Governo muda as regras do jogo. Reforma antecipada só para quem aos 60 tem 40 anos de descontos

partidosocialista / Flickr

O ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, José António Vieira da Silva

O Governo quer limitar, a partir de outubro do próximo ano, o acesso à reforma antecipada aos trabalhadores que começaram a descontar para a Segurança Social antes dos 20 anos.

O Governo vai alterar o regime de antecipação da reforma, limitando o acesso aos trabalhadores que aos 60 anos de idade tenham 40 de desconto, disse esta quarta-feira o ministro do Trabalho e Segurança Social, José António Vieira da Silva, na apresentação do Orçamento da Segurança Social.

“Esse regime da reforma antecipada vai ser alterado, ainda que possam existir processos de transição, no sentido de que o acesso será apenas para quem esteja sujeito às regras que eu disse, 60 anos de idade e 40 anos de descontos”, afirmou Vieira da Silva aos jornalistas em conferência de imprensa.

Segundo o ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, as mudanças têm “como pressuposto uma alteração do regime de acesso à reforma antecipada”. Desta forma, um trabalhador que aos 61 anos, com 40 anos de descontos, queira reformar-se antecipadamente ficará impedido de o fazer.

Questionado várias vezes pelos jornalistas se, de futuro, um trabalhador com 60 ou mais anos pode optar por reformar-se com cortes do fator de sustentabilidade, o ministro indicou que não. “As condições de acesso à reforma por flexibilidade mudam e passam ter como condição ter 40 anos de carreira aos 60 anos de idade.”

Assim, uma pessoa com 64 anos e 43 de descontos para a Segurança Social não poderá reformar-se antecipadamente, mesmo que com cortes, uma vez que aos 60 só tinha 39 anos de carreira contributiva. A exceção acontecerá no caso dos trabalhadores que peçam reforma antecipada após período de desemprego de longa duração.

A proposta do Orçamento do Estado para 2019, conhecida esta semana, confirmou o fim do fator de sustentabilidade (que corta atualmente 14,5% do valor das pensões antecipadas) no próximo ano para os novos pensionistas que aos 60 anos de idade tenham pelo menos 40 anos de contribuições.

A medida, que já tinha sido anunciada pelo Bloco de Esquerda, será feita em duas fases: a partir de 1 de janeiro o fator de sustentabilidade deixa de ser aplicar a quem tem 63 ou mais anos de idade (desde que aos 60 anos já tenha 40 anos ou mais de descontos); a partir de 1 de outubro o corte deixa de se aplicar aos novos pensionistas com 60 ou mais anos de idade (desde que aos 60 anos tenham pelo menos 40 anos de contribuições).

A medida tem um custo estimado de cerca de 43,4 milhões de euros em 2019 para a Segurança Social.

No entanto, apesar de neste caso os trabalhadores deixarem de ter cortes na pensão associados ao fator de sustentabilidade, mantém-se o corte na pensão por se reformarem antes da idade legal para o fazerem, de 66 anos e cinco meses em 2019.

Em causa está o corte de 0,5% por cada mês de antecipação em relação a essa idade normal, que no total implica uma redução de 6% por cada ano que falte para a idade legal. Vieira da Silva indicou que o corte da reforma por antecipação da idade legal (de 0,5% ao mês) poderá vir a ser bonificado em função da carreira contributiva.

“Uma pessoa com 60 anos de idade e 40 anos de carreira terá um tipo de penalização, um com 60 anos de idade e 43 anos de carreira terá uma penalização mais baixa. Poderá haver algum acerto em Concertação Social”, afirmou.

O novo regime de reformas antecipadas por flexibilização para pensionistas da Segurança Social ainda tem de ser debatido em Concertação Social, mas o ministro considerou que esse trabalho estará concluído até final do ano de modo a entrar em vigor em janeiro.

Sobre o aumento extraordinário das pensões, entre seis e dez euros, inscrito na proposta orçamental, o ministro considerou que “não se trata de uma política expansionista, descontrolada”. “Porá a generalidade desses pensionistas, em 2019, numa situação real idêntica à que tinham na altura do congelamento” das pensões, disse.

O aumento das pensões entre seis e dez euros destina-se aos pensionistas cujo montante global de pensões seja igual ou inferior a 1,5 vezes o valor do indexante dos apoios sociais (IAS) e atingirá cerca de 1,6 milhões de pessoas.

Serão abrangidas pela atualização extraordinária as pensões de invalidez, velhice e sobrevivência atribuídas pela Segurança Social e as pensões de aposentação, reforma e sobrevivência do regime de proteção social convergente atribuídas pela Caixa Geral de Aposentações (CGA).

Haverá ainda em janeiro a atualização regular das pensões, que terá em conta a inflação (sem habitação) e o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), abrangendo neste caso 3,5 milhões de pensionistas.

Bloco “não acompanha” Governo

O Bloco de Esquerda revelou que o limite no acesso às reformas antecipadas não foi acordado com o partido e não consta da proposta de Orçamento do Estado para 2019.

À TSF, o deputado bloquista José Soeiro disse que, “na lei do Orçamento, aquilo que consta é o fim da penalização fator de sustentabilidade para quem, aos 60 anos de idade, tenha 40 de descontos. Não consta que esse passa a ser o critério único de acesso a uma pensão antecipada”.

Soeiro considera que esta é uma questão que terá de ser discutida na especialidade, garantindo, porém, que “o Bloco de Esquerda não acompanha a ideia de que esta deva ser a condição única de acesso às reformas antecipadas”.

Limitação é “injusta”

Arménio Carlos, líder da CGTP, considera a limitação das reformas antecipadas “uma injustiça que tem que ser corrigida”, adiantando que esta medida é um problema que “deixa de fora todos os outros trabalhadores que, eventualmente, tenham um número de anos de contribuições igual ao superior ao exemplo que ele coloca”.

“Por exemplo, um trabalhador que entrou com 18 anos de idade no mercado de trabalho e que neste momento tenha 59 anos tem 41 anos de contribuições, mas não tem acesso sem penalização à reforma. No entanto, se tiver 60 anos e 40 anos de contribuições – ou seja, menos um ano – já pode aceder à reforma sem a penalização do fator de sustentabilidade”, comenta à TSF.

Além disso, o sindicalista critica a falta de discussão da medida com os parceiros sociais, sobretudo porque a CGTP solicitou várias vezes reuniões com a secretaria de Estado da Segurança Social para debater o assunto.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA

    Governo muda as regras do jogo. Reforma antecipada só para quem aos 60 tem 40 anos de descontos e se apresente juntamente com os pais e os avós no momento do pedido da reforma

    Se for do PS não é preciso ter qualquer desconto. A reforma é imediata com a apresentação do cartão do partido.

  2. Será que também se aplica aos políticos com dois mandatos, com ou sem acumulação de Reformas ???

    Presidente de Câmaras?
    Deputados?
    Ministros?
    Presidência da Republica?
    Afilhados dos Partidos?

  3. Sim as reformas são imediatas com o Cartão do PS, e basta meia ser Deputado que tem garantia da Subvenção Vitalicia.
    Pois é verdade o governo, hoje diz uma coisa para depois dizerr outra.
    A Geringonça no seu melhor…
    Nunca pensei que o PS se alia-se á Extrema Esquerda, o que eu Socialista não me vejo no PS com a Extrema Esquerda.
    Costa fez tudo desde a traição ao meu camarada António José Seguro, criou as primárias para ganhar, mas perdeu as eleições, mas como queria a toda a força ser 1.º Ministro tudo fez para se aliar á Extrema Esquerda que tanto mal disseram um dos outros e assim criou-se a Geringonça!!!!
    E assim teve a maioria na Assembleia da Républica com as muletas uma de cada lado.
    VERGONHOSO…
    Sou socialista sim, votar neste PS nunca…Sou socialista sim, mas não sou parvo e não sou oportunista e traidor.

RESPONDER

Motorista que conduziu Marcelo entre Lisboa e Porto mandou um e-mail. Foi investigado como "ameaça ao Estado"

O Governo recebeu um email a avisar que a greve dos motoristas ia provocar o caos, fazendo parar muitos serviços - e lembrando que assim caiu um governo no Chile. O executivo receou que fosse uma …

Marinho e Pinto quer Pardal Henriques como deputado do Partido Democrático Republicano

Ainda que não tenha confirmado Pedro Pardal Henriques como um dos cabeça-de-lista do partido que fundou, Marinho e Pinto não poupou elogios ao advogado do Sindicato de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) . “Seria um …

TAP vai deixar de contar para o défice orçamental

A 15 dias das eleições legislativas, o défice orçamental de 2018 vai ser revisto em baixa. Em causa estão os prejuízos da TAP que deixam de influenciar as contas nacionais. A alteração será comunicada a duas …

Imigrantes desesperam com atrasos no SEF. Bloco questiona Governo

As marcações para atendimento no SEF estão suspensas até ao final deste ano e não existem datas disponíveis nem agenda definida para 2020, levando muitos imigrantes a ficar em risco de irregularidade. A espera para conseguir …

Rui Rio esteve de cócoras a confecionar tapetes em Viana do Castelo. Mas quer país governado “bem de pé”

O líder do PSD, Rui Rio, esteve “de cócoras” a confecionar tapetes floridos em Viana do Castelo, na noite de segunda-feira, assumindo que aquela posição é desaconselhada para governar o país. Duzentos metros ao lado, António …

Empresa está há 12 anos à espera que o Fisco lhe devolva 86 mil euros

Uma empresa do sector alimentar está há 12 anos à espera que o Fisco lhe devolva 86 mil euros de uma caução paga no âmbito de uma queixa que apresentou contra a Autoridade Tributária (AT). …

Há medicamentos esgotados há mais de um ano. Doentes estão sem alternativas

Há várias farmácias com os medicamentos esgotados, segundo os dados que a Associação Nacional de Farmácias (ANF). Os hipertensos são dos que mais preocupam. Quem sofre de hipertensão e é medicado com Adalat tem, há pelo …

Homem com gasolina e arma de brincar sequestrou autocarro no Rio de Janeiro. Acabou abatido

Um homem armado fez vários reféns num autocarro no Rio de Janeiro, no Brasil. Identificando-se como polícia militar, o sequestrador entrou no veículo com gasolina e com uma arma que se veio a revelar ser …

Governo de Hong Kong anuncia plataforma de diálogo. Ativistas desconfiam

O Governo de Hong Kong anunciou a criação de uma "plataforma de diálogo" com "pessoas de todas as áreas sociais", dois dias depois do protesto pacífico que terá juntado 1,7 milhões de pessoas. Em conferência de …

Altice rompe contrato com o Estado e já não vai enterrar cabos nas zonas de risco de incêndio

A Altice Portugal denunciou o protocolo assinado com a Infraestruturas de Portugal, em 2017, para o enterramento de cabos de telecomunicações nas zonas de elevado risco de incêndio, alegando falta de "condições necessárias" para cumprir …