Guterres já fez o juramento como secretário-geral da ONU

Rick Bajornas / ONU

António Guterres na Assembleia Geral, no dia 13 de outubro de 2016

António Guterres fez, esta segunda-feira, o juramento como novo secretário-geral da ONU, numa cerimónia em que Portugal esteve representado pelo Presidente da República e pelo primeiro-ministro.

“Eu, António Guterres, declaro solenemente e prometo exercer em total lealdade, discrição e consciência as funções que me são confiadas enquanto servidor público das Nações Unidas, exercer estas funções e pautar a minha conduta apenas tendo em mente os interesses das Nações Unidas, e não procurar ou aceitar, no que respeita às minhas responsabilidades, instruções de qualquer Governo ou outra organização”, declarou, já com Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa junto ao púlpito.

Depois de ter feito este juramento, o ex-Alto Comissário do ACNUR começou o seu discurso com uma palavra ao seu antecessor, Ban Ki-moon, dizendo ser “uma honra seguir os seus passos”.

O fim da Guerra Fria não foi o fim da história. (…) Os conflitos tornaram-se mais complexos e mais interligados do que nunca e uma nova ameaça surgiu: o terrorismo”, continuou.

“A globalização fez aumentar as desigualdades. Muita gente ficou para trás, incluindo nos países desenvolvidos. (…) É tempo de os líderes ouvirem e mostrarem que se preocupam“.

Num discurso em inglês, francês e espanhol, o antigo primeiro-ministro foi mais do que uma vez aplaudido pela plateia.

“A ONU nasceu da guerra, agora devemos estar aqui pela paz”. O novo secretário-geral afirmou que as “Nações Unidas devem estar preparadas para a mudança”.

As três áreas prioritárias para Guterres são o trabalho pela paz, o apoio ao desenvolvimento sustentável e uma reforma a nível interno nas Nações Unidas.

Na resposta a “crises graves” como as da Síria, Iémen e Sudão do Sul ou a “disputas longas” como o conflito israelo-palestiniano, são necessárias “mediação, arbitragem e diplomacia criativa”, enumerou.

Eskinder Debebe / ONU

António Guterres presta juramento como novo Secretário Geral das Nações Unidas

António Guterres presta juramento como novo Secretário Geral das Nações Unidas

O português defendeu ainda que é necessário reduzir a burocracia dentro da organização, porque “nove meses para colocar alguém no terreno não é aceitável”, e voltou a falar de um dos seus maiores objetivos: conseguir um “total equilíbrio de género” dentro da ONU até ao final do seu mandato.

Além disso, Guterres apelou ainda para a necessidade de “incluir os jovens na tomada de decisões” uma vez que afetam o seu futuro.

Ban Ki-moon diz que tudo está a ser feito para a paz no mundo

Antes do discurso de Guterres, foi feita uma homenagem ao secretário-geral cessante, que fez também o seu último discurso perante o plenário da ONU.

“Estamos a fazer tudo o que podemos para que as futuras gerações vivam em paz”, afirmou o sul-coreano.

No final da sua intervenção, Ban Ki-moon desejou ao seu sucessor e a todos os membros da ONU “paz, prosperidade e sucesso”.

Também o presidente da Assembleia-Geral, Peter Thomson, transmitiu um “profundo agradecimento” a Ban Ki-moon, destacando o seu legado duradouro e “compromisso com a paz, direitos humanos, justiça e igualdade”.

Peter Thomson destacou como os três principais legados de Ban Ki-moon o seu contributo “incansável para chamar a atenção para as consequências catastróficas do aquecimento global“, o seu papel na definição da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e a sua luta a favor da igualdade de género e defesa dos direitos das mulheres, tendo sido “o primeiro secretário-geral da história a declarar-se como feminista”.

Justin Lane / EPA

António Guterres com Ban Ki-moon, na sede da ONU, em Nova Iorque, onde tomou posse como novo secretário-geral e prestou juramento à carta das Nações Unidas

António Guterres com Ban Ki-moon, na sede da ONU, em Nova Iorque, onde tomou posse como novo secretário-geral e prestou juramento à carta das Nações Unidas

Guterres, de 67 anos, vai iniciar o seu mandato de cinco anos a 1 de janeiro de 2017, três semanas antes da tomada de posse de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos.

Desde que foi aclamado pela Assembleia-geral da ONU em outubro, o português já visitou as capitais dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, ou seja, EUA, Rússia, China, França e Reino Unido, e reuniu com os respetivos líderes.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

O planeta extrassolar mais próximo da Terra pode ter companhia

Uma equipa internacional de astrofísicos encontrou evidências da existência de um segundo planeta a orbitar Próxima Centauri, a estrela mais próxima do Sol. Na prática, o mundo extrassolar mais próximo de nós pode ter companhia. …

Uma estrela ajudou a perceber quando é que a Via Láctea devorou outra galáxia

Recentemente, astrónomos descobriram que uma colisão com uma galáxia satélite encheu a Via Láctea de estrelas. Agora, graças a uma única estrela, já é possível perceber quando é que isso aconteceu. A galáxia satélite Gaia-Enceladus foi, …

Homem pede "julgamento por combate" com espadas japonesas para resolver disputa legal com a ex-mulher

Para resolver uma disputa legal com a sua ex-mulher, David Ostrom sugere que seja feito um "julgamento por combate" com espadas japonesas. Há precedentes legais que o podem favorecer em tribunal. O insólito aconteceu no Iowa, …

Crimes violentos podem aumentar drasticamente nos EUA devido ao aquecimento global

O número de crimes violentos nos Estados Unidos pode aumentar drasticamente nos próximos anos devido ao aquecimento global, concluiu uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Universidade do Colorado, em Boulder. "Dependendo da rapidez …

Twitter pede desculpa por permitir anúncios direcionados a neonazis

O Twitter emitiu esta quinta-feira um pedido de desculpa público depois de a BBC denunciar que a rede social estava a permitir anúncios direcionados a neonazis, islamofóbicos e outros grupos de ódio. A emisorra britânica …

Carlos Silva alega falta de apoio do PS e anuncia saída da liderança da UGT

O secretário-geral da UGT não é candidato a um novo mandato na central sindical, alegando que o “desgaste tem sido tremendo” e que é visto como força de bloqueio. “Não quero continuar”, “já está decidido e …

A maior aeronave do mundo vai ficar ainda maior. Medirá quase 100 metros

A maior aeronave do mundo vai ficar ainda maior: o dirigível híbrido Airlander 10, que media 92 metros de comprimento, vai bater o seu próprio recorde. De acordo com a emissora britânica BBC, a aeronave passará a …

Mortes nos Comandos. Governo só indemniza famílias se for condenado

O Governo deu ordem para parar as negociações com as famílias dos recrutas que morreram durante o 127.º Curso de Comandos, que decorreu na região de Alcochete, em 2016. Segundo o Jornal de Notícias, o Governo …

Eduardo Cabrita diz que polícias compram equipamento "porque querem"

O ministro da Administração Interna afirmou que os agentes policiais que compram equipamento de proteção do seu próprio bolso fazem-no porque o querem. Numa entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, divulgada este fim-de-semana, o …

Chuva deixa Austrália entre incêndios e cheias. Número de mortos sobe para 29

A chuva trouxe algum alívio aos bombeiros e habitantes do leste da Austrália, mas também causou cheias e novos problemas. As equipas ainda combatem cerca 100 focos de incêndio na região e o número de …