Governo quer soluções para idosos “depositados” nos hospitais

Rodrigo Gatinho / portugal.gov

O Ministro da Saúde, Paulo Macedo

O Ministro da Saúde, Paulo Macedo

O Ministério da Saúde e a Segurança Social vão trabalhar em conjunto para encontrar soluções mais eficazes para casos de idosos “depositados” nos hospitais e para impedir “assimetrias” nas taxas de vacinação em lares, disse hoje o ministro Paulo Macedo.

Durante uma visita ao serviço de urgência e à maternidade do Hospital de Guimarães, o ministro da Saúde explicou, em declarações à Lusa, que há lares com taxas de vacinação de “quase 100%”, mas que existem outros onde essa taxa é quase nula e onde se deixa “infetar” os utentes, levados depois “sem critérios” para as urgências.

Paulo Macedo lembrou ainda que a existência destes “casos sociais” de doentes internados em hospitais sem ser por razões de saúde também influencia o funcionamento das urgências em períodos de maior afluência.

“Vamos trabalhar este mês com a Segurança Social em dois aspetos: por um lado, os casos sociais para pôr estas pessoas onde possam ter assistência que não médica porque já não são casos clínicos, mas sim uma assistência em termos sociais”, apontou o ministro.

Por outro lado, o trabalho conjunto servirá para “ter a certeza de que não há assimetrias nas taxas de vacinação dentro dos lares”, o que, afirmou o ministro, acontece.

“Sabemos que as há. Há lares que têm taxas de vacinação na ordem dos 100% e depois há outros lares que não prestam qualquer atenção a esta taxa e deixam infetar o doente, não cuidam dele atempadamente, deixam infetar todos os outros residentes e depois, pura e simplesmente, são levados para as urgências sem qualquer critério e de forma desatempada”, referiu.

Além disso, o responsável apontou o desejo de ter “soluções mais eficazes” para os chamados casos sociais, que, disse, influenciam também o funcionamento das unidades hospitalares.

“Durante estas épocas festivas uma das razões porque também não havia, por vezes, a possibilidade de agilizar mais camas em internamento é porque há um conjunto de pessoas nos hospitais sem ser por qualquer razão de saúde mas porque são casos sociais”, explanou.

Por isso, Paulo Macedo quer que o funcionamento dos lares seja acompanhado.

“Aqui a questão é sabermos se de facto as pessoas dos lares recebem os cuidados clínicos e de enfermagem a que têm direito e que não são, pura e simplesmente, ao primeiro sinal, despejadas no hospital”, referiu.

Paulo Macedo aproveitou ainda a visita ao Hospital de Guimarães para lembrar dados já fornecidos pela Administração Central do Sistema de Saúde, apontando que na sexta-feira 1.941 médicos ingressam no Serviço Nacional de Saúde para o início do ano comum do internato médico.

Destes médicos, 201 (10,35%) são portugueses licenciados em países terceiros, na sua maioria Espanha (131) e República Checa (48), e 58 têm nacionalidade estrangeira.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

DGS aconselha grávidas e bebés vegetarianos a tomarem suplementos

A Direção-geral da Saúde recomenda suplementos de vitaminas e minerais para bebés e grávidas com alimentação vegetariana e lembra que a dieta não omnívora no primeiro ano de vida deve estar sempre sob supervisão médica. "A …

Entre os boletins de voto dos emigrantes, também há cheques e contas da luz

Para exercer o seu direito de voto, os eleitores portugueses residentes no estrangeiro deveriam enviar de volta para Portugal a documentação que receberam em casa – um envelope verde com o boletim de voto, dentro …

Ryanair despede 432 trabalhadores em Espanha

A companhia aérea irlandesa Ryanair confirmou esta quarta-feira a sua intenção de despedir em Espanha 432 trabalhadores das suas bases de Girona e Canárias, 327 tripulantes de cabine e 105 pilotos, informou o sindicato USO. Num …

Eleições em Moçambique. Dados preliminares dão vitória a Nyusi

Segundo as projeções de resultados da Sala da Paz, de acordo com valores “preliminares” baseados na leitura dos editais pelos seus observadores, o atual Presidente moçambicano e candidato da Frelimo, Filipe Nyusi, terá sido reeleito …

"Quem acusou Sócrates tem de provar. Se não provar tem de ser punido"

O ex-Presidente brasileiro, Lula da Silva, defende punição de procuradores da Operação Marquês, caso a acusação contra José Sócrates seja arquivada. Esta terça-feira, em entrevista à RTP, Lula da Silva defendeu a punição dos procuradores que …

Na Saúde, Warren torna-se alvo de ataques. Mas o foco é "derrotar Trump"

O maior debate televisivo para umas eleições primárias na história dos EUA juntou 12 candidatos num só palco. Foi o primeiro debate para o qual o ex-vice-Presidente Joe Biden não partiu com vantagem, tendo a …

Trump sugere que os mexicanos são uma ameaça terrorista maior do que o Daesh

O Presidente Donald Trump sugeriu que os mexicanos são uma ameaça muito maior do que o Daesh. Respondendo uma vez mais às críticas sobre ter retirado as tropas dos Estados Unidos (EUA) junto à fronteira …

Grécia. Incêndio em campo de refugiados deixa 600 pessoas sem alojamento

Um incêndio no campo de identificação e registo de migrantes de Vathy, na ilha grega de Samos, deixou 600 refugiados sem alojamento, alertou na terça-feira a organização não-governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF). "Em Vathy, seis …

Lista candidata à Ordem dos Enfermeiros excluída por ter poucos homens

Uma das listas candidatas às eleições para a Ordem dos Enfermeiros foi excluída por ter poucos homens. A comissão eleitoral nomeada explica que a lista não respeita a lei da paridade, aprovada pela Assembleia da …

“É a desilusão”. PSD queria novos ministros na Saúde, Educação e Justiça

  O PSD defendeu esta quarta-feira que "não há um novo Governo", mas "uma remodelação com alargamento", com um executivo aumentado e "mais partidário", considerando "uma desilusão" a continuidade em pastas como Saúde, Educação e Justiça. "Não …