Gestores hospitalares podem receber prémio de 35 mil euros com o SNS “a cair aos bocados”

13

Mário Cruz / Lusa

Os Ministérios da Saúde e das Finanças criaram um prémio anual para gestores dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS), que em alguns casos pode atingir os 35 mil euros.

A portaria publicada no dia 30 de junho prevê “uma remuneração variável associada ao reconhecimento e incentivo da boa gestão”. O prémio é atribuído em função do cumprimento de objetivos e critérios relativos a indicadores de desempenho.

De acordo com o Correio da Manhã, o montante será de metade do valor bruto auferido a 14 meses — incluindo subsídios de férias e de Natal.

Por exemplo, o ex-secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, atual presidente do Conselho de Administração do Hospital de São João, no Porto, recebe 69.602,54 euros por ano. Neste caso, o prémio, se atribuído, atinge os 34.797 euros.

“O incentivo faz todo o sentido. Os conselhos de administração devem ser responsabilizados se a gestão for mal feita e premiados se bem concretizada”, disse o presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, Xavier Barreto.

“Se vamos premiar a boa gestão, devemos lembrar-nos que há contributo de todos os profissionais, que aqui ficam para trás. É uma pena que o prémio não seja transversal”, defendeu, por sua vez, Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos.

Já Ana Rita Cavaco, bastonária da Ordem dos Enfermeiros, criticou o facto de termos o SNS “a cair aos bocados” e estarmos a premiar administradores, em vez de contratar. “Isto só prova a má gestão que existe”, atirou.

A criação desta majoração para gestores hospitalares públicos surge numa altura em que a falta de médicos tem levado ao fecho de urgências de várias especialidades em diferentes hospitais do país.

  ZAP //

13 Comments

  1. Ao que chegamos!!! E o País na banca rota!!!
    Afinal a responsabilidade e a competência deixaram de ser deveres profissionais.
    Prémios pelo bom desempenho? Então não há salários a condizerem com a função?
    No meu tempo, no sector público e privado, se se era bom profissional cumpria-se as obrigações determinadas pelo cargo ocupado. Se não se era competente, ia-se ficando para trás e dava-se a vez a outro.
    Pela actual ordem das coisas, julgo-me no direito de exigir idêntico bónus, em retroactivos relativos a pelo menos 43 anos.

    • Quer dizer que o ordenado que recebem é para um mau desempenho. Para ser para um bom desempenho, o governo tem que abrir os cordões à bolsa. Isto é inacreditável. E a ministrazita é um autêntico verbo de encher, para não dizer uma verdadeira anedota

      • A “ministrazita é um autêntico verbo de encher”? Não, coitada. Ela vai fazendo o que pode. Peca por continuar a fazer companhia aos restantes que, parecem não ter a noção das responsabilidades que pensaram que assumiram.
        Mas quem se atrever a ser verdadeiramente sério, competente e responsável a governar o País, em pouco tempo estará feito num 8. O nosso povo não está disposto a aceitar voluntariamente o sacrifício,
        Trata-se de algo idêntico ao gravíssimo problema das alterações climáticas. Parece que toda a gente é a favor de soluções nesse âmbito. Mas ninguém está disposto a agir em conformidade.
        Em qualquer das situações, chegará a altura em que seremos obrigados a aceitar o que vier. Pena é que uma minoria de inocentes sofra as mesmas consequências provocadas e a sofrer pelos restantes.

  2. E viva o ministério da saúde, a ministra, os gestores hospitalares que não pagam aos fornecedores mas recebem prémios que pagariam muitas das dividas dos respectivos hospitais ou de outros do mesmo SNS… viva a incompetência e o desgoverno dos dinheiros públicos que pertence de todos nós

  3. E viva o ministério da saúde, a ministra, os gestores hospitalares que não pagam aos fornecedores mas recebem prémios que pagariam muitas das dividas dos respectivos hospitais ou de outros do mesmo SNS… viva a incompetência e o desgoverno dos dinheiros públicos que pertencem a todos nós

  4. De Facto qualquer dia vamos ter um premio diario a quem se apresente ao trabalho….. tem razao o comentario atras, tanto se trabalhou no passado e nunca se faltou porque os funcionarios quer publicos quer privados tinham essa responsabilidade e… agora só se pensa em distribuir o que nao temos…. ja deram premios na TAP com a empresa a dar milhoes de prejuizo….. nao sei onde isto vai parar

  5. Muito bem haja dinheirinho e padrinhos para o distribuir. Que vergonha, é para isto que serve a maioria absoluta !!!!!
    A saúde de rastos e distribuem prémios, de incompetência !

  6. Como nao votei neste Desgoverno estou a vontade para criticar; até acho pouco devam dar logo 100.000 euros a cada um, pagos por todos, tal Republica das bananas, terceiro mundo bem visivel e em mais coisas.
    Depois é atender mal quiça deixar morrer bebés tão precisos, nossa Populaçao está muito envelhecida produz pouco, dizia colocar em sofrimento Mães aflitas isso é que está bem para este Desgoverno.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.