Governo estuda metro ligeiro na Vasco da Gama para fazer ligação ao novo aeroporto

O Governo e a ANA assinam esta quarta-feira um memorando de entendimento para “estudar aprofundadamente” um aeroporto no Montijo complementar ao de Lisboa, dez anos depois de ter sido equacionada a hipótese “Portela + 1”, abandonada em 2008.

O memorando que será assinado hoje volta a colocar o Montijo no centro de um debate que nos últimos anos tem sido marcado por sucessivos avanços e recuos, sendo a construção da infraestrutura em Alcochete, concelho de Alenquer, a que esteve mais próxima de se tornar realidade.

A cerimónia de assinatura do acordo, que decorre em Lisboa, vai contar com as presenças do primeiro-ministro, António Costa, do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, do presidente da Confederação do Turismo Português, Francisco Calheiros, do presidente da VINCI Airports, Nicolas Notebaert, e do presidente da ANA Aeroportos de Portugal, Jorge Ponce de Leão.

O primeiro-ministro já disse que uma decisão definitiva sobre a localização do futuro aeroporto no Montijo está condicionada à conclusão de um relatório sobre o impacto da migração de aves naquela zona, nomeadamente para a segurança migratória.

Segundo o jornal Público, os estudos para o plano de ligações entre os dois aeroportos ainda estão por concluir, algo com que a VINCI Airports se vai comprometer hoje com a assinatura do memorando.

Neste campo, o Governo estará a estudar a construção de um metro ligeiro na ponte Vasco da Gama, uma vez que esta infraestrutura não suporta uma linha ferroviária tradicional, escreve o jornal.

Segundo apurou o diário, o dossier das infraestruturas inclui também uma renegociação da parceria público privada (PPP) com a Lusoponte, que foi adiada no pressuposto de que a localização de um aeroporto do Montijo coloca o Estado numa posição negocial mais favorável.

Esta solução no Montijo, que deverá assumir parte do tráfego das companhias low cost, volta a estar em cima da mesa, numa altura em que o aeroporto de Lisboa atingiu, no ano de 2016, 22 milhões de passageiros.

De acordo com o Público, a ANA prefere a adaptação da base do Montijo, onde já existe uma pista da Força Aérea portuguesa, uma vez que não devem ser precisos mais do que 250 milhões de euros. No entanto, será preciso gastar mais de 300 milhões para modernizar o próprio Humberto Delgado.

O objetivo do Governo, escreve o jornal, é financiar esta operação através das taxas aeroportuárias pagas pelas companhias de aviação e, em último caso, pelos próprios passageiros que nelas viajam.

Esta terça-feira, os pilotos alertaram que o Montijo não poderá ser alternativa nos voos de longo curso, mas fonte do Ministério do Planeamento já assegurou que terá condições para receber aviões de maior porte, em situações de contingência ou indisponibilidade temporária do aeroporto principal.

A decisão oficial para o arranque das obras só deverá ser tomada no final deste ano, para que os trabalhos possam estar no terreno durante 2018 e sejam terminados em 2021.

Marcelo Rebelo de Sousa já sugeriu que o aeroporto complementar de Lisboa seja batizado com o nome de Mário Soares, em homenagem ao ex-chefe de Estado falecido em janeiro.

“Se é possível ao Presidente da República fazer alguma sugestão, ela é de que essa nova realidade mereça o nome de Mário Soares, homenagem justa a quem serviu o país”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas criam algoritmo para identificar covid-19 a partir do som da tosse

Investigadores de vários países criaram um algoritmo que afirmam poder identificar se uma pessoa tem covid-19 a partir do som da sua tosse. Cientistas do México, Estados Unidos, Espanha e Itália, liderados por uma equipa do …

Para proteger o fundo do mar, novo sistema permite atracar vários barcos com uma só "âncora"

Quando vários barcos se amontoam numa enseada durante a noite, cada um deles lança uma âncora que pode potencialmente danificar os corais e a vida marinha no fundo do mar. O sistema Seafloat foi criado …

Japão e Estados Unidos assinam acordo de cooperação para exploração da Lua

O Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia do Japão e a agência espacial dos Estados Unidos (NASA) assinaram um acordo de colaboração entre os dois países no programa Artemis, para a exploração da …

Washington Redskins mudam de nome por ser considerado racista

A equipa de futebol americano, até aqui denominada de Washington Redskins, vai abandonar essa designação, considerada de teor racista, para designar nativos da América do Norte. Em comunicado, a equipa de Washington explicou que, depois de uma …

Flores precisaram de cerca de 50 milhões de anos para se tornarem o que são hoje

As plantas com flor evoluíram há cerca de 100 milhões de anos, mas precisaram de outros 50 milhões de anos para diversificar e tornarem-se aquilo que são hoje, sugere uma equipa de investigadores. Os cientistas documentaram …

Estudo sugere que imunidade à covid-19 pode desaparecer em poucos meses

A imunidade adquirida por anticorpos após a cura da covid-19 pode desaparecer em alguns meses, o que poderá complicar o desenvolvimento de uma vacina eficaz a longo prazo, sugere um estudo britânico divulgado esta segunda-feira. "Este …

60 anos depois, já se sabe o que aconteceu aos 9 russos que desapareceram na Montanha da Morte

Passados 61 anos, o mistério da morte de nove esquiadores russos que faziam uma caminhada pelos Montes Urais, perto da chamada Montanha da Morte, foi finalmente resolvido. Em 1959, nove viajantes russos que faziam uma caminhada …

Médicos Sem Fronteiras é "institucionalmente racista", acusam atuais e ex-colaboradores

Uma declaração assinada por mil atuais e ex-funcionários revela que a Organização Não Governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF) é "institucionalmente racista" e reforça o colonialismo e a supremacia branca no trabalho humanitário que pratica. Na …

Empresa culpada pela crise de opioides fez contribuições políticas após declarar falência

A Purdue Pharma, empresa culpada pela crise de opioides nos Estados Unidos, fez contribuições políticas após ter sido processada e declarado falência. Os opioides são usados para aliviar a dor, mas também provocam uma sensação exagerada …

Norte-americano morre após ir a festa para provar que a covid-19 é uma farsa

Um norte-americano de 30 anos, de San Antonio, no estado do Texas, morreu de covid-19 depois de ir a uma festa para provar que a doença era uma farsa, informou a media local. O homem foi …