Governo ainda está a tempo de “reverter” venda de barragens da EDP

Mário Cruz / Lusa

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins

A coordenadora do Bloco de Esquerda disse este domingo que o Governo ainda está tempo de reverter o negócio das venda de seis transmontanas, que terá permitido à EDP poupar 110 milhões em imposto de selo.

“O que nós, no Bloco de Esquerda [BE], defendemos é que ainda é possível reverter o negócio e essa é a responsabilidade pública. O Governo tem de fazer uma escolha: ou apoia o desenvolvimento desta região e reverte o negócio ou é cúmplice das negociatas da EDP “, disse Catarina Martins, este domingo, durante uma visita à barragens de Miranda do Douro, no distrito de Bragança.

Segundo a líder do BE, ainda houve “a esperança” de que o imposto de selo no valor de 110 milhões de euros, resultante da venda das seis barragens ficasse no território após uma alteração legislativa.

O governo decidiu fechar os olhos ao esquema que a EDP montou para fugir ao pagamento de impostos na venda das barragens. São 110 milhões de euros que estavam prometidos ao povo transmontano e que não estão a ser pagos”, vincou a dirigente bloquista.

Catarina Martins indicou que o BE já pediu aos ministros do Ambiente e das Finanças explicações ao parlamento e que foi pedida uma série de documentos sobre os contornos deste negócio, incluindo pareceres e decisões que o fundamentaram.

“Lembramos que a EDP criou uma empresa que não existia, para poder passar para ela as barragens, para depois as passar para uma outra. Neste sentido mascarou a vendas das barragens para não pagar imposto“, disse a coordenadora do BE.

Catarina Martins falou em hipocrisia quando se fala em desenvolvimento do interior e ao mesmo tempo permite-se que a EDP “assalte o povo trasmontano ao roubar-lhe 110 milhões de euros em impostos. “A operação [de venda das barragens] é falsa e deve ser denunciada como tal”, concretizou Catarina Martins

A visita à barragem de Miranda do Douro foi acompanhada pelo Movimento Cultural Terra de Miranda (MCTM), que desde junho de 2020 reclama o pagamento dos impostos e já havia acusado o ministro do Ambiente e Ação Climática de dar uma “borla” fiscal à EDP que ronda os 300 milhões de euros na sequência da venda de seis barragens transmontanas.

“Havia uma perspetiva de que os impostos resultantes da venda das seis barragens reverteriam para a região. Mas estamos a verificar que esta mesma expectativa foi gorada. Contudo, pretendemos manter a nossa luta para que esses impostos devidos sejam pagos no território”, vincou Paulo Meirinhos, membro do MCTM.

O presidente executivo da EDP já havia afirmado que a operação de venda de seis barragens no Douro ao consórcio liderado pela Engie foi “uma operação normal”, garantindo que foram “escrupulosamente” cumpridas “todas as leis” e pagos “os impostos devidos”.

Já na quinta-feira, MCTM acusou o Governo de ignorar a “montagem jurídica de planeamento fiscal” preparada pela EDP para evitar o pagamento de impostos na venda de seis barragens na bacia hidrográfica do Douro.

“O mais grave em todo este processo é que o Governo, na pessoa do senhor Ministro do Ambiente, tendo sido alertado por escrito para esta montagem jurídica de planeamento fiscal, nada tenha feito para obstar a que a EDP pudesse ter querido interpretar as entrelinhas da Lei para evitar o pagamento dos impostos devidos”, dizia à Lusa Aníbal Fernandes, um dos membros do Movimento Cultural Terra de Miranda (MCTM).

Para o representante do MCTM, “a aparente operação realizada é de muito mais elevada complexidade jurídica do que o negócio real que consistiu na venda das concessões de uma empresa para outra”.

Também o BE e o PSD acusaram o Governo de “criar um conjunto de fantasias” que levaram o processo para uma “engenharia fiscal” ou “planeamento fiscal (agressivo) para evitar os impostos nesta transação”

Em 13 de novembro de 2020, foi anunciado que a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) tinha aprovado a venda de barragens da EDP (Miranda, Bemposta, Picote, Baixo Sabor e Foz-Tua) à Engie. A EDP concluiu, em 17 de dezembro, a venda por 2,2 mil milhões de euros de seis barragens na bacia hidrográfica do Douro a um consórcio de investidores formados pela Engie, Crédit Agricole Assurances e Mirova.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. O sr. ministro foi alertado, por escrito, e nada fez porque o negócio provavelmente já estaria feito. Ou antes o cambalacho, a tramoia, o conluio!!! Como é que esta gente jura, por sua honra, desempenhar com lealdade as funções que lhe são confiadas?!!!!

RESPONDER

No funeral de Filipe, a família real não vai usar uniformes militares "para evitar envergonhar Harry"

No funeral do duque de Edimburgo os membros da família real não vão usar uniformes militares. A quebra na tradição é justificada como medida "para evitar envergonhar" o príncipe Harry. Segundo o The Sun, a decisão …

FBI diz que grupos radicais dos EUA têm fortes ligações com extrema-direita europeia

O diretor do FBI revela que os radicais norte-americanos são os que têm os laços internacionais mais vastos e que se têm deslocado para se encontrarem com outros ativistas. Os norte-americanos de extrema-direita e com motivações …

Nova espécie de pterossauro revela o polegar opositor mais antigo de sempre

Cientistas descobriram uma nova espécie de pterossauro que viveu durante o período Jurássico e que subia às árvores graças aos seus polegares opositores. Esta característica nunca tinha sido observada nestes animais. De acordo com a rede …

Devido ao sucesso da vacinação, Israel põe fim à obrigatoriedade de uso de máscara no exterior

As autoridades israelitas anunciaram hoje que a partir do próximo domingo acabará a obrigatoriedade de uso de máscara no exterior, medida no quadro do levantamento progressivo das restrições ligadas à pandemia de covid-19. Na primavera de …

A rainha Isabel de Castela ficou conhecida por cheirar mal (mas novos documentos põem fim aos mitos)

A famosa rainha Isabel I de Castela, em Espanha, era conhecida por lavar-se pouco e cheirar mal. Contudo, documentos recém-descobertos mostram que possuía uma quantidade enorme de perfumes de grande valor. Isabel I financiou a viagem …

Instagram testa opção que permite ocultar ou mostrar o número de likes

O Instagram vai começar a testar uma nova opção que dá aos seus utilizadores a possibilidade de esconder os likes recebidos nas publicações. Em 2019, a empresa começou por forçar esta mudança, aplicando-a a alguns utilizadores …

Atlético de Madrid: o que aconteceu a João Félix e companhia?

Equipa de Diego Simeone tinha vantagem confortável sobre os dois maiores rivais e, em pouco tempo, só ganhou metade dos pontos que poderia ter ganhado. Ainda lidera mas tem três adversários muito perto. Em Portugal, no …

EUA impõe novas sanções e expulsam dez diplomatas russos. Moscovo promete resposta “inevitável”

O Governo dos EUA anunciou hoje novas sanções financeiras contra a Rússia e a expulsão de 10 diplomatas russos, em resposta a recentes ataques cibernéticos e à interferência na eleição presidencial de 2020 atribuída a …

Rede 5G pode transmitir energia elétrica e substituir baterias

Os investigadores descobriram uma maneira inovadora de explorar a capacidade das redes 5G, transformando-as numa “rede elétrica sem fios” de modo a alimentar dispositivos de Internet das Coisas (IoT) que precisam de baterias para funcionar. Os …

Itália vai enviar réplica de David de Michelangelo para o Dubai

No final de abril, Itália vai enviar uma réplica em tamanho real do famoso David de Michelangelo, feita com impressoras 3D, para a Exposição Universal do Dubai, que se irá realizar de 1 de outubro …