mundial de Saúde estimou viverem com deficiência moderada ou severa.

Tem também aumentado o número de crianças a viver em situações de crise humanitária e de conflitos de longo prazo que por isso se veem impedidas de aceder à educação, já que as escolas se tornam inacessíveis ou inseguras.

Cerca de 29 milhões de crianças estão afastadas da escola devido a conflitos e deslocações, incluindo uma “geração perdida” de crianças sírias, das quais 2,1 milhões não vão à escola na Síria e quase um milhão nos países vizinhos, onde vivem como refugiados.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Oposições criticam anúncios "pomposos” e gestão mediática do Governo

PSD, Bloco e PEV criticaram hoje a "gestão mediática" feita pelo Governo em relação ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), e o PCP considerou que este programa revela o "grau de submissão" de Portugal …

Paquistanesas querem melhores leis contra a violação. Primeiro-ministro diz para vestirem mais roupa

As mulheres paquistaneses pedem melhores leis contra a violação. Entretanto, o seu primeiro-ministro diz-lhes que têm de vestir mais roupa. O Paquistão tem uma taxa de condenação por violação de 0,3%, uma das mais baixas do …

Jogador admite: "Escrevi uma frase racista"

Danilo Avelar está fora dos relvados há muito tempo, começou a jogar mais online e foi expulso. Corinthians também deverá castigar o atleta. Danilo Avelar não joga desde outubro de 2020 mas, mesmo longe dos jogos, …

Morreu o ex-Presidente das Filipinas Benigno Aquino III

O ex-Presidente das Filipinas Benigno Aquino III morreu hoje, aos 61 anos, depois de ter sido hospitalizado em Manila, disseram familiares aos meios de comunicação social locais. O ex-presidente das Filipinas Benigno "Noynoy" Aquino, herdeiro de …

Turista morre durante caminhada pelo Grand Canyon (e o calor excessivo poderá ser o culpado)

Uma mulher residente no estado de Ohio morreu enquanto fazia uma caminhada pelo Grand Canyon. De acordo com as autoridades, a morte estará relacionada com as temperaturas extremas que se faziam sentir. Michelle Meder, de 53 …

"Não temos condições de avançar". Calamidade prorrogada, Portugal recua no desconfinamento

Portugal vai travar o processo de desconfinamento em todo o território nacional, anunciou o Governo em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros desta quinta-feira. O conselho de ministros aprovou a prorrogação da Situação …

Túneis nazis em vulcão inativo da Polónia poderão esconder arquivo da Gestapo

Um grupo de exploradores polaco acredita que estes túneis nazis, construídos durante a II Guerra Mundial num vulcão inativo da Polónia, poderão esconder um arquivo da Gestapo. Uma rede de túneis feita pelos nazis num vulcão …

Portugal com duas mortes, 1.556 casos e menos internamentos

Portugal registou nas últimas 24 horas duas mortes associadas à covid-19, 1.556 novos casos de infeções confirmadas, a maioria em Lisboa e Vale do Tejo, uma diminuição nos internamentos em enfermaria e um aumento nos …

Cristiano sai? Juventus tem sete alternativas

Juventus já terá uma lista restrita de possíveis reforços, caso o português deixe Turim durante este verão. Cristiano Ronaldo pode não voltar a jogar pela Juventus e, por isso, o clube de Turim já estuda alternativas …

UNESCO recomenda incluir Veneza na lista de património mundial em perigo

A UNESCO publicou estas recomendações a um mês da próxima sessão do seu comité de património mundial, que se vai realizar na China, de 16 a 31 de julho. Em Veneza, o impacto do turismo de …