Greve fecha centenas de escolas e Fenprof fala em “ilegalidades”

USP Imagens

-

A greve de professores encerrou centenas de escolas por todo o país, nomeadamente do primeiro ciclo e jardins de infância, e anulou centenas de reuniões previstas para esta quarta-feira, disse à Lusa o secretário-geral da Federação Nacional da Educação (FNE).

“São escolas onde não se realizam provas de aferição e que não estão a trabalhar pelos níveis de adesão à greve”, adiantou João Dias da Silva.

Já nas escolas onde estão a ser realizados os exames, “outros professores, que não estão nos serviços mínimos, têm de garantir reuniões de conselho de turma que estavam marcadas”.

Contudo, adiantou João Dias da Silva, “sabemos que essas reuniões estão a ser adiadas porque não há condições para as concretizar devido aos professores em greve”.

Apesar de ainda não ter os números de adesão à greve, o secretário-geral da FNE afirmou que “está a corresponder” às expectativas dos sindicatos.

Para a FNE, os professores estão a dar “um forte sinal da sua insatisfação por verificarem que, mais uma vez, não estão a ser concretizadas as suas expectativas de alteração das condições de trabalho, do desenvolvimento da carreira e dos elevados índices de precariedade”.

Mesmo os docentes que estão a garantir os serviços mínimos decretados “não deixam de manifestar a sua insatisfação pela ausência de medidas concretas que possam modificar os problemas que têm sido identificados do ponto de vista do seu estatuto profissional”, afirma a FNE num comunicado divulgado hoje de manhã.

Explica ainda que a decisão de concretizar esta greve ocorre, porque “este é um momento particularmente importante”, uma vez que estão a ser lançadas as bases de preparação do próximo ano letivo e do Orçamento de Estado para 2018.

“Esta é a oportunidade em que podem ser tomadas as boas decisões que vão no sentido do reconhecimento e da valorização dos docentes portugueses”, defende a FNE no comunicado.

Segundo a federação, a greve “é o sinal” que os professores avisam o Ministério da Educação que “não abdicam do reconhecimento que a sua profissão deve merecer e de condições adequadas para desenvolverem a sua atividade profissional com qualidade”.

Fenprof alega estarem a ser “cometidas ilegalidades”

O secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) disse que estão a ser “cometidas ilegalidades” em várias escolas no que diz respeito às convocatórias de professores para assegurar os serviços mínimos em dia de greve.

De acordo com Mário Nogueira, em vários pontos do país estão convocados mais professores do que aqueles que são necessários para assegurar a realização das provas de aferição e dos exames nacionais.

Os sindicatos da Fenprof vão apresentar queixa pela “violação do acórdão” que define os serviços mínimos na greve de professores de hoje, por parte de algumas escolas, anunciou o secretário-geral da federação sindical.

“Em relação aos serviços mínimos, continuamos a receber informação sobre ilegalidades que estão a ser cometidas. Neste caso não é pelo Ministério da Educação, mas pelas direções das escolas“, disse Mário Nogueira aos jornalistas ao fazer um primeiro balanço da greve, em Lisboa.

O dirigente sindical deu vários exemplos de escolas em diferentes pontos do país, de Póvoa de Lanhoso a Beja, passando por Coimbra e Lisboa, onde foram convocados mais professores do que os necessários para assegurar a realização dos exames e das provas.

Mário Nogueira frisou que apesar dos esclarecimentos emitidos pelo Júri Nacional de Exames e do próprio colégio arbitral sobre quem pode ou não ser convocado, houve escolas que “pura e simplesmente ignoraram as orientações” e os diretores “fizeram aquilo que lhes apeteceu”.

Defendeu que, também por este motivo, é essencial rever o modelo de gestão das escolas, conforme a Fenprof tem defendido. “Cada um dos sindicatos de professores da respetiva região irá desenvolver todas as ações que forem consideradas adequadas, que estiverem estabelecidas na lei, no sentido de apresentar a queixa devida contra estes abusos”, assegurou o dirigente sindical, acrescentando que “se algum professor tivesse violado os serviços mínimos e, convocado para os mesmos, não comparecesse, naturalmente que ficaria sob alçada disciplinar“.

