Afinal, a grande “explosão de vida” na Terra não foi repentina

Nobu Tamura/ Wikimedia

Opabinia regalis, um dinocarido do período cambriano

Um equipa de especialistas em Ciências da Terra acaba de descobriu novos e importantes informações sobre a Explosão Cambriana, desconstruindo teorias e correntes comummente aceites pela comunidade cientifica.

De acordo com a nova investigação, cujos resultados foram esta semana publicados na revista especializada Nature, a “explosão de vida” na Terra não ocorreu num evento único, como se imaginava até então, tendo antes se desenvolvido em vários episódios que decorreram ao longo de mais de 50 milhões de anos.

Entende-se como Explosão Cambriana o período de intensa atividade evolutiva que originou uma grande diversidade de espécies. Os cientistas estimam que este importante período da evolução da Terra tenha ocorrido há cerca de 530 milhões de anos.

Rachel Wood, professora da Universidade de Edimburgo, na Escócia, e a sua equipa chegaram a esta conclusão depois de estudarem um conjunto de informações sobre materiais fósseis e geoquímicos oriundos de todo o mundo.

Segundo explicou Wood em comunicado, a análise revela “os padrões e ‘motores’ de ascenção da vida complexa na Terra”. “Costumávamos pensar que os animais primitivos surgiram rapidamente após um único evento evolutivo, mas as nossas descobertas sugerem que o fenómeno ocorreu em etapas“.

O período anterior à Explosão Cambriana, entre 540 a 520 milhões de anos atrás, era completamente distinto do que o que lhe sucedeu. Segundo se pode ler no artigo, antes deste período de transição a maioria dos organismos vivos era simples, composta por células individuais ocasionalmente dispostas em colónias.

Não obstante, algumas descobertas de organismos multi-celulares fossilizados avançam o início deste período para, pelo menos, 571 milhões de anos. Entre estes fósseis, destaca a publicação, encontram-se os descobertos na antiga Avalónia (entre a atual Grã-Bretanha e a costa leste da América do Norte), na Austrália, no noroeste da Rússia, na Namíbia (sudoeste da África) e no centro da China.

Por tudo isto, e tendo em conta os novos dados, os cientistas concluem que, na verdade, a “explosão” não foi mais do que uma “fase entre várias” naquela que foi a formação da primeira biodiversidade animal na Terra.A sua sucessão coincidiu com as importantes subidas e descidas das temperaturas oceânicas sentidas pelo planeta.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Director nacional da PJ defende "recompensa garantida" para Rui Pinto

O director nacional da Polícia Judiciária (PJ), Luís Neves, realça a colaboração de Rui Pinto como tendo sido essencial para apurar a "verdade material" no caso de pirataria informática que o envolve e defende, por …

Lufthansa aceita condições do resgate. Vai ceder aviões e perder "slots"

O Governo da Alemanha e a Comissão Europeia (CE) chegaram a um acordo sobre o resgate da Lufthansa e que poderá evitar a falência da companhia aérea, anunciaram, na sexta-feira, fontes próximas das negociações e …

Chipre vai pagar despesas das férias a turistas que ficarem infetados no país

O Chipre vai pagar o custo das férias aos turistas que testaram positivo depois de viajarem para o país. Entre as despesas está o alojamento, a alimentação e os medicamentos. O Chipre comprometeu-se a pagar todas …

Tribunais vão vender máscaras a um euro. "É uma margem de lucro de 45 por cento"

Os tribunais vão ter máscaras cirúrgicas à venda para advogados e testemunhas, de modo a garantir que podem entrar nas salas de audiência a partir de quarta-feira, dia em que a Justiça retoma as sessões …

Julgamento BES. Ministério Público acredita que provas da Suíça ainda podem ser utilizadas

O jornal Público escreve este sábado que os procuradores do Ministério Público (MP) acreditam ainda ser possível utilizar os elementos solicitados nas cartas rogatórias enviadas às autoridades suíças no julgamento do caso BES. O Ministério …

Salários mais baixos podem passar a ter lay-off pago a 100%

O Governo está a estudar a possibilidade de o regime de lay-off, desenhado especificamente para o contexto da pandemia de covid-19, passar a ser pago na sua totalidade (100%) para quem tem salários mais baixos. …

Bronca na Liga. Contestação adia 5 substituições e o Marítimo recusa assinar Plano de Retoma

Após dois dias intensos de reuniões, foi aprovado o Plano de Retoma do campeonato nacional para a disputa das últimas 10 jornadas da época 2019/2020. Mas apenas 17 clubes o assinaram. O Marítimo recusou fazê-lo, …

Igreja perdeu 50 milhões de euros com a pandemia (e há dioceses em lay-off)

Ao cabo de dois meses de paragem por causa da pandemia de covid-19, as missas regressam, neste sábado, mas com regras novas para evitar a propagação do coronavírus. Uma paragem que resultou num "prejuízo" de …

Reabertura de ATL adiada para 15 de junho. Creches arrancam segunda-feira (sem apoios para os pais)

As Atividades de Tempos Livres (ATL) não integradas em estabelecimentos escolares só poderão voltar a funcionar a partir de 15 de junho, duas semanas depois daquilo que estava inicialmente previsto. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, …

Governo britânico vai continuar a pagar 80% dos salários durante mais três meses

O Governo britânico vai continuar a pagar durante mais três meses 80% do salário de trabalhadores em lay-off devido à pandemia de covid-19, e reduzir gradualmente o valor até ao fim do sistema, em outubro. O …