Depois de 300 anos, a Grande Mancha Vermelha de Júpiter está a diminuir

Jason Major / MSSS / SwRI / JPL-Caltech / NASA

A Grande Mancha Vermelha de Júpiter, uma tempestade maior que a Terra e suficientemente poderosa para destruir pequenas tempestades que são atraídas para ela, é uma das características mais reconhecíveis da atmosfera de Júpiter.

A tempestade, um anticiclone, possui velocidades de vento de até 500 quilómetros por hora. Esta característica proeminente, observada desde 1830, e possivelmente já existia em 1660, tem sido fonte de grande fascínio e estudo científico.

Muito sobre a Grande Mancha Vermelha ainda é desconhecido, incluindo exatamente quando e como se formou, o que lhe dá uma cor vermelha marcante e porque persistiu durante muito mais tempo que outras tempestades observadas na atmosfera de Júpiter.

No entanto, os astrónomos pensam que a sua posição em latitude, consistentemente observada a 22 graus ao sul do equador de Júpiter, está ligada às proeminentes faixas de nuvens na atmosfera de Júpiter. Estudar atmosferas de todos os tipos aprofunda a compreensão sobre como elas se formam e funcionam.

Ao contrário de Júpiter, a Terra tem massas de terra que causam grandes tempestades a perder energia devido ao atrito com uma superfície sólida. Sem este recurso, as tempestades de Júpiter são mais duradouras.

Os investigadores não entendem muito bem porque é que a mancha ainda vive, mas sabe- se que as tempestades de Júpiter, localizadas em faixas de nuvens com o mesmo sentido de rotação, tendem a ser mais duradouras. Estas bandas alternadas coloridas, chamadas de cintos (escuras) e zonas (claras), são paralelas ao equador de Júpiter.

Os pesquisadores não têm certeza o que causa a coloração das bandas e zonas, mas as diferenças na sua composição química, temperatura e transparência da atmosfera à luz têm sido sugeridas como fatores contribuintes.

Estas bandas também são contra-rotativas, o que significa que se movem em direções opostas em relação aos seus vizinhos. Os limites entre as faixas e zonas são marcados por fortes ventos chamados jatos zonais. A Grande Mancha Vermelha é confinada por um jato a leste para o norte e um jato para o oeste ao sul, confinando a tempestade a uma latitude constante.

No entanto, a Grande Mancha Vermelha sofreu mudanças consideráveis ​​na longitude ao longo do tempo, e evidências recentes sugerem que a taxa de movimento longitudinal para o oeste está a aumentar.

Como a Grande Mancha Vermelha, as faixas sofreram poucas mudanças de latitude ao longo do tempo em que foram observadas. Os cientistas não entendem completamente a estrutura de bandas, mas há evidências que sugerem que as zonas de cores claras são regiões de material em ascensão e os cinturões escuros são regiões de material que se afundam na atmosfera.

Na Terra, há uma fronteira bem definida entre a atmosfera e a superfície do planeta, que é amplamente coberta por água líquida. No entanto, não existem grandes oceanos de água conhecidos sob as nuvens de Júpiter. Com base no que os investigadores sabem, a atmosfera passa suavemente para um interior de hidrogénio líquido dentro do planeta.

Pode haver um núcleo sólido em Júpiter, mas é mais provável que seja enterrado bem fundo sob uma espessa camada de hidrogénio líquido metálico, uma forma de hidrogénio que age como um condutor elétrico.

Uma análise de dados históricos e obtidos recentemente sobre a Grande Mancha Vermelha mostrou que ela está a diminuir e a tornar-se mais redonda e mais alta e sua cor também variou com o tempo. Contudo, a NASA continua sem saber a razão.

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Mais uma prova de alterações climáticas noutro planeta do nosso sistema solar. Aliás, se observarem com o vosso telescópio (se for potente) verão que a grande mancha está a mudar de cor há muito tempo! (mais fácil, olhem para as fotos publicadas pelo ZAP abaixo desta notícia)
    TODOS os planetas estão a mudar. Não é só a Terra.
    As alterações climáticas por que estamos a passar são muito mais profundas do que aquilo que nos querem fazer crer, abrangem TODO o nosso sistema solar, não querendo tirar a importância de que o Homem precisa de mudar os seus hábitos e comportamentos para com o nosso lindo Planeta.
    É interplanetário, causas não antropogénicas, e isso muda toda a propaganda com que nos alimentam todos os dias…

RESPONDER

Há uma forma de reduzir erros na computação quântica (e já sabemos qual é)

Na computação quântica, assim como no trabalho em equipa, um pouco de diversidade pode ajudar a melhorar o resultado. Esta pode mesmo ser a chave para pôr fim aos erros na computação quântica. Ao contrário dos …

Coimbrões 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto venceu hoje o Coimbrões, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal que os «dragões» resolveram com três golos nos 12 minutos iniciais. Aproveitando a inexperiência e nervosismo da formação …

Produção de filmes em Hollywood é um inimigo silencioso do ambiente

Hollywood é casa para a maioria dos grandes filmes produzidos que estreiam nas salas de cinema espalhadas por todo o mundo. Contudo, consegue ser bastante prejudicial para o meio ambiente e, mais do que nunca, …

O escorbuto era uma doença comum entre piratas, mas pode estar de regresso

O número de casos de escorbuto no Reino Unido mais do que duplicou nos últimos anos. A desnutrição é um dos principais responsáveis pelo regresso desta doença. O escorbuto está em ascensão no Reino Unido e …

Dois veleiros robotizados vão medir alterações climáticas no Atlântico

Dois veleiros de navegação robotizada vão medir, durante os próximos quatro meses, a pegada das mudanças climáticas no oceano Atlântico e irão passar pela Madeira e Cabo Verde. A Plataforma Oceânica das Canárias (PLOCAN) libertou esta …

A educação científica está sob ataque legislativo nos Estados Unidos

São inúmeros os professores de ciências que trabalham diariamente nas escolas públicas dos Estados Unidos para garantir que os alunos estão equipados com o conhecimento teórico e prático necessário para enfrentar o futuro. No entanto, …

João Félix saiu lesionado com gravidade no jogo contra o Valência

João Félix, avançado português do Atlético de Madrid, saiu este sábado lesionado com "forte torção no tornozelo direito", ao minuto 78 do jogo contra o Valência, da nona jornada da Liga espanhola de futebol, disputado …

As traças ficaram mais escuras por causa da Revolução Industrial? Cientistas já sabem a resposta

No virar do século XIX, na Grã-Bretanha, traças de todo o país começaram a ficar gradualmente mais escuras em resposta à forte poluição provocada pela Revolução Industrial. A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações …

Mais de mil médicos foram alvo de processos disciplinares. 45 foram condenados, nenhum foi expulso

Mais de 1.070 processos disciplinares a médicos foram abertos no ano passado pelos conselhos disciplinares da Ordem, tendo sido condenados 45, segundo dados este sábado divulgados. Segundo os dados da Ordem dos Médicos, os conselhos disciplinares …

Publicar no Instagram rende mais a Ronaldo do que jogar na Juve

As publicações pagas no Instagram rendem mais a Cristiano Ronaldo do que jogar na Juventus, revela um estudo do Buzz Bingo. O internacional português foi a personalidade mais bem paga neste rede social em 2018. De …