Guterres já fez o juramento como secretário-geral da ONU

Rick Bajornas / ONU

António Guterres na Assembleia Geral, no dia 13 de outubro de 2016

António Guterres fez, esta segunda-feira, o juramento como novo secretário-geral da ONU, numa cerimónia em que Portugal esteve representado pelo Presidente da República e pelo primeiro-ministro.

“Eu, António Guterres, declaro solenemente e prometo exercer em total lealdade, discrição e consciência as funções que me são confiadas enquanto servidor público das Nações Unidas, exercer estas funções e pautar a minha conduta apenas tendo em mente os interesses das Nações Unidas, e não procurar ou aceitar, no que respeita às minhas responsabilidades, instruções de qualquer Governo ou outra organização”, declarou, já com Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa junto ao púlpito.

Depois de ter feito este juramento, o ex-Alto Comissário do ACNUR começou o seu discurso com uma palavra ao seu antecessor, Ban Ki-moon, dizendo ser “uma honra seguir os seus passos”.

O fim da Guerra Fria não foi o fim da história. (…) Os conflitos tornaram-se mais complexos e mais interligados do que nunca e uma nova ameaça surgiu: o terrorismo”, continuou.

“A globalização fez aumentar as desigualdades. Muita gente ficou para trás, incluindo nos países desenvolvidos. (…) É tempo de os líderes ouvirem e mostrarem que se preocupam“.

Num discurso em inglês, francês e espanhol, o antigo primeiro-ministro foi mais do que uma vez aplaudido pela plateia.

“A ONU nasceu da guerra, agora devemos estar aqui pela paz”. O novo secretário-geral afirmou que as “Nações Unidas devem estar preparadas para a mudança”.

As três áreas prioritárias para Guterres são o trabalho pela paz, o apoio ao desenvolvimento sustentável e uma reforma a nível interno nas Nações Unidas.

Na resposta a “crises graves” como as da Síria, Iémen e Sudão do Sul ou a “disputas longas” como o conflito israelo-palestiniano, são necessárias “mediação, arbitragem e diplomacia criativa”, enumerou.

Eskinder Debebe / ONU

António Guterres presta juramento como novo Secretário Geral das Nações Unidas

António Guterres presta juramento como novo Secretário Geral das Nações Unidas

O português defendeu ainda que é necessário reduzir a burocracia dentro da organização, porque “nove meses para colocar alguém no terreno não é aceitável”, e voltou a falar de um dos seus maiores objetivos: conseguir um “total equilíbrio de género” dentro da ONU até ao final do seu mandato.

Além disso, Guterres apelou ainda para a necessidade de “incluir os jovens na tomada de decisões” uma vez que afetam o seu futuro.

Ban Ki-moon diz que tudo está a ser feito para a paz no mundo

Antes do discurso de Guterres, foi feita uma homenagem ao secretário-geral cessante, que fez também o seu último discurso perante o plenário da ONU.

“Estamos a fazer tudo o que podemos para que as futuras gerações vivam em paz”, afirmou o sul-coreano.

No final da sua intervenção, Ban Ki-moon desejou ao seu sucessor e a todos os membros da ONU “paz, prosperidade e sucesso”.

Também o presidente da Assembleia-Geral, Peter Thomson, transmitiu um “profundo agradecimento” a Ban Ki-moon, destacando o seu legado duradouro e “compromisso com a paz, direitos humanos, justiça e igualdade”.

Peter Thomson destacou como os três principais legados de Ban Ki-moon o seu contributo “incansável para chamar a atenção para as consequências catastróficas do aquecimento global“, o seu papel na definição da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e a sua luta a favor da igualdade de género e defesa dos direitos das mulheres, tendo sido “o primeiro secretário-geral da história a declarar-se como feminista”.

Justin Lane / EPA

António Guterres com Ban Ki-moon, na sede da ONU, em Nova Iorque, onde tomou posse como novo secretário-geral e prestou juramento à carta das Nações Unidas

António Guterres com Ban Ki-moon, na sede da ONU, em Nova Iorque, onde tomou posse como novo secretário-geral e prestou juramento à carta das Nações Unidas

Guterres, de 67 anos, vai iniciar o seu mandato de cinco anos a 1 de janeiro de 2017, três semanas antes da tomada de posse de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos.

Desde que foi aclamado pela Assembleia-geral da ONU em outubro, o português já visitou as capitais dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, ou seja, EUA, Rússia, China, França e Reino Unido, e reuniu com os respetivos líderes.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas criam tinta ultra-branca que ajuda a arrefecer as superfícies

Cientistas criaram uma nova tinta ultra-branca que pode refletir 95,5% da luz solar que chega à sua superfície. De acordo com o site IFLScience, esta propriedade permite que algo revestido com esta tinta ultra-branca, como, por …

Morreu Sindika Dokolo, marido de Isabel dos Santos

O empresário Sindika Dokolo faleceu, nesta quinta-feira, no Dubai, aos 48 anos de idade, durante a prática de mergulho. A morte do empresário de origem congolesa já foi confirmada à Lusa por uma fonte ligada à …

Lagostins autoclonados invadiram (e conquistaram) um cemitério na Bélgica

Um cemitério na Bélgica foi completamente invadido por lagostins marmoreado. De acordo com o Instituto Flamengo para Pesquisa da Natureza e da Floresta (INBO), a espécie representa uma grande ameaça para a biodiversidade local. Segundo o …

Benfica 3-0 Standard Liège | “Águia” voa de forma imperial

A noite foi de festa no Estádio da Luz para os cerca de 4875 espectadores – 7,5% por cento da lotação – que se deslocaram ao reduto dos “encarnados” esta quinta-feira. O Benfica venceu por 3-0 …

Urnas abertas no Minecraft. Servem para ensinar os jovens a votar nas eleições

A organização não partidária e sem fins lucrativos Rock the Vote e a empresa criativa Sid Lee uniram-se para criar um servidor de "casa de votação" no popular jogo Minecraft antes das eleições presidenciais de …

Zorya Luhansk 0-2 Braga | “Nota artística” em triunfo minhoto

Dois jogos, duas vitórias para o Sporting de Braga no Grupo G da Liga Europa. Uma entrada de rompante em jogo, com dois golos espectaculares nos primeiros 11 minutos, permitiram aos “arsenalistas” controlar e lidar …

Amostra de ADN desvenda homicídio cometido há quatro décadas

Uma amostra de ADN, colhida de um norte-americano da Carolina do Sul após este ser detido por apontar uma arma, permitiu às autoridades desvendar um caso antigo, identificando-o como principal suspeito do homicídio de uma …

Investigadores portugueses criam simuladores para treinar médicos à distância

Investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) desenvolveram, durante o confinamento, um método para os estudantes treinarem para cenários de emergência sem saírem de casa. Em declarações à Lusa, Carla Sá Couto, do …

Restam apenas dois rinocerontes brancos do norte (mas há uma esperança para salvar a espécie)

Com a morte do último macho em 2018, o rinoceronte branco do norte chegou ao ponto em que não pode ser salvo naturalmente. Com apenas duas fêmeas restantes, a subespécie é agora tida como oficialmente …

Há uma região na América do Norte sem qualquer caso de covid-19. Tem a dimensão do México

Nunavut, uma região localizada no norte do Canadá, continua sem registar nenhum caso de covid-19. A receita para o sucesso tem vários ingredientes, mas as caraterísticas especiais da região e as medidas rígidas tomadas logo …