Governo polaco “faz limpeza” nas rádios e televisões públicas

O presidente da Polónia, Jaroslaw Kaczynski

Os conservadores no poder na Polónia vão ter o controlo dos “media” públicos do país, tendo confiado ao ministro do Tesouro a nomeação de novos responsáveis editoriais e diretivos após a aprovação de uma lei polémica no Parlamento.

Aprovada por 232 deputados, com 152 votos contra e 34 abstenções, a nova lei foi apresentada segunda-feira no Parlamento pelo governo do presidente Jaroslaw Kaczynski, para debate com caráter de urgência.

As novas disposições implicam o fim imediato dos mandatos dos atuais membros das direções de informação e dos conselhos de fiscalização da televisão e rádio públicas.

Tudo estará dependente do ministro do Tesouro polaco, que terá a competência de nomear e demitir os novos diretores dos órgãos de comunicação social públicos, até aqui escolhidos por concurso organizado pelo Conselho Nacional do Audiovisual (KRRiT).

Várias organizações internacionais, como a União Europeia de Rádio Televisão, a Associação de Jornalistas Europeus, os Repórteres Sem Fronteiras, manifestaram já “indignação” face às novas disposições, “introduzidas à pressa e sem qualquer consulta e análise prévias”, lê-se no portal da UER.

Também o vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, “já pediu informações” ao Governo polaco sobre o projeto de lei aprovado.

Por seu lado, e numa carta dirigida ao ministro da Cultura polaco, a AEJ declara-se “profundamente preocupada” com as alterações aprovadas.

“As disposições colocam a televisão e a rádio públicas sob o controlo direto do Governo, implicam despedimentos por razões políticas de jornalistas respeitados e conduz a uma ingerência editorial sistemática no conteúdo das emissões e, favor do próprio Governo”, lê-se no documento da AEJ.

“Num primeiro passo, modificamos os princípios de eleição dos responsáveis da televisão pública (TVP) e da Rádio Polaca (PR)”, disse aos jornalistas o vice-ministro da Cultura, Krzysztof Czabanski, encarregado da reforma no setor.

A etapa seguinte, prosseguiu, é aprovar uma lei sobre os “media” nacionais que vai alterar o regime de funcionamento dos órgãos de comunicação social públicos, bem como os princípios do respetivo financiamento.

O partido Direito e Justiça (PiS), de Jaroslaw Kaczynski, já indicou na televisão e na rádio públicas, bem como na agência noticiosa PAP, que as sociedades de direito comercial controladas pelo Estado serão transformadas em instituições culturais, enformadas por um Conselho de Media Nacionais, a criar pelo executivo.

Segundo o PiS, as alterações conduzirão a uma “racionalização” de meios e à “diminuição” dos custos da gestão das empresas públicas de comunicação social e ainda a “elevar os níveis profissionais e éticos necessários para realizar a missão pública”.

Para toda a oposição polaca, as novas disposições constituem “uma simples tomada de poder nos meios de comunicação social públicos” por parte dos conservadores, no poder há cerca de seis meses.

Para entrar em vigor, a nova lei terá de obter a aprovação do Senado, dominado pelo PiS.

Bom Dia

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. No mundo existem MAUS ditadores, e esses levam no trombil no momento apropriado, e BONS ditadores, como este Jaroslaw Kaczynski, que a Europa acarinha enternecedoramente, até ao dia que se torne inconveniente, sei lá… e a história vai-se repetindo, sem que se aprenda muito com o passado.

RESPONDER

Vírus pode ter estado adormecido antes de surgir na China, diz investigador de Oxford

O novo coronavírus pode ter estado adormecido algures no mundo antes de ter surgido na China, defendeu o investigador da Universidade de Oxford, Tom Jefferson, apontando para várias descobertas de amostras do vírus em Espanha, …

Federer sente falta de Wimbledon. "Deu-me tudo"

Roger Federer admitiu sentir a falta de Wimbledon, o torneio do "Grand Slam" que, se não tivesse sido cancelado devido à pandemia de covid-19, estaria a decorrer em Londres. O tenista suíço Roger Federer admitiu, esta …

Vanessa Guillen foi espancada até à morte. Jovem soldado tinha dito à mãe que era vítima de assédio

Vanessa Guillen foi vista pela última vez a 22 de abril, pouco tempo depois de confessar à mãe que estava a ser assediada por um sargento. O principal suspeito da morte da jovem suicidou-se e …

Presidente da Câmara do Funchal envia carta a Boris Johnson a defender a Madeira

O presidente da Câmara do Funchal escreveu uma carta a Boris Johnson, na qual realça "alguns argumentos fortes" a favor da Madeira como destino de férias para os cidadãos do Reino Unido. O presidente da Câmara …

Livros pró-democracia desapareceram das bibliotecas de Hong Kong

Livros escritos por importantes ativistas da democracia de Hong Kong começaram a desaparecer das bibliotecas da cidade, avança a agência noticiosa francesa AFP, citando registos online destes espaços. Os livros pró-democracia desapareceram das prateleiras da …

Lito Vidigal é o novo treinador do Vitória de Setúbal

Lito Vidigal é o novo treinador do Vitória de Setúbal. O ex-treinador do Boavista, que já tinha passado pelo Bonfim em 2018/2019, vai suceder a Júlio Velázquez no comando técnico dos sadinos. Esta segunda-feira, Lito Vidigal, …

Estados Unidos confirmam rara infeção provocada por parasita que destrói o cérebro

Foi detetada, no cérebro de uma pessoa no condado de Hillsborough, uma ameba rara que destrói o cérebro. O parasita chama-se Naegleria Fowleri. Uma ameba rara que destrói o cérebro, conhecida como Naegleria Fowleri, foi detetada numa …

IKEA devolve a Portugal 500 mil euros em apoios do lay-off

A IKEA já reuniu com o Governo e diz estar a estudar a melhor forma de proceder à devolução do montante recebido pelo Estado.  Segundo o Dinheiro Vivo, a IKEA Portugal vai devolver cerca de 500 …

Isabel dos Santos diz-se "contactável e disponível" para colaborar com a justiça

Isabel dos Santos negou, esta segunda-feira, que a justiça desconheça o seu paradeiro e que não a consiga contactar, depois de o procurador-geral de Angola ter vindo a público denunciar a ausência de respostas da …

"Não estamos a dar a resposta suficientemente eficaz nesta fase", diz bastonário dos médicos

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM), Miguel Guimarães, defendeu esta segunda-feira que enquanto faltar uma "resposta suficientemente eficaz" à covid-19 na fase de desconfinamento, a recuperação económica também será mais lenta. O responsável falava aos …