Governo de Passos recusou proposta de 700 milhões pelo Banif

Vitor Pires / Portugal.gov.pt

Em maio do ano passado, o Governo de Passos Coelho não terá dado sequência a uma oferta da Ample Harvest Investment Capital, que admitia pagar 700 milhões de euros pelas ações do Estado no Banif.

A informação, avançada esta quarta-feira pelo Público, dá conta de uma oferta pelo fundo de Hong Kong de 700 milhões de euros, que se traduziria numa perda de 15% para os contribuintes que, na altura, tinham verbas em risco de 825 milhões.

Segundo o jornal, a oferta enviada em meados de maio de 2015 foi ignorada pelo anterior Governo por considerar que “não era oportuna” e porque estava em mãos outro processo de venda mais importante: o do Novo Banco.

A coincidência de calendários entre as duas instituições bancárias e as prioridades políticas terão estado por trás da opção do anterior Executivo, e também do Banco de Portugal, de recusarem abrir um concurso público organizado de venda voluntária do Banif.

Sete meses depois, e já de acordo com a atuação do novo Governo, o banco madeirense acabou por ser alvo de uma resolução com um prejuízo para o Estado que pode chegar a três mil milhões.

Até agora, a intenção de aquisição por parte da Ample Harvest não foi referida em nenhuma das audições da Comissão Parlamentar de Inquérito à resolução do Banif, onde já estiveram a prestar esclarecimentos alguns dos protagonistas deste caso, tais como a ex-ministra Maria Luís Albuquerque, o governador do BdP Carlos Costa, o ex-responsável pela supervisão António Varela e os dois ex-presidentes da instituição, Luís Amado e Jorge Tomé.

Segundo o Público, a “carta” é do conhecimento de todos estes intervenientes e não consta sequer da extensa documentação remetida aos deputados pelas várias entidades.

A proposta, sujeita a um pedido de due dilligence que não terá agradado aos representantes do Estado, contemplava todo o perímetro da instituição, como a compra de toda a rede de balcões, a manutenção dos postos de trabalho do Banif e a seguradora Açoreana.

Porém, a ex-ministra Maria Luís Albuquerque considera que tanto esta proposta como outras que receberam na altura seriam apenas “meras manifestações de interesse”, adianta a Renascença.

“Era uma manifestação de interesse, como outras que nós recebemos. Como tive ocasião de explicar, entendemos que não havia condições para abrir um concurso – estávamos a preparar o processo de reestruturação para abrir o concurso de venda, que efetivamente aconteceu antes do final do ano. Aliás, o investidor em causa que é hoje referido nas notícias nem sequer veio a esse concurso”, explicou hoje a deputada aos jornalistas.

ZAP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

UE tem de libertar-se da "má vontade" e negociar entre iguais, diz Reino Unido

A União Europeia (UE) deve libertar-se da sua má vontade e construir uma boa relação com o Reino Unido como soberanias iguais, disse no domingo o conselheiro do Governo britânico David Frost, prometendo defender os …

Acordo com Groundforce falha por acionista maioritário ter ações penhoradas

O acordo entre a TAP e a Pasogal, acionista da Groundforce, falhou, porque as ações do acionista já estão penhoradas e, assim, não podem ser dadas como garantia, disse à Lusa fonte oficial do Ministério …

Apenas 24 países têm mulheres no poder. Igualdade de género alcançado somente "em 130 anos"

Menos de 500 milhões de pessoas dos cerca de 7,8 mil milhões que constituem a população mundial têm atualmente uma mulher Presidente ou chefe de governo, avançou a ONU Mulher. "Ao ritmo atual, a igualdade de …

Império de Cristiano Ronaldo mudou-se para Portugal (na pista dos benefícios fiscais)

Após ter dissolvido a CRS Holding no Luxemburgo, Cristiano Ronaldo passou a sede de uma das suas principais empresas para Lisboa renomeando-a CR7 Lifestyle Unipessoal. Nesta altura, o craque já tem seis empresas instaladas em …

Coro de crianças na Alemanha compõe música de apoio a Portugal

Um coro com cerca de quatro dezenas de crianças, da cidade de Tecklenburg, na Alemanha, criou uma música para "dar conforto" aos portugueses durante a pandemia de covid-19. "Quando eu li nas notícias sobre a situação …

Pelo menos 6% das portuguesas já foram vítimas de agressão física ou sexual

No dia em que se assinala o Dia Internacional da Mulher, a Pordata compilou um conjunto de indicadores que retratam a situação da mulher, em Portugal e na União Europeia.  Segundo o Eurostat e a Agência …

PS exige "demissão imediata" de Pedro Machado da presidência da Turismo Centro

As federações do PS de Aveiro, Coimbra, Guarda, Leiria, Oeste, Santarém e Viseu exigiram este domingo a "demissão imediata" de Pedro Machado da presidência da Turismo Centro de Portugal (TCP) e a convocação de eleições …

“Opaco” e “mal estruturado”. Pilotos criticam plano de adesão voluntária da TAP

Esta segunda-feira, o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) definiu o programa de medidas voluntárias da TAP como “mal estruturado”, “absolutamente opaco” e com “deficiências de informação”. A direção de recursos humanos da companhia “revela-se …

"Bolsonaro pode estar a preparar guerra civil", temem politólogos

Politólogos ouvidos pelo DN temem que o Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, possa estar a preparar uma guerra civil. "Deseja armar a população, confia em poderes paralelos e estimula a indisciplina dos escalões mais baixos …

PRR: PSD quer que Governo conheça todos os contributos entregues na consulta pública

O PSD pediu acesso esta segunda-feira, através do parlamento, à documentação relativa a todos os contributos decorrentes da consulta pública do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Num requerimento entregue segunda-feira no parlamento e dirigido ao …