Governo escolhe Sampaio da Nóvoa para embaixador na UNESCO

Eduardo Costa / Lusa

António Sampaio da Nóvoa, candidato às Presidenciais de 2016

António Sampaio da Nóvoa é o nome escolhido pelo ministério dos Negócios Estrangeiros para ser o próximo embaixador de Portugal na Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, UNESCO.

A escolha do Governo foi revelada esta sexta-feira pelo jornal Público e confirmada pela RTP: o ex-candidato à presidência da República António Sampaio da Nóvoa é o próximo embaixador de Portugal na UNESCO.

Desde o tempo da troika que Portugal não tinha um diplomata em exclusivo na agência das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.

A nomeação de Sampaio da Nóvoa acontece depois de Portugal ter sido eleito até 2021 para o conselho executivo da organização, e de a semana passada o ex-reitor, que não tem experiência na diplomacia, ter mostrado abertura para uma nova candidatura presidencial.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, considerou hoje que a escolha de António Sampaio da Nóvoa se deveu, entre outras razões, ao facto de o ex-reitor ser “uma autoridade internacionalmente reconhecida” na Educação.

“Portugal foi eleito no mês de novembro para o conselho executivo da UNESCO e, para o Governo, e isso tem como consequência óbvia a reabertura da nossa representação permanente na UNESCO”, salientou o ministro, recordando que a representação tinha sido “suspensa no tempo da Troika”.

Desde essa altura “era o embaixador em França que acumulava as funções de representante junto da UNESCO”. Para Augusto Santos Silva, o convite do Governo ao professor António Sampaio da Nóvoa assentou em “três razões essenciais”.

“A primeira é que o professor é uma autoridade internacionalmente reconhecida nos domínios da Educação, quer do ponto de vista analítico (da história da Educação) como do ponto de vista técnico, no apoio às politicas públicas na Educação. Portanto é uma autoridade internacional numa das áreas fundamentais na missão da UNESCO”, salientou o chefe da diplomacia portuguesa.

A segunda razão, acrescentou, é que o Executivo entende que Sampaio da Nóvoa “combina a sua experiência como académico e perito nas áreas da Educação e da Ciência” com uma experiência “não menos relevante de gestão e direção em instituições culturais, científicas e académicas”, nomeadamente como reitor durante vários mandatos reitor da Universidade de Lisboa.

A terceira razão é que o conhecimento que Sampaio da Nóvoa tem da própria atividade da UNESCO, organização para a qual tem trabalhado como perito, recordou.

“Estas três razões levaram-nos a convidá-lo para assumir as funções de representante permanente. Com muito agrado nosso, ele aceitou o nosso convite”, disse Santos Silva, sublinhando que “está em curso o seu processo de nomeação”.

O ministro afirmou que a nomeação de Sampaio da Nóvoa para embaixador da UNESCO dá continuidade “à tradição portuguesa” de apenas em casos muitos raros designar para o cargo de embaixadores personalidades que não são diplomatas.

“A tradição portuguesa – que é muito boa e que este governo continua – é a de só designar muito raramente embaixadores que não são diplomatas, como é este caso, e para organizações internacionais de cunho predominantemente técnico”, disse Santos Silva.

Pela UNESCO passaram “embaixadores ditos políticos” como Maria de Lurdes Pintassilgo, José Augusto Seabra, Manuel Maria Carrilho, e em breve António Sampaio da Nóvoa.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …

Novo estudo diz que Remdesivir não tem "impacto significativo" nos doentes com covid-19

Ao contrário do que se pensava, o medicamento antiviral remdesivir não reduz as mortes entre os pacientes com covid-19, sobretudo quando comparado com o tratamento padrão, de acordo com os resultados de um estudo internacional. Em …