“Isto é válido para um professor e para qualquer pessoa que viole os acórdãos de serviços mínimos e neste caso há uma violação clara do acórdão que define os serviços mínimos”.

Os sindicatos decidiram avançar com a greve, após sucessivas reuniões inconclusivas com o Ministério da Educação, inclusive na véspera da paralisação, apresentando como reivindicações a abertura de concursos de vinculação extraordinária para docentes contratados, um regime especial de aposentação, o descongelamento de carreiras e uma redefinição dos horários de trabalho.

O Ministério da Educação assegura estarem reunidas as condições para que os exames nacionais e as provas de aferição se realizem dentro da “necessária normalidade” com a fixação dos serviços mínimos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Aquecer resíduos plásticos com microondas pode gerar hidrogénio limpo

Uma equipa de cientistas conseguiu gerar hidrogénio limpo através de um processo simples, aquecendo resíduos plásticos com microondas. O crescente uso de plástico descartável gerou um sério problema ambiental, sendo que, todos os anos, são produzidas …

Erupções vulcânicas podem explicar os misteriosos cristais da Dinamarca

Algumas das maiores espécies de cristais raros de carbonato de cálcio do mundo, também conhecidos como glendonitas, são encontrados na Dinamarca e isso pode ser explicado pelas erupções vulcânicas. Os cristais foram formados há cerca de …

O antigo campo magnético da Lua pode ter servido de "escudo" para atmosfera da Terra

Há 4 mil milhões de anos, a Lua pode ter protegido a atmosfera Terra, através do seu já extinto campo magnético, do Sol, sugere uma nova investigação, levada a cabo por um especialista da agência …

Coloridos e selados. Descobertos no Egito sarcófagos com mais de 2.500 anos

As autoridades egípcias anunciaram esta segunda-feira a descoberta de uma coleção de sarcófagos datados de há mais de 2.500 anos, na zona arqueológica de Sakkara, a sul da cidade do Cairo. Em comunicado, citado pela agência …

Nokia vai criar para a NASA a primeira rede móvel operacional na Lua

O grupo finlandês Nokia vai fabricar para a NASA aquela que será a primeira rede móvel móvel na Lua, como parte de um projeto de base humana permanente da agência espacial norte-americana, foi esta segunda-feira …

Sarkozy acusado de "associação criminosa". Investigação sobre ligações à Líbia continua

Nicolas Sarkozy, o antigo Presidente francês, está a ser acusado de "associação criminosa" como parte de uma investigação sobre o financiamento da sua campanha presidencial de 2007, particularmente acerca dos seus alegados vínculos com o …

A última década foi a mais quente do Oceano Atlântico em três milénios

A última década foi a mais quente do Oceano Atlântico em quase três milénios, aponta uma nova investigação da Universidade de Massachusetts em Amherst, nos Estados Unidos, e da Universidade de Quebec, no Canadá. As …

NASA apresenta rover "transformer" que vai explorar os penhascos íngremes de Marte

A NASA acaba de apresentar um rover de quatro rodas, denominado DuAxel, que se pode dividir em dois rovers de duas rodas separados. O robô foi projetado para, um dia, explorar alguns dos terrenos mais …

Veneno de vespa pode ter muito "potencial" na composição de antibióticos

Com o passar dos anos, a população começa a ficar mais resistente a certos medicamentos e estes deixam de fazer efeito. Agora, uma equipa de investigadores desenvolveu novas moléculas anti-microbianas a partir do veneno de …

"Ou és infetado ou morres de fome". Trabalhadores da Amazon nas Filipinas denunciam condições precárias

Trabalhadores contratados pela empresa de segurança Ring da Amazon que trabalham em call centers nas Filipinas denunciam condições de trabalho que dizem ser precárias, mostrando-se ainda mais preocupados com a situação por causa da pandemia …