“Dez países administraram 75% das vacinas, enquanto 130 ainda não receberam uma única dose”

UN Geneva / Flickr

O secretário-geral da ONU, António Guterres

O secretário-geral da ONU alertou que a pandemia da covid-19 está a agravar as desigualdades, dando como exemplo a vacinação a nível mundial.

Num artigo de opinião publicado esta segunda-feira no jornal britânico The Guardian, António Guterres alerta que “o mundo está a enfrentar uma pandemia de abusos dos direitos humanos”.

“A covid-19 aprofundou divisões, vulnerabilidades e desigualdades preexistentes, e abriu novas fraturas, incluindo falhas nos direitos humanos. A pandemia revelou a interconexão da nossa família humana – e de todo o espectro dos direitos humanos: civis, culturais, económicos, políticos e sociais. Quando qualquer um destes direitos está sob ataque, outros estão em risco”, escreve o secretário-geral da ONU.

“Profissionais da linha da frente, pessoas com deficiências, idosos, mulheres, meninas e minorias foram especialmente atingidos. Numa questão de meses, o progresso feito na igualdade de género retrocedeu décadas”, continua Guterres, acrescentando também que a “pobreza extrema está a aumentar pela primeira vez em décadas”.

Para o secretário-geral português, o “mais recente ultraje moral” é o fracasso em assegurar a equidade na vacinação contra a covid-19. “Apenas dez países administraram mais de 75% de todas as vacinas. Enquanto isso, mais de 130 países ainda não receberam uma única dose”, destaca.

“O vírus está também a infetar os direitos civis e políticos, e a reduzir ainda mais o espaço cívico. Usando a pandemia como pretexto, as autoridades de alguns países implementaram respostas de segurança severas e medidas de emergência para esmagar os dissidentes, criminalizar liberdades básicas, silenciar o jornalismo independente e restringir as atividades de organizações não governamentais”, diz ainda.

“Defensores dos direitos humanos, jornalistas, advogados, ativistas políticos – até mesmo profissionais de saúde – foram detidos, processados e submetidos a intimidação e vigilância por criticarem as respostas dos seus Governos à pandemia”, lembra Guterres, acrescentando que as restrições relacionadas com a covid-19 também “têm sido usadas para subverter os processos eleitorais e enfraquecer as vozes da oposição”.

Guterres escreve ainda que a “desinformação mortal tem sido amplificada – até por aqueles que estão no poder” – e, ao mesmo tempo, há extremistas, “incluindo supremacistas brancos e neonazis, que têm instrumentalizado a pandemia para crescerem, através da polarização social e da manipulação política e cultural”.

“A pandemia também tornou os esforços de paz mais difíceis, restringindo a capacidade de conduzir negociações, exacerbando as necessidades humanitárias e minando o progresso noutros desafios relacionados com direitos humanos e ligados aos conflitos”.

Por todas estas coisas, o ex-primeiro-ministro português apela: “Este não é um momento para negligenciar os direitos humanos. Este é o momento em que, mais do que nunca, os direitos humanos são necessários para navegar nesta crise de uma forma que nos permita atingir o objetivo de alcançar um desenvolvimento inclusivo e sustentável e uma paz duradoura”.

Filipa Mesquita, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Liveblog Autárquicas. Poderá ser "a primeira vez que um partido ganha três vezes seguidas"

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Alemanha: Sociais-democratas reclamam vitória (com "desastre" para os conservadores)

Os sociais-democratas SPD reivindicaram hoje vitória nas eleições parlamentares alemãs, numa altura em que os conservadores da CDU, força política de Angela Merkel, se aproximam de uma votação mínima histórica, de acordo com as primeiras …

Em 2018, cientistas de Wuhan terão planeado infetar morcegos com coronavírus

Em 2018, um grupo de cientistas da cidade chinesa de Wuhan, onde foi registado o primeiro caso de covid-19, estaria a planear infetar, com coronavírus modificados, morcegos que vivem em cavernas. Os cientistas terão pedido 14 …

Este batom foi lançado em 1971, mas está esgotado - e é mais uma prova do impacto económico do TikTok

O Black Honey da Clinique é o mais recente produto de maquilhagem a bombar no TikTok. Muitas marcas estão a notar o poder económico que em ser viral na aplicação e estão a tentar promover …

Portugal regista mais duas mortes e 599 casos de covid-19

Nas últimas 24 horas registaram-se mais duas mortes e 599 novos casos de covid-19 em Portugal, de acordo com o boletim epidemiológico da DGS. Portugal regista hoje duas mortes atribuídas à covid-19, assim como 599 novos …

Em 2021, Sochi voltou a ser Sochi e em Sochi ganha a Mercedes – com recorde histórico para Hamilton

Lando Norris, o jovem piloto da Mclaren, vai sair da Rússia com um misto de sensações. No fim-de-semana em que conquista a primeira pole position da carreira, perde também, de forma dramática, a hipótese de …

As pessoas que comem mais gordura láctea têm menor risco de doença cardíaca

As pessoas que fazem uma dieta com maior teor de gordura láctea têm um menor risco de desenvolver doenças cardiovasculares, revela um novo estudo. Uma equipa internacional de cientistas estudou o consumo de gordura láctea de …

Alaphilippe revalida título de campeão mundial de fundo

O francês Julian Alaphilippe revalidou neste domingo o título de campeão mundial de fundo, ao cortar isolado a meta no final da “prova rainha” dos Mundiais de ciclismo de estrada, que decorreram na região belga …

Do céu ao inferno. Adeptos do Palmeiras chamam "arrogante" a Abel Ferreira

O Palmeiras perdeu e está cada vez mais longe da liderança do Brasileirão. Os adeptos estão insatisfeitos com as exibições e chamaram "arrogante" a Abel Ferreira. O Palmeiras, treinado pelo português Abel Ferreira, perdeu na deslocação …

Mesmo depois da morte de Ihor, centro do aeroporto ainda tem videovigilância "muito limitada"

Um ano e meio após a morte de Ihor Homeniuk, o centro de instalação temporária do aeroporto de Lisboa (CIT) continua sem cobertura total de câmaras de videovigilância em zonas comuns. A situação atual distancia-se daquilo